Meu providente e justo São José

0
São José

“Assim aconteceu o nascimento de Jesus: Maria, sua mãe, era noiva de José e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida por obra do Espírito Santo. José, seu noivo, sendo um homem justo, não quis que ela ficasse com o nome manchado e resolveu abandoná-la sem ninguém o saber” (Mt 1, 18-19).

Encontramos poucas passagens nas Sagradas Escrituras que falam sobre São José. Mas, nas poucas narrativas encontradas, identificamos detalhes preciosos sobre o nosso querido e providente São José. Ele é reconhecido como um homem justo! Pouquíssimos santos foram chamados de “justos” de forma tão explícita. Além disso, é possível perceber que São José é um homem forte, humilde, bondoso, compassivo, sábio, puro e temente a Deus, que consegue entender e acolher a vontade de Deus com serenidade e determinação.

Assim como Deus Pai teve todo zelo e amor ao escolher Maria Santíssima como mãe de Cristo, Ele teve o mesmo zelo e amor ao escolher José como pai adotivo de Cristo. José também deu seu SIM a Deus no plano de salvação. O SIM de José sempre sustentou o SIM de Maria. José e Maria guardavam tudo em seus corações!

Ambos receberam o anúncio do anjo sobre a vontade de Deus quando eram jovens. Sim, jovens! É um ledo engano acharmos que, quando ele desposou Maria, era velho! São José estava no auge de sua masculinidade. José e Maria tinham seus sonhos e planos pessoais, e foram surpreendidos com a Vontade de Deus. Ambos fizeram suas renúncias para acolher e cumprir a missão que Deus lhes confiava. Ambos deram um grande passo de fé lançando-se nos desígnios de Deus, sem entenderem com clareza o real significado do que Deus pedia: gerar e criar o Cristo, O Filho de Deus. São José, por amor a Deus e a Maria, renunciou a todos os seus sonhos e vontades para assumir a Sagrada Família, criar e proteger sua esposa e seu filho adotivo.

Ao longo da história da Igreja Católica tivemos alguns papas que declararam São José o maior santo da Igreja Católica, depois de Maria Santíssima. Pio IX proclamou-o como padroeiro da Igreja. Em 1889, Leão XIII citou-o como modelo de esposo e de pai. E para celebrar os 150 anos da declaração do esposo de Maria como padroeiro da Igreja Católica, o Papa Francisco em 2021 convoca o “Ano de São José”, com a Carta apostólica “Patris corde – Com coração de Pai”. Vemos que a devoção a São José vem crescendo. Como lhe é próprio, ficou tantos séculos no escondimento e aos poucos os fiéis vêm descobrindo a pessoa e santidade de São José, fazendo experiências com esse grande testemunho de fidelidade e amor a Deus. Como o Papa Francisco falou: “São José é o homem que passa desapercebido, o homem da presença cotidiana discreta e escondida…. Um protagonismo sem paralelo na história da salvação”.”

Testemunho de vida de São José

O testemunho de vida de São José foi glorioso devido a vários aspectos: ser um homem que buscou viver a santidade, receber a paternidade (adotiva) de Cristo, ser esposo da Virgem Santíssima e ser o provedor e defensor da Sagrada Família! Quando medito e rezo com São José, gritam ao meu coração as palavras: “mistério fecundo”.

É fato que todo santo tem seus mistérios, justamente por serem tão íntimos de Deus, que é, por excelência, O inesgotável MISTÉRIO. São José tem sua teologia e espiritualidade! Precisamos entrar nesse mistério, nessa teologia e espiritualidade! Que riqueza deve ser mergulhar na vida desse santo homem que criou e protegeu o filho de Deus aqui na terra. Que teve o privilégio de ver o filho de Deus nascer, crescer, dar seus primeiros passos, falar suas primeiras Palavras. Tantos cristãos desejaram e desejam encontrar-se com Deus, e São José teve o privilégio de ACOLHER o Menino Deus em seu coração e sua casa. Ensinar-lhe o ofício da carpintaria. Ensinar as Palavras de Deus ao Verbo Encarnado! Cristo, em São José, encontrou a figura masculina que precisava. Todo filho olha para o pai e vê nele o seu modelo de masculinidade e virilidade. Com Cristo não foi diferente.

