Quem como Deus? Ninguém como Deus

0
Ninguém

Eu creio no olhar e proteção de São Miguel Arcanjo sobre cada um de nós! Amém.

Quem é São Miguel Arcanjo?

São Miguel é um dos três Arcanjos de Deus mais conhecido dentro da nossa Fé católica. Conhecido como o guerreiro de Deus, seu nome em hebraico significa “Quem como Deus?”, que quer dizer “ninguém é como Deus”.

Alegra o coração pensar que cada vez que invoco o nome de São Miguel Arcanjo estou naquele momento e situação proclamando que “ninguém é como Deus”.

É considerado o guardião celeste. Aquele que defende o trono de Deus.

Embora, nas Sagradas Escrituras existam poucas passagens sobre São Miguel, elas expressam bem o caráter e missão desse Arcanjo:

O chefe do reino persa resistiu-me durante vinte e um dias; porém, Miguel, um dos principais chefes, veio em meu socorro. Permaneci assim ao lado dos reis da Pérsia” (Dn 10,12).

Naquele tempo, surgirá Miguel, o grande chefe, o protetor dos filhos do seu povo. Será uma época de tal desolação, como jamais houve igual desde que as nações existem até aquele momento. Então, entre os filhos de teu povo, serão salvos todos aqueles que se acharem inscritos no livro” (Dn 12,1).

Houve uma batalha no céu. Miguel e seus anjos tiveram de combater o Dragão. O Dragão e seus anjos travaram combate, mas não prevaleceram. E já não houve lugar no céu para eles” (Ap 12,7-8).

Segundo a tradição da Igreja, São Miguel é do povo que teme a Deus! Deus conferiu a ele algumas missões importantes: auxiliar na condução das almas para o céu, defender a Igreja e o povo de Deus dos ataques do demônio, resgatar as almas dos fiéis do poder do demônio, especialmente na hora da morte e lutar contra Satanás.

As imagens que representam São Miguel Arcanjo nos mostram a figura de um anjo destemido e forte, que tem na sua mão esquerda uma espada ou uma lança ou uma balança representando a justiça e salvação de Deus. Além disso, suas representações nos mostram que ele está sempre em posição de ataque, esmagando com o seu calcanhar a cabeça do demônio, que está prostrado ao chão.

É evidente que São Miguel é um guerreiro fiel e corajoso de Deus, sempre pronto para defendermos no combate.

São Miguel também é conhecido como o príncipe da humildade. No seu nome “ninguém é como Deus” revela-se a sua humildade e verdade, proclamando que não existe absolutamente ninguém como Deus. Humildade tão peculiar que sempre derrota o mal e agrada o coração de Deus. Graças à humildade, São Miguel atrai o olhar do Deus Poderoso, conferindo a ele as graças necessárias para ser vitorioso na luta contra Satanás. A grandeza de São Miguel está na sua humildade, na sua pequenez.

Segundo a tradição católica, na pequena cidade de Monte Sant’Angelo, na Itália, o Arcanjo teria aparecido ao bispo de Siponto no ano 493 e ordenado a construção de um santuário de devoção e oração. Mil anos depois, ele apareceu no mesmo local dizendo a outro bispo: “Sou o Arcanjo São Miguel. Qualquer um que use as pedras desta caverna será libertado”.

A tradição conta também que em 13 de outubro de 1917 Nossa Senhora de Fátima pediu a São Miguel que participasse das dramáticas imagens finais representadas a Francisco, Jacinta e Lúcia, enquanto cem mil pessoas contemplavam o milagre do Sol.

Creio que por vontade de Deus, inúmeras vezes na história da humanidade, São Miguel Arcanjo se fez e faz presente em várias intervenções e até mesmo aparições a Papas, santos e a todo batizado.

São Pio IX escreveu: “São Miguel é quem tem maior capacidade para exterminar as forças malditas, filhos de satanás, que juraram a ruína da sociedade cristã”.

De forma muito concreta, a Igreja ensina-nos a ter devoção aos anjos no combate espiritual. Ensina-nos a recorrer a São Miguel Arcanjo. Em 1994, São João Paulo II, numa de suas catequeses semanais ministradas, enfatizou a importância, para o católico, de saber de cabeça a oração a São Miguel Arcanjo.

Quem como Deus? Ninguém como Deus

São Miguel Arcanjo nos aponta a importância grandiosa da HUMILDADE. Toda criatura criada por Deus é chamada a reconhecer a grandiosidade e magnanimidade de Deus Criador. Dentro da caminhada vocacional rumo ao céu, precisamos lutar contra o orgulho enraizado no nosso coração e alma.

Todos, sem exceção, temos tendência ao orgulho! Uns mais, outros menos. Mas, todos têm tendência a cometermos o pecado do orgulho.

Mas, não estamos sozinhos nessa luta! Podemos e devemos contar com a intercessão dos santos, o sufrágio dos anjos, os Sacramentos e as graças concedidas através da vida de oração.

O orgulho é um pecado capital, raiz para vários outros pecados. Adão e Eva pecaram porque ofenderam a Deus e quiseram igualar-se a Ele (orgulho). Satanás pecou e decaiu porque queria ser como Deus (orgulho). Na maioria das ocasiões, o orgulho nos leva a perder o senso de realidade de quem de fato somos diante de Deus!

Cristo morreu na Cruz pelos pecados de quem? Pelos meus pecados. Assim como pelos seus também.

Quais são os meus méritos? Nenhum.

Por que me sinto injustiçada quando não sou reconhecida ou elogiada? Orgulho!

Por que a humilhação dói na carne? Orgulho!

Por que é difícil aceitar a vontade de Deus quando ela é contrária a minha? Orgulho!

Foi na soberba que teve início toda a perdição” (Tb 4, 14).

Precisamos olhar para nós mesmos, para nossas atitudes, sentimentos e pensamentos e identificar as raízes do orgulho. Reconhecer que nas sutilezas de nosso cotidiano, escondem-se pensamentos, pequenas atitudes ou falta delas por conta do orgulho. Por conta da falta de humildade.

Pergunto-me: será que tenho perdido ou desperdiçado graças por conta da minha falta de humildade no coração? Acredito que sim! O desapegar-se do orgulho é um processo longo, árduo e constante.

Mas, não desanimo. E convido você a não desanimar também!

Diariamente podemos tomar pequenas doses de humildade começando com o fortalecimento da gratidão a Deus por tudo o que somos e temos.

“Senhor, sou grata por tudo o que sou e tenho. Sou grata também por tudo o que não tenho. Sou grata por sua misericórdia e compaixão para comigo. E, principalmente, sou grata por toda e qualquer situação de humilhação ajudar-me a enxergar o meu lugar e o meu nada”.

Os santos aprenderam a cultivar e desejar a humilhação! Num primeiro momento, parece ser insano desejar ser humilhado! Entretanto, nesse desejo esconde-se uma pedagogia: a pessoa que deseja a humilhação é aquela que aprendeu a acolher e aproveitar toda e qualquer situação de humilhação fazendo dela uma oferta agradável a Deus. Santa Teresinha do Menino Jesus viveu isso de forma magistral! Ela ofertava cada humilhação vivida, fosse pequena ou grande. Agradecia a Deus por cada humilhação porque através dela ela aprendia qual era o lugar dela: o último lugar.

Não há ninguém como Deus! Deus é nosso Tudo, Senhor de nossa vida!

 Devoção a São Miguel Arcanjo

Todo devoto a São Miguel Arcanjo sabe de coração e cabeça a seguinte oração:

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate, sede nosso refúgio contra a maldade e as ciladas do demônio. Ordene-lhe Deus, instantemente o pedimos, e vós príncipe da milícia celeste, pelo Divino Poder, precipitai ao inferno a satanás e a todos os espíritos malignos, que andam pelo mundo para perder as almas. Assim seja!

Leão XIII redigiu essa oração. Mons. Rinaldo