Combate à homofobia ou incentivo à homossexualidade e imoralidade?

5

Com o discurso de combater a homofobia, foi firmado um convênio entre o Ministério da Educação (MEC), com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), e a ONG Comunicação em Sexualidade (Ecos) de produzir um kit de material supostamente educativo, composto de vídeos, boletins e cartilhas com abordagem do universo de adolescentes homossexuais que será distribuída para 6 mil escolas da rede pública em todo o país, dentro do programa Mais Educação.

Os vídeos que serão expostos nas escolas são bastante sensacionalistas, com fotos de garotos se beijando e outras apelações, que confundem; e, ao invés de combaterem a suposta homofobia, criam um clima de incentivo à homossexualidade.
Mais uma vez assistimos a uma iniciativa do governo de promover a imoralidade. Sim, a imoralidade, digo e repito embora esse termo seja hoje politicamente incorreto, ou seja, imoral. Soa patético dizer que algo é imoral, mas muito mais interessante é dizer que tal coisa é ética. Contudo, ética nada mais é do que a moral laicista, ou seja, a proposta de vida humana a partir do próprio homem e não a partir da Revelação de Cristo (moral cristã).

Vivemos a crise da moralidade cristã, que na verdade se tornou imoral. Ou seja, aqueles que são contra a moral, na verdade, criam a sua própria moralidade na qual a moral cristã é imoral. Em nome da imoralidade, na verdade, virou-se a moral de cabeça para baixo. Trata-se de uma nova moral puritana segundo seus valores (semelhante aquela outra criada dentro do cristianismo, em que se sataniza tudo e o fruto é realmente o preconceito), ou seja, se você não vive a moral proposta, você está fora, deve ser banido e criminalizado.

O que o governo e a mídia estão fazendo é tentar destruir a moral cristã na consciência dos nossos filhos para criar outra, na qual “não existe pecado abaixo da linha do equador”; e quem disser que existe deve ser literalmente criminalizado (conforme o Projeto de Lei – PL122 – já aprovado no Congresso Nacional e tramitando no Senado Federal).

Fico pensando no episódio bíblico em que judeus moralistas e legalistas querem apedrejar uma prostituta e Jesus intervém intimando que, “quem não tiver pecado atire a primeira pedra”. Na sociedade que hoje se constrói seria um homofóbico (entendido no sentido do movimento GLS) que estaria sobre a mira de pedras de gays, lésbicas, prostitutas. Já que nessa nova história tudo se inverte, resta pensar o que diria o anticristo aos novos apedrejadores?

Por fim, será que o Estado tem o direito de virar de cabeça para baixo a sociedade? Ninguém perguntou aos pais se querem que seus filhos tenham esse tipo de educação. Ao contrário, o governo, a mídia e outros setores – que, aliás, são uma minoria organizada e influente –, deveriam discutir com a sociedade a validade, coerência, lógica e frutos dessa nova moral. Como não há coerência, nem lógica e os frutos são uma juventude depravada, agressiva e triste, o jeito tem sido essa ditadura impositiva na educação e mídia que joga pedras na consciência de nossos filhos, de nossos jovens.

A propósito, creio que o anticristo, nesse antievangelho diria: “quem tiver pecados atire a primeira pedra”.

André Luis Botelho de Andrade
Fundador e Moderador Geral da Comunidade Pantokrator

5 COMENTÁRIOS

  1. Realmente, se isto acontecer irei mover uma ação contra o CPF dos respoeis, ( MEC; a senadora ), pois não me sentiria bem sabendo que a escola onde meus sobrinhos estudam irão converte-lo a ser um homossexual.
    Ito é um absurdo.

  2. É O FIM DO MUNDO! PARA MIM ESTE O GOVERNO DESTE HOMEN QUE TEVE ESSA INICIATIVA É GAY E A FAMILIA TODA DELE TAMBEM

    PELO AMOR DE DEUS ALGUM PODER LEGISLATIVO DESSE PAÍS TOME PROVIDENCIA.

  3. Meo isso é wo fim do mundo,meus filhos estudando pra ver wo futuro gay,a ser gay,aceitar isso Nem apau,Deus fez O HOMEN E MULHER PARA JUNTOS CRIAR UMA FAMILIA ATRAVES DO AMOR. AGORA 2 HOMENS COMO VAO TER FILHOS ??? PELO AMOR ISSO NAO PODE SOU CONTRA MESMOOO…..

  4. Não podemos aceitar que imputem a nós, cristãos, a categoria de discriminatórios, apenas porque obedecemos os Mandamentos. Não podem nos colocar na cadeia por seguirmos nossa consciência.

    Precisamos reagir o quanto antes contra este Projeto de lei.

    O Brasil cristão é contra o PLC 122/2006.

  5. Não perecebem que o governo quer é diminuir a quantidade de filhos entrae as pessoas?afinal são 7 bilhoes de pessoas noa mundo e esta só aumentando!E que para que isso dimunua eles estão incentivando esse tipo de aberração que é o homosexualismo !

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.