COMO FOI A SUA RETROSPECTIVA DE 2020?

0
retrospectiva

Este ano de 2020 “deu o que falar”! Ficou conhecido nas redes sociais como o “ano desastroso” pelas situações tão atípicas: um vírus que “parou o mundo” e devastou milhares de vidas; uma curiosa praga de gafanhotos desafiou o controle dos especialistas, causando grande estrago e pavor em vários países; uma nuvem de poeira do deserto do Saara atravessou o Oceano Atlântico, chegando a percorrer uma distância de quase dez mil quilômetros, atingindo a América… estes e tantos outros fatos marcaram nossa retrospectiva 2020.

Foi marcante também o repentino aumento da perseguição aos cristãos através de assassinatos, depredações de Templos, produções culturais ridicularizando a nossa Verdade, leis ou tentativas de imposição de práticas contrárias aos nossos valores, além de insídias contra a manifestação de nossa Fé (como no caso de cidades onde se proibiu a montagem de presépios em locais públicos).

Mas… o objetivo desse texto é convidar você, leitor, a um exercício de retrospectiva da SUA vida PESSOAL em 2020.

PERCORRENDO AS VIVÊNCIAS…

Neste exercício, sugiro que se comprometa a pensar com calma, percorrendo suas vivências, sem deixar escapar fatos importantes, que podem estar longe das ideias de quem te escreve agora.

Quais foram os acontecimentos mais marcantes da sua vida neste ano?

Em meio a tantas situações atípicas, não deixaram de acontecer casamentos, nascimentos, novas amizades, reinvenções de atuação profissional, boas notícias… enfim: a vida continuou florescendo! Graças ao Bom Deus!

Você conseguiu depositar n´Ele a confiança, mesmo em meio às ameaças desta pandemia e do aumento da crise social?

Sabemos que, frente à quarentena, muitos se tornaram ainda mais individualistas, aproveitando o pretexto do isolamento; outros se viram convidados a ser mais solidários. Qual foi a sua posição?

Quais as principais lições de vida? O que descobriu sobre si (em termos de dons ou fragilidades)? O que aprendeu com os outros?

Conseguiu perceber a presença de Deus? Lembre-se que o maior desastre é caminharmos com o coração longe d´Ele! Não sei se você reparou que, na contramão dos “desastres atípicos”, Ele nos presenteou com “bênçãos atípicas” como: o céu esteve incrivelmente mais bonito; a diminuição da poluição permitiu que muitos ecossistemas se restaurassem (“pipocaram” notícias sobre o aparecimento de espécies animais raras em grandes centros urbanos), manifestando o Poder do Criador, que restaura todas as coisas, e não cessa de “soprar vida” ao mundo!

Não sei se foi o seu caso, mas muitas famílias tiveram a oportunidade de um maior convívio na quarentena. É lógico que isto representou um desafio. Mas, para muitos, foi importante para uma aproximação mais profunda. Muitos pais puderam acompanhar melhor o desenvolvimento de suas crianças pequenas, o que seria dificultado se estivessem na correria e ausência habitual.

O QUE ESPERAR DO PRÓXIMO ANO?

Mesmo constatando que o mundo está cada vez mais terrível, nunca deixemos de cultivar a esperança! Digo esperança em ambos os aspectos: para a vida presente, mas especialmente para a vida que há de vir. “A esperança não engana (…)” (Rom 5,5a)

Cristo ensinou a dinâmica do Amor de Deus: Ele se sente atraído de maneira especial aos filhos que se rendem, reconhecendo a sua impotência frente ao Pai Todo Poderoso, e assim Ele realiza maravilhas! Repare: quando na cruz Jesus abandonou o Seu Espírito nas Mãos do Pai, tornando-se um “morto” (o ápice da “impotência” de alguém), foi-lhe concedida a Ressurreição. E podemos contemplar nas escrituras que, após isto, Jesus atravessou paredes colocando-se em meio aos Apóstolos! Para a nossa realidade humana, isto representa o auge de uma liberdade sem barreiras, sem limites.

Quando a vida nos oferecer o “caos”, que ali aproveitemos para viver o extraordinário de Deus, já que muitas vezes deixamos de reconhecer a Sua ação quando “tudo vai bem”, atribuindo à nossa própria ação os “sucessos da vida”.

Por fim, busquemos sempre um coração agradecido, pois cada segundo é um presente do Pai para nós.

Luiza Torres
Discipula da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.