Que maravilha refletir sobre todos os feitos da missão de São José! Educar o próprio Deus Encarnado. Que mistério! Que honra! E com qual simplicidade e humildade ele cumpriu sua missão diante de Deus.

Mestre da vida interior

Outro ponto interessante sobre São José é ser reconhecido como mestre da vida interior (espiritual). São José tem um coração enormemente fecundo. Recorramos a ele para ensinar- nos a rezar, meditar e acolher a Palavra de Deus!

Ele tem também uma sabedoria nata concedida por Deus. Quantos privilégios e graças foram concedidos a esse homem santo! Não tenho dúvida que, assim como Cristo nos deu Maria Santíssima como Mãe, o mesmo Ele quer fazer com Seu pai adotivo: dar-nos mais um pai (adotivo) para ser nosso protetor, provedor e intercessor diante de Deus.

Esposo e Pai

Outro ponto interessante para destacar no testemunho de vida desse santo é o de ser esposo da Virgem Santíssima. Maria Santíssima, sendo a menina dos olhos do Pai, teria que desposar um homem único e especial escolhido por Deus: José. Qual pai não deseja entregar sua filha aos cuidados de um homem honrado e capaz de formar e cuidar de uma família? São José foi o esposo escolhido pelo coração de Deus, não somente para criar Cristo mas, principalmente, para desposar e cuidar de Maria Santíssima. José amava Maria profundamente, e mesmo em choque ao receber a notícia da gravidez de sua esposa ele não valeu-se da lei devolvendo-a para sua família, humilhando-a e colocando sua vida em perigo. Depois do sonho profético, ele acolheu e honrou Maria e seu matrimônio. Foi um esposo forte e atento a todas as necessidades de Deus, Maria e Cristo, sendo fiel todos os dias de sua vida: na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, acolhendo o filho que Deus o confiou. José cumpriu com glória toda a missão e compromissos de homem casado.

Sabemos que faz parte da missão dos esposos auxiliar seu cônjuge a alcançar o céu. Como compreender esse mistério no caso de Maria e José? Como auxiliar Maria a ir para o céu quando fora concebida sem pecado e tinha toda sua alma e coração em Deus e ancorados no céu? Acredito que nesse caso tão específico José sempre auxiliou Maria a permanecer ancorada no céu e perseverar na vontade de Deus, uma vez que ela podia compartilhar todas as suas preocupações e vida com seu fiel, sábio e providente companheiro. São José foi por excelência o esposo de Maria e por isso é o modelo para todo esposo que recebe a missão de formar e cuidar de uma família.

O testemunho de vida de São José é repleto de desafios, renúncias, atos de fé, força, honra, humildade e sabedoria. Acolhamos esse santo em nossa vida e orações. Que nasça e cresça em nossos corações uma forte devoção a esse grande exemplo de santidade. Confiemos a ele nossas necessidades, pedidos e súplicas. Se ele soube tão maravilhosamente bem cuidar e educar a Cristo, saberá também educar cada um de nós e cuidar de nossas necessidades e situações. Valei-me, São José, agora e sempre!

Devoção a São José

Santa Teresa D’Ávila tinha uma forte devoção e amor a São José. Ela fez vários relatos sobre a proteção e providência de São José ao longo de sua vida e missão dentro da Igreja Católica. Particularmente, um de seus marcantes relatos que despertou minha curiosidade e fizeram-me aproximar de São José foi:

“Assim, tomei por advogado e senhor o glorioso São José, encomendando-me muito a ele. Vi com clareza que esse pai e senhor meu me salvou, fazendo mais do que eu podia pedir, tanto dessa necessidade como de outras maiores, referentes à honra e à perda da alma. Não me lembro até hoje de ter-lhe suplicado algo que ele não tenha feito. Espantam-me muito os muitos favores que Deus me concedeu através desse bem-aventurado Santo, e os perigos, tanto do corpo como da alma, de que me livrou. Se a outros santos o Senhor parece ter concedido a graça de socorrer numa dada necessidade, a esse Santo glorioso, a minha experiência mostra que Deus permite socorrer em todas, querendo dar a entender, que São José, por ter-Lhe sido submisso na terra, na qualidade de pai adotivo, tem no céu todos os seus pedidos atendidos.” (relato extraído do livro da Vida).

Outro relato muito interessante e profundo foi: “Eu queria persuadir todos a serem devotos desse glorioso santo, pela minha grande experiência de quantos bens ele alcança de Deus. Não conheço nenhuma pessoa que realmente lhe seja devota e a ele se dedique particularmente, que não progrida na virtude; porque ele ajuda muito as almas que a ele se encomendam. Há alguns anos, sempre lhe peço, em seu dia, alguma coisa, nunca deixando de ser atendida. Se a petição vai algo torcida, ele a endireita para maior bem meu”. (relato extraído do livro da Vida).

Santa Teresa deixa muito claro que o(a) devoto(a) de São José é protegido e tem sua vida cuidada dos pequenos até os grandes detalhes. São José é fiel a seus filhos adotivos. Intercede diretamente a Deus por eles alcançando da Trindade todas as graças solicitadas e não solicitadas. O grande objetivo dele é que seus filhos adotivos alcancem o céu e com isso, imagino que ele não meça esforços junto a Cristo e Maria para que esse objetivo seja alcançado.

2021: ano devotado a São José

A convocação do “ano de São José” nasceu do coração paternal do Papa Francisco no anseio de levar os católicos a uma devoção filial através do pai adotivo de Cristo.

Vivemos tempos muito difíceis e desafiadores. A humanidade desde 2.020 vem padecendo de vários males e está sendo provada de inúmeras formas. Nossa fé tem sido provada de várias formas. Sabemos que a vida de São José não foi fácil! Ele enfrentou diversas dificuldades para conseguir cumprir sua missão. Certamente ele soube o que é passar por dificuldades financeiras, soube o que é não conseguir prover conforto para sua família, soube o que é ter sua vida e a de sua família ameaçadas, preocupou-se com a educação básica e profissional de seu filho (José ensinou o ofício da carpintaria a Cristo quando era muito jovem), soube ensinar a Cristo a dura realidade da vida humana, soube ser um pai presente, soube ser modelo de homem fiel, respeitoso e amoroso (Cristo não nasceu pronto, aprendeu muito com São José), soube ser guardião da Sagrada Família e segue protegendo a Igreja, que é a extensão do Corpo Místico de seu Filho adotivo, Jesus.

O convite que a Igreja nos faz nesse ano de 2.021 é para que aproximemo-nos de São José, permitindo que ele nos eduque e seja grande canal de providência de Deus.

Encerro esse texto convidando-o a abrir seu coração para São José. Permita-se ser surpreendido pela santidade e presença dele na tua vida espiritual.

“Meu providente São José, assim como Deus Pai confiou a Vós a criação, proteção e sustento de Jesus Cristo, quero também confiar a Vós meu dia, minhas necessidades materiais e espirituais, na certeza de que és um grande intercessor diante de Deus. Que eu consiga crescer na humildade, simplicidade e sabedoria para ouvir a vontade de Deus na minha vida, honrando toda missão que Ele sonhou para minha existência aqui na terra. Assim como você, São José, também quero viver meu SIM diário no escondimento e fidelidade.”

Meu providente e justo São José, providenciai!.
Valei-me, querido São José, agora e sempre!
Amém.

Marcia Maria Tognetti Correa
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.