Como ouvir Deus diante de uma situação impossível

0
impossível

O que é impossível na sua vida hoje? Quais situações você vive que te tiram do controle e te roubam a paz? Como acreditar em Deus diante dessas situações?

Se você é cristão, com certeza sabe, ou pelo menos já ouviu dizer, que “para Deus nada é impossível” (Lc 1, 37) e que estas palavras são por diversas vezes repetidas na Bíblia, mas quando o sofrimento aperta, até as pessoas mais piedosas têm dificuldade para se colocar em oração e ouvir a voz de Deus, afinal, como ouvir Deus diante de uma situação impossível?

Lidar com o impossível

Alguns momentos na nossa vida parecem não ter saída, uma noite longa de escuridão. Uma doença terminal, a perda de sua casa, ou do emprego do qual depende financeiramente toda sua família ou ainda familiares se perdendo em vícios. Tudo parece desmoronar, nos sentimos impotentes e sozinhos. Onde está Deus nesses momentos? Desconheço o que está enfrentando, nem sei quais as circunstâncias em que você vive hoje, mas digo a você: apenas confie.

Pode ser que nessas situações não ouçamos a Deus, assim como não o veremos agir milagrosamente mudando tudo em um passe de mágica; não que Ele não possa fazer, mas com certeza Deus está mais preocupado em cuidar de você, da sua salvação. Pode ser que Ele não fale nada, ou fale e você, envolvido em toda situação, não o ouça. Mesmo assim não O culpe, faça atos de fé, diga constantemente que você crê Nele, crê que Ele é Deus do impossível, e se entregue, se submeta aos seus cuidados e deixe que Ele cuide de tudo.

Santo Inácio de Loyola nos ensina a “agir como se tudo dependesse de nós, sabendo que, na realidade, tudo depende de Deus”. Mas o que fazer diante daquilo que nos é impossível resolver? Confiar sem desespero, entregar a dor e não desistir, certo de que Deus está no controle de tudo. Creia, mesmo que tudo ao seu redor lhe diga não; segue firme na certeza de que, se o mar não abrir, Ele te fará andar sobre as águas.

Acima de tudo confiar

Em agosto de 2020 vivi uma situação muito difícil: eu e minha família testamos positivo para a covid, nós que desde o início do isolamento social evitávamos sair de casa, que lavávamos todas as compras com cloro na área de serviço, enfim, estamos em meio a uma pandemia. Eu e minha irmã, que começamos com os sintomas, nos isolamos já apavoradas com a possibilidade de os meus pais idosos também pegarem. Mas o que era temido aconteceu: todos positivos e meu pai, com seus 78 anos, portador de Alzheimer num grau já avançado, também positivou.

Resumindo: ele ficou mal, o médico chegou a dizer que era pouco provável que sobrevivesse e que, se assim fosse, avançaria na fase do Alzheimer e ficaria acamado. Ficamos bem abaladas emocionalmente, não sabíamos o que fazer e nem como lidar com aquela situação, uma vez que estávamos todos na quarentena. Eu nem conseguia parar pra rezar nesse tempo, mas fazia constantes atos de fé, dizendo a Deus que confiava Nele, que Ele era poderoso para realizar o impossível e, mesmo que o pior viesse a acontecer, eu sabia que Ele era bom, que era o meu Pai.

Foi a maior experiência de filiação que eu vivi, não podia fazer nada, toda situação me fazia fraca e impotente, mas a fé foi crescendo dentro de mim; não a fé de que Deus salvaria o meu pai, mas de uma experiência nova que me fazia sentir Deus presente, o Pai que me pegava pela mão, me colocava no colo e cuidava de mim e de minha família. Algo extraordinário.

O impossível Deus pode realizar

Meu pai voltou para casa, ficou acamado e totalmente dependente de nós. Aqui em casa somos apenas mulheres e foi difícil lidar com essa situação: ele pesado e nós precisávamos dar banho, trocar fralda, dar comida na boca, dar remédio de tempo em tempo, mas o quanto isso nos uniu como família! Certo dia, num sábado à noite, quando estávamos todos na cozinha conversando, do nada meu pai apareceu andando e dizendo que estava com fome. Um verdadeiro milagre, todos chorávamos muito, mas agora contemplando o impossível que Deus havia realizado.

Aprendi com minha amiga Santa Teresinha que o total abandono diante daquilo que para nós é impossível nos capacita a viver todas as coisas, mesmo diante da nossa extrema pequenez, “nem o vento nem a chuva, e se nuvens escuras vierem esconder o Astro de Amor (Deus) o passarinho não trocará de lugar. Sabe que, além das nuvens, seu Sol continua brilhando, que seu brilho não cessará. Às vezes, o coração do passarinho é vítima de tempestade, parece não acreditar que existem outras coisas além das nuvens que o envolvem. Esse é o momento da felicidade perfeita para o pobre serzinho frágil.” (Livro História de uma alma).

Peçamos ao Senhor que, mesmo em meio aos momentos mais escuros da nossa vida, diante das situações mais adversas em que nos é impossível ver o “Sol”, que a exemplo de Santa Teresinha possamos viver nesse abandono e esperança que nos permitirá fixar os olhos na luz invisível que escapa à nossa fé. Além das nuvens Ele está a brilhar.

Vanessa Ozelin
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.