Abandonar-me para te encontrar

0

A independência e a autossuficiência são marcas do nosso tempo. Desde criança aprendemos a ser autônomos, a fazer o maior número de coisas possível sem a ajuda de ninguém, a nos virar e a não depender dos outros. É verdade que precisamos nos desenvolver em todas as dimensões, amadurecer e nos tornar capazes de realizar coisas importantes e grandiosas. Porém, somos, por natureza, seres sociais e interdependentes. Quando entramos em relação com Deus, isso se torna ainda mais latente. Ele é o nosso criador e em tudo dependemos d’Ele, nossa existência depende d’Ele. Como vencer nossa grandeza e nossa independência a fim de nos abandonar nos braços de Deus?

Abandonar-se no Amor de Deus – um grande desafio!

Diante de Deus, somos pó, somos nada. Um nada profundamente amado por Deus. À medida que conhecemos a Ele, também nos reconhecemos criaturas pequenas e dependentes. Essa é a verdade do homem e da mulher, e não há grandeza humana que possa mudar isso. Deus nos fez pequenos para que nos descubramos amados por Ele.

No entanto, embora tudo isso soe muito lindo, quando começamos a caminhar com Deus, de forma decidida e fiel, um dos mais difíceis desafios que encaramos é o nosso próprio eu. E nessa busca pela nossa alma, o lugar onde Deus habita, esbarramos quase que constantemente nas nossas grandezas, na nossa independência, nos nossos próprios conceitos e nas “verdades” criadas por nós. O Senhor nos chama incessantemente a nos abandonar em Seu Amor Imenso e Incondicional, mas como nos parece impossível sair da nossa superficialidade e mergulhar nesse Amor tão profundo.

abandonar

Estejamos atentos às oportunidades que a vida nos propõe para crescermos na intimidade e no abandono em Deus. Ele usa das situações cotidianas para nos revelar o Seu Amor. Nos momentos de solidão, busque a Deus, abandone-se no Senhor, permaneça com Ele, tenha n’Ele um amigo. Quando estiver triste ou se sentindo injustiçado, abandone-se em Deus, deixe que Ele o console. As dores da alma são lugares propícios para a experiência do abandono e para um encontro íntimo com Aquele cujo Amor nos plenifica e nos ultrapassa.

“Pois quando sou fraco, então é que sou forte” (2Cr 12, 10)

Abandonados em Deus, na nossa fraqueza e nossa pequenez, conheceremos Sua força e Seu poder. Somente quando nos fizermos pequenos e frágeis, desapegados de nossas forças e capacidades, permitindo que Deus ocupe Seu espaço dentro de nós, descobriremos Aquele que é Todo-Poderoso e Senhor de tudo o que somos e temos.

Assim como Santa Elizabete da Trindade, uma jovem carmelita que, conduzida pelo Espírito Santo, descobriu o mistério da Inabitação de Deus – mistério da Trindade que habita nossa alma – também nós, abandonados em Seu Imenso Amor, possamos descobri-lo e nos relacionar com o Deus Trino, que habita o mais profundo do nosso ser!

Santa Elizabete da Trindade, rogai por nós!

Adriane Luz
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator 

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.