Organize a gaveta das emoções

0
emoções

Pergunto: O que é o ser humano? É possível um ser humano não ter emoções? As duas perguntas são conexas e, desde sempre, particularmente difíceis. Sócrates, Platão e Aristóteles deram suas definições, de certa forma insuficientes para saciar a sede da humanidade na busca da verdade.

Para nos localizarmos nesta temática, vamos imaginar uma cômoda, um armário ou guarda-roupa com suas belas 5 gavetas, as quais servem para organizar e assim otimizar o uso do nosso tempo, pois quando tudo está misturado, é necessário mais tempo para achar, ou pode ocorrer de ter que usar uma meia de cada par, por exemplo. Então, em uma dessas gavetas guardamos as emoções e, se alguma destas escapar para as outras, o resultado será um balaio de gato do mato.

As outras 4 gavetas são para o humor, sentimentos, afetos e paixões. Esses 5 elementos compõem a nossa afetividade; assim, quanto maior a organização, mais equilibrados afetivamente somos e menos suscetíveis ao pecado estamos.

CONAFECSite

O que são as emoções?

A palavra “emoção”, de origem latina, “ex movere”, significa “mover para fora”. Além da etimologia da palavra, sempre busco a palavra de Deus, pois toda sabedoria vem Daquele Que É, assim tudo começa e termina Nele. Sendo assim, a definição das emoções segundo o Catecismo da Igreja Católica é:

  1. O termo «paixões» pertence ao patrimônio cristão. Os sentimentos ou paixões são as emoções ou movimentos da sensibilidade que inclinam a agir, ou a não agir, em vista do que se sentiu ou imaginou como bom ou como mau.

Ter emoções faz parte da constituição humana, a qual Deus delineou. Porém, é a nossa vontade que determinará se esse movimento de saída será para uma boa ou má ação. Dessa forma, tanto as emoções como os demais 4 elementos da afetividade (humor, sentimentos, afetos e paixões) não são boas nem ruins em sua origem, mas a ação ou omissão que determina. Assim, confirma o CIC[1] em seu artigo 1768:

  1. Os grandes sentimentos não determinam nem a moralidade nem a santidade das pessoas; são o reservatório inesgotável das imagens e afetos com que se exprime a vida moral. As paixões são moralmente boas quando contribuem para uma ação boa, e más, no caso contrário. A vontade reta ordena para o bem e para a bem-aventurança os movimentos sensíveis que assume; a vontade má sucumbe às paixões desordenadas e exacerba-as. As emoções e os sentimentos podem ser assumidos pelas virtudes, ou pervertidos pelos vícios.

Então, assim como o fogo está para aquecer, cozinhar e iluminar, também está para destruir, o que faz da nossa vontade o fator determinante para o bem ou mal. Para nos ajudar nesta definição, Santo Agostinho escreveu: “As paixões são más se o amor for mal, e boas se ele for bom”[2].

Como organizar minhas emoções?

Lembro-me da minha mãe, na época em que eu morava com meus pais, dizendo: “Eu não aguento maissss! Arruma as suas gavetassss!” Delações premiadas à parte, mesmo que tenhamos a vontade de arrumar, sinto lhe informar que ainda será uma bagunça, pois é o AMOR que reordena tudo. E estou falando de uma pessoa, Jesus Cristo!

João 6:38 Porque eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.

A oração de intimidade para com Cristo, pedindo para ele curar nossa afetividade, ordenando tudo para Ele, é a única forma para organizar nossa afetividade. É por meio da herança que Ele nos deu após a Ascensão que é possível responder por AMOR, com AMOR e pelo AMOR.

Trago algumas realidades do mundo que nos impactam a cada dia, tais como: afeição, alegria, ânimo, ardor, atração, calma, compaixão, confiança, coragem, agitação, agressividade, amargura, ansiedade, antipatia, arrogância, cansaço, chateação, ciúme e desânimo. E quais dessas bombas têm incomodado mais você? É com isso que vamos ao encontro do Senhor, oferecendo a nossa verdade, pois nada é impossível para o amor poderoso do Cristo Pantokrator: clamar que Ele viva a Sua Santidade em nós pelos dons do seu Espírito Santo.

Tenhamos muita atenção, pois, seja um impacto positivo ou negativo, o AMOR PODEROSO tudo pode REORDENAR e assim nos proteger do apego aos prazeres do mundo e sustentar nossa esperança em circunstâncias nada confortáveis. Nele somos capazes de responder a tudo com coragem e docilidade.

Thiago Casarini
Discípulo da Comunidade Católica Pantokrator

 

[1] Catecismo da Igreja Católica

[2] Santo Agostinho, De civitate Dei, 14, 7: CSEL 40/2. 13 (PL 41, 410)

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.