A alegria é expressão de generosidade

0
alegria

A alegria é expressão de generosidade.

Qual tem sido a sua expressão diante de um ato generoso? Você se alegra, se entristece, murmura ou se cansa? Pois é. Essa reflexão é importante!
“É maior felicidade dar que receber” (At 20,35)

“Nós sabemos quem somos de verdade quando olhamos para os nossos sentimentos”, essa frase eu ouvi recentemente e acredito que ela faça sentido aqui nesse contexto, por exemplo, o que você sente quando de última hora precisa acordar bem mais cedo que o habitual para levar alguém na rodoviária/aeroporto? E quando no seu trabalho marcam uma reunião no dia que você programou outra atividade e seu tempo está apertado e você tem que mudar sua programação? Ou ainda, trazendo um pouco para a realidade da Comunidade, quando o seu formador pessoal ou comunitário te faz uma correção, seja na vida de oração ou fraterna, como isso cai no seu coração? O que você sente?

Você percebe onde eu quero chegar? Independente de você estar no ambiente de trabalho, comunitário ou familiar, você é chamado a ser dom e ter a alegria como expressão de generosidade e isso agrada o coração de Deus. Na segunda carta de São Paulo aos Coríntios, vemos: “Dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama o que dá com alegria”. (2Cor 9,7)

Isso é conversão!

É um exercício que você precisa fazer todos os dias e é importante ter uma vida de oração de qualidade, intimidade com Deus e clamar o Espírito Santo, para que a cada situação você consiga dar uma resposta diferente, uma resposta melhor e para que sua expressão seja a alegria.

Nesse processo é fundamental contar com a intercessão e conhecer um pouco mais sobre a vida dos santos. Você verá que eles também enfrentavam lutas diárias e que eles não deixaram de dar passos em busca da santidade e aproveitavam até mesmo das ocasiões mais difíceis, onde a expressão não seria a alegria e sim um espírito entristecido ou de murmuração, para se unirem mais a Cristo e isso é um grande segredo!

A chave que dá acesso ao coração do Pai é se unir à Ele, por mais pequena e simples que seja a situação!

Em Pv 17,22 está escrito: “Coração alegre, bom remédio; um espírito abatido seca os ossos”. É isso! Nós temos a opção de escolha, o famoso livre arbítrio.

Santa Teresinha do Menino Jesus desde muito nova compreendeu essas opções e ela aproveitava essas ocasiões simples em que era exposta para aproximar mais o seu coração ao coração de Deus, como ela mesma disse: “apanhar um alfinete por amor pode converter uma alma”.

Há muitos ensinamentos para nós sobre esse tema do artigo. Tudo se dá a partir da conversão de pensamento, de atitude. Querer agradar o coração de Deus é buscar responder às situações com amor que é caridade; a alegria é consequência da caridade.  A alegria é fruto do Espírito Santo e tudo está ligado! Não tem como separar. Quando você faz o bem, age com amor, ajuda alguém, automaticamente essa pessoa se alegra e você também se alegra junto. Você concorda?
O que nem sempre é fácil é ajudar quando não há inteira disposição do coração, que foram as situações que coloquei no início do texto e é justamente nessas situações que desejo que você dê atenção especial, pois é aí que você pode dar brechas que te levarão a pecar. Entende?

Partilho aqui uma experiência que vivi no primeiro dia que comecei a escrever esse texto, em um domingo. Para contextualizar, a segunda-feira aqui na comunidade, no período da manhã temos um horário livre que podemos usar para necessidades pessoais, como por exemplo, leitura de um livro, ou outra atividade previamente acordada com o formador.
Eu havia me programado para fazer algumas coisas pessoais que estavam pendentes. No final da noite de domingo, vejo uma mensagem no grupo interno pedindo se alguém poderia ir ao mercado fazer as compras na segunda de manhã… e adivinha qual foi minha primeira reação e sentimento? Vou esperar! Certeza que alguém se manifestará, porque afinal de contas eu já fiz a minha programação. Só que foi inevitável eu não ficar com esse incômodo no meu coração, porque justamente o tema é “a alegria é expressão de generosidade”.

Diante desta situação, onde estava a minha alegria e disposição? Estava nos meus próprios interesses e isso, com toda a certeza, sei que não agradaria o coração de Deus, pois sou missionária e preciso acima de tudo fazer a vontade de Deus e não a minha vontade, ou seja, a vontade de Deus para mim na segunda feira de manhã era ir ao mercado.

Assim, fiz esse exercício de querer unir o meu coração ao coração do Pai, e confesso para vocês que a minha expressão foi a alegria, pois pude de uma maneira simples contribuir, “trazer alimento” para todos nós da comunidade. Eu poderia ter dito “não” e ter ficado nas minhas programações pessoais, mas graças a Deus, estava atenta a sua voz e vontade para minha vida naquele momento. E é assim a vida de quem deseja permanecer em Cristo! Transformar cada ocasião num lugar de encontro com Cristo e viver a alegria e o amor como expressão final.
Que Deus te abençoe e te ajude em todas as situações de sua vida!

Ariele Castilho Russo
Postulante da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.