É para que sejamos homens livres que Cristo nos libertou

0
Livres

“É para que sejamos homens livres que Cristo nos libertou. Ficai, portanto, firmes e não vos submetais outra vez ao jugo da escravidão.” (Gálatas 5, 1)

Cristo, ao morrer na cruz, assumiu nossos pecados e faltas e nos libertou! Fomos libertos pelo poder do Sangue Precioso de Cristo, e por Ele, nenhum filho ou filha de Deus é escravo do pecado e da condenação eterna. Graças à fidelidade de Cristo ao plano redentor do Pai todos nós podemos dizer: “Livre sou” e nos considerarmos herdeiros das promessas de Deus.

Cristo conferiu a nós o retorno a morada eterna. Não há mais condenação para os que estão em Cristo, porque Ele nos arrancou do poder das trevas. No entanto, algumas vezes, ainda agimos como escravos. Escravos do medo, do dinheiro, dos vícios, das tendências de pecado, do egoísmo, das vaidades, das ideologias, das carências afetivas e de tantas outras coisas que se levantam em nossos corações.

Cristo nos libertou, mas para continuarmos sendo livres, precisamos permanecer n’Ele: “Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” (Jo 15, 5).
Cristo é muito claro conosco: “… sem mim nada podeis fazer.” Somente conseguiremos viver como criaturas livres quando assumirmos que somos parte de um só Corpo e filhos do mesmo Pai, pertencentes a uma única nação – dos filhos e filhas amados de Deus. É preciso permanecer em Deus para conseguirmos, diariamente, viver como libertos em espírito e verdade.

Viver em Cristo para experimentar a verdadeira liberdade

Mas, o que significa viver em Cristo? Todo ramo, se não estiver unido a videira, morre. Assim, acontece com nossa vida espiritual, é preciso estar unido a Deus, ler e viver a Palavra de Deus e Crescer na intimidade com o Pai através da oração e Eucaristia.

Assim como se relacionar com alguém requer decisão, esforço e dedicação, o mesmo acontece ao se relacionar com Ele. Viver em Deus significa diariamente fazer uma escolha: unir-se ao Senhor de forma concreta. Para isso, escolha um tempo do dia para ler as Sagradas Escrituras e rezar, para proclamar palavras de bendição e louvor a Deus no dia a dia.

Precisamos desejar a santidade. E o que é a santidade? União com Deus. Ademais, São Paulo nos ensinou que é necessário buscar ter uma vida fervorosa em Cristo Jesus sendo fiel, perseverante, cultivando a humildade e pureza de coração.

Clame a graça de Deus e auxílio do Espírito Santo em todas as situações ordinárias da vida.
Permaneça firme! Firme no conhecimento que tens da Palavra de Deus, firme nos testemunhos dos milagres que Deus fez e ainda faz na sua vida e na vida dos seus amados. Permaneça firme na Igreja e nas vivências dos sacramentos! Permaneça firme nas promessas que Deus tem para sua vida.
Somente assim, deixaremos tudo o que escraviza nosso coração e alma. Somente assim, cultivaremos a liberdade que Deus nos deu vivendo como filhos(as) libertos que conseguem proclamar com a vida a passagem bíblica: “Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 8, 39).

Rendição que leva a vivência da liberdade em Deus

Viver a liberdade em Deus requer confiança e desapego. Quando entregamos a Deus nossa vida, nossos sonhos, amados, presente e futuro, estamos simplesmente reconhecendo que tudo o que “possuímos” pertence a Deus. E temos a responsabilidade de cuidar daquilo que Deus nos deu: nossa vida, família, bens materiais, relacionamentos, etc. Mas, quem está no controle absoluto de tudo é Deus.

Render-se a Ele é o cume da vivência da liberdade em Deus, justamente porque O coloca no Seu lugar: no centro de tudo, de nossa existência. Render-se a Deus é um ato concreto de viver a liberdade que Ele oferece, é proclamar: “Meu Senhor, meu Deus. Tudo é Teu”.

Mas é preciso coragem, confiança, desapego e abandono para render-se a Deus. Somente quem faz a experiência em ser profundamente amado por Deus consegue dar passos de rendição ao longo da vida. Faz parte do processo de amadurecimento humano e espiritual, render-se. Ledo engano desassociar liberdade de rendição. O liberto por Cristo faz experiências concretas de rendição de sua vida.

Deus sempre tem o melhor para nossa vida e, talvez, o melhor que Ele tem para nós se concretize depois que acontecer a rendição de um sonho, projeto ou algo que possa estar aprisionando-nos.

Que possamos viver como verdadeiros filhos(as) libertos por Nosso Senhor Jesus Cristo!
Virgem de Guadalupe, rogai por nós.
Santa Teresinha do Menino Jesus, rogai por nós.
São João Paulo II, rogai por nós.

Marcia Maria Tognetti Correa
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.