O relacionamento com Deus não pode ser conceitual

0
Conceitual

Todo ser humano é chamado a ser íntimo dos seus queridos em seus relacionamentos.

Não há verdadeiros relacionamentos sem intimidade, cumplicidade e amizade.

O ser humano é dotado de grande potência para dar e para receber afeto e amor, ou seja, para viver em comunhão. Afinal, somos criados à imagem e semelhança de Deus, que é Trindade.

Logo, pode um filho não relacionar-se intimamente com sua mãe ou seu pai?

Pode um filho de Deus não relacionar-se com Seu Pai Eterno, Seu Criador, sem afetividade e intimidade?

A resposta a essas perguntas pode ser: até pode, mas NÃO DEVERIA.

O relacionamento com Deus NÃO pode ser conceitual.

Sou filho(a) de um Deus amoroso que sabe ser relacional com intensidade.

É fantástico lermos as passagens bíblicas e perceber o quanto Deus quis, quer e sempre há de querer estar perto e ser próximo de seus filhos.

O Cristianismo nos apresenta um Deus que é PAI, amoroso, cuidadoso e que deseja estar sempre presente e atuar de forma íntima na vida de um(a) filho(a).

Ouso ir além: cremos num Deus que não mede esforços para educar e salvar seus filhos.

Várias passagens bíblicas do Antigo Testamento mostram que tipo de relacionamento Deus deseja e busca construir com cada um de nós.

Nas passagens de Gênesis fica claro que fomos criados para estarmos perto do coração de Deus e viver em profunda intimidade com Ele.

“E eis que ouviram o barulho (dos passos) do Senhor Deus que passeava no jardim, à hora da brisa da tarde…” (Gênesis 3, 8).

Em nossos relacionamentos, quando chegamos ao ponto de reconhecer quem é a pessoa que se aproxima somente pelo barulho dos seus passos, isso indica certo grau de intimidade existente e cultivado nesse relacionamento.

Quando a pessoa ao nosso lado não precisa dizer nada, porque, pelo simples contemplar de sua face e gestos, já intuímos como ela está, isso indica a existência de intimidade e cumplicidade nesse relacionamento.

Deus busca seu povo. Busca seus filhos(as).

Deus buscou Davi e sobre ele derramou Seu amor e Suas bênçãos: “Achei a Davi, meu servo; com santo óleo o ungi, com o qual a minha mão ficará firme, e o meu braço o fortalecerá. O inimigo não o importunará, nem o filho da perversidade o afligirá. E eu derrubarei os seus inimigos perante a sua face, e ferirei aos que o odeiam. E a minha fidelidade e a minha benignidade estarão com ele; e em meu nome será exaltado o seu poder. Porei também a sua mão no mar, e a sua direita nos rios. Ele me chamará, dizendo: Tu és meu pai, meu Deus, e a rocha da minha salvação.” (Salmos 89, 20-26).

Deus não sabe fazer outra coisa senão amar e derramar-se em seus relacionamentos com seus filhos(as). Com Ele não há meio termo, não há superficialidade.

Deus quer construir conosco uma vida, uma história de intimidade, de amizade, de cumplicidade e afetividade. Não é um relacionamento conceitual, institucional e hierárquico.

Deus em Seus relacionamentos constrói ALIANÇAS. Fez isso com Abraão, Moisés, Daniel, Davi, grandes profetas, reis do Antigo Testamento e com tantos outros ao longo da história da humanidade.

 E ele prosseguiu: “Não tenha medo, Daniel. Desde o primeiro dia em que você decidiu buscar entendimento e humilhar-se diante do seu Deus, suas palavras foram ouvi­das, e eu vim em resposta a elas.” (Daniel 10, 12).

No Novo Testamento temos Cristo que viveu seus relacionamentos de forma intensa e íntima, revelando como Deus se relaciona com os Seus.

 “Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer.” (João 15:15).

Poderia ficar aqui páginas e mais páginas citando passagens bíblicas que mostram a forma como Deus se relaciona. Além de tantas passagens bíblicas temos os testemunhos de vida de uma grande variedade de santos que tiveram suas vidas marcadas pela amizade com Deus, com a Trindade, efetivamente mostrando-nos que a amizade com Deus não pode beirar a mediocridade.

A amizade com Deus, o relacionamento com Deus, precisa ser intenso, puro, verdadeiro, sólido e frutuoso.

Intimidade com o Espírito Santo

Você já parou para pensar que você é templo de Deus, do Espírito Santo?

Todo batizado em estado de graça é morada do Espírito Santo.

Temos um Deus que habita em nossa alma. Há sinal maior de intimidade do que isso?

Não, no meu entendimento, não há.

Que maravilha é contemplar essa graça e felicidade!

O próprio Deus, a terceira Pessoa da Trindade, desejou viver em nossa alma, nos conhecer profundamente e intimamente, a fim de construir conosco um laço de amizade, um relacionamento infinitamente profundo e eterno.

Como não responder a isso com um desejo e busca de intimidade com Deus, permitindo que Ele faça parte de nossa vida todos os dias e momentos?

Mesmo diante de uma vida tão corrida e desafiadora, podemos, a cada segundo de vida, contemplar esse mistério de intimidade com Deus, relacionando-nos com Ele por pensamentos, palavras e gestos.

Como é bom saber que nunca estamos sozinhos! Temos um Deus 24h disposto a nos ouvir, falar, consolar, proteger, amar e cuidar dos mínimos detalhes de nossa vida e existência.

Como é bom ser íntima do Espírito Santo!

Como me relacionar com Deus de forma concreta, íntima e profunda?

Permitir se deixar ser amado por Deus é o primeiro passo para crescer na sua amizade e intimidade.

Há várias formas de cultivar a intimidade com Deus. Deus é extremamente criativo e deixa-se encontrar com facilidade.

Gostaria de sugerir três formas bem eficazes:

  1. a) rezar com o Espírito Santo é essencial para nos relacionar com Deus de forma íntima e concreta;
  2. b) buscar os sacramentos, em especial os da Reconciliação e Eucaristia, ajuda-nos na busca diária do relacionar-se com Deus;
  3. c) fazer Adoração a Jesus na Eucaristia estreita nosso olhar, sentimentos e disposição de amar e se deixar ser amado por Deus. Ajuda-nos a aprofundar nossa amizade com Deus.

Deus quer construir um relacionamento profundo e duradouro contigo.

Você tem total liberdade para aceitar ou recusar. Deus respeitará sua escolha.

Seja ousado, permita-se experimentar um relacionamento verdadeiro com Deus.

Permita-se conhecer Deus na intimidade e deixar-se ser conhecido e amado por Ele.

Faça da terra o céu. Sim, o relacionamento com Deus nos ajuda a experimentar um pouco do que viveremos no céu aqui na terra, todos os dias.

Não deixe essa graça e presente passarem.

Todos os santos e santas foram amigos íntimos de Deus.

Nós fomos criados para sermos santos. Logo, ter um relacionamento concreto e íntimo com Deus faz parte da nossa essência, do nosso céu.

Dê o seu sim a Deus: “Senhor, eu quero construir Contigo diariamente um relacionamento íntimo de amizade e cumplicidade”.

Santa Teresinha do Menino Jesus, rogai por nós!

São José, valei-nos!

São João Paulo, rogai por nós!

Marcia Correa
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator 

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.