O amor não vai te condenar

0
amor

O amor é um dos grandes motores do homem. Desde os séculos antigos percebemos o ser humano tentando decifrar ou expressar o amor de várias maneiras. Ele já tomou forma de arte, música, peças de teatro e por mais belo que sejam essas expressões ainda parecem pouco para dizer o que realmente é o amor.

Filósofos e cientistas tentam ainda hoje buscar alguma solução, fórmula ou padrão para se falar sobre o amor, mas a verdade que poucos querem admitir é que o amor é uma pessoa. É Ele quem nos busca constantemente e nos dá sentido.

Na primeira carta de São João, vemos: “Deus é amor, e quem permanece no amor permanece em Deus e Deus nele.” (1 Jo 4,16) Isso grita em nossos corações; permanecer no amor!

Temos um anseio pelo eterno, um grito interior pelo infinito que só pode ser preenchido por Deus e seu amor. Esse anseio que chega a nos tirar o sono, como uma saudade que nos aperta a alma está mostrando para nós que fomos criados para grandes coisas, para a eternidade, para um Amor que não se cansa, não tem limites. É por ele que queremos viver, porém, como uma flecha disparada podemos errar o alvo e na busca por saciarmos o desejo dos nossos corações por esse amor vamos nos entregando para qualquer falso amor e ainda, para matar a sede da nossa alma aceitamos amores rasos.

Quantos de nós não trazemos marcas profundas em nossas almas, em nossos corpos por errarmos o alvo? Foi assim que Jesus encontrou a samaritana no poço (Jo 4, 5-30), uma mulher que já havia tido seis maridos e todos em relação de adultério, uma mulher sedenta por esse amor eterno que buscava nas coisas finitas saciar seu desejo pelo infinito.

Aquela mulher, também era marcada no corpo e na alma e que por vergonha, ia pegar água no poço em um horário que não encontraria ninguém, com medo de ser julgada e exposta.

O coração revelado

Na conversa com a mulher Jesus vai revelando seu coração divino que deseja se encontrar com o coração sedento de sua filha, Ele que é a fonte de água viva veio até a miséria e dor profunda daquela samaritana para mostrar que ela foi criada para o Amor e esse mesmo amor não a condena por suas faltas do passado, mas pelo contrário, Ele a encontra em meios aos seus pecados, a cura e depois mostra a liberdade de quem sabe que não foi condenado. Esse é o Deus todo poderoso a quem servimos, amamos e adoramos, Ele não nos deixou entregues a morte do pecado, mas assumiu as nossas faltas.

O amor não vai te condenar, pois Deus que é o próprio amor se deu inteiramente em favor de nossos pecados e não há nada em você que assuste Deus, que o faça te amar menos ou desejar menos saciar a sua sede de eternidade. Assim como Ele revelou a verdade daquela mulher sentada no poço, Ele deseja revelar a sua para que assim você não erre mais o alvo, não peques mais e possa ser verdadeiramente livre para viver e permanecer no amor.

Juntos até o Céu!

Tayná Barbosa
Postulante da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.