O que você faz da vida?

0
vida

A pergunta tema deste artigo pode abranger todos os aspectos da nossa vida, pessoal, familiar, profissional, social, espiritual e emocional. Aqui vamos falar da vida no sentido de bons hábitos entre o tempo que nascemos e morremos.
Dentre o seis aspectos acima citados, apenas um nos traz uma perspectiva de eternidade, ou seja, somente o espiritual pode adentrar na barreira que supera a morte, os demais aspectos ficam com o passar do tempo e do espaço. Esclarecido sobre isso, podemos acrescentar mais um pensamento: o que você tem escolhido como prioridade para nortear as demais partes da sua vida?

A finalidade da vida

“Sede santo, porque Eu, Javé, sou santo” – Lv 11, 44; 19, 02. A resposta é bem clara na palavra de Deus. Ele nos deu esta vida para que sejamos santos, e para o homem, a santidade significa a reunião com Deus. Nossa vida, sem dúvida nenhuma, é o que há de mais precioso aos olhos de Deus e, portanto, nada neste mundo pode superar essa verdade.
Admitido essa verdade, acredito que a primeira coisa a ser escolhida é uma vida espiritual com Deus por meio de uma oração sincera, como a conversa de um pai com o filho, onde não há sombra, mas apenas a luz da verdade.  Uma vida espiritual unida à vontade Deus é uma vida que busca a imitação de nosso senhor Jesus Cristo.

Vida emocional

As emoções são partes essenciais da vida humana. É impossível um ser humano não ter emoções. Elas podem estar contidas, mas existem.
Inúmeras vezes, nas passagens bíblicas, Jesus conhece os corações daqueles que passam pela sua vida terrena. Cristo usa desse conhecimento para converter os corações daqueles que abrem espaço,  seja tocando o Seu manto, gritando o Seu nome ou lavando os Seus pés.
É assim que devemos nos portar no momento de oração, derramando aos pés do Pantokrator toda nossa afetividade, o que estamos sentindo, angústia, depressão, alegria, tristeza, raiva, confiança, etc. Esse é o início de uma vida emocional sob o senhorio de Cristo.

Vida pessoal e social

O reflexo de uma vida espiritual sadia na nossa vida pessoal e social se traduz em hábitos, desde um simples copo de água que podemos escolher entre tomá-lo de uma única vez ou de maneira educada (casta), como também nos locais que frequentamos e as palavras que utilizamos para nos comunicar com as outras pessoas e até mesmo com Deus. Nós nos tornamos mais agradáveis, mas não por isso somos mais queridos.

Vida familiar e profissional

Imitar a Cristo na vida familiar e profissional em primeiro lugar é encontrar o equilíbrio entre a dignidade a ser dada para a família e para o trabalho. Por meio da oração encontramos esse equilíbrio entre essas duas dimensões tão importantes no nosso dia a dia.
Aquele que imita a Cristo se faz dom, doa sempre a sua melhor parte para o outro, seja na troca de uma fralda, uma palavra carinhosa para a esposa, ao preparo da janta para os filhos, como também em projetos e atividades ordinárias do trabalho. É preciso lembrar que a vida é dom quanto mais fazemos com um coração leve, ou seja, como um direito e não uma obrigação. Assim, nosso coração estará mais próximo ao coração de Cristo.

 A vida nova

Para concluir toda essa narrativa, faço lembrança do primeiro milagre de Jesus: as bodas de Caná. Porque quem fez da água o vinho certamente pode a vida transformar. Busquemos diariamente esse vinho pela intercessão da Virgem Santíssima.

Thiago Casarini
Discípulo da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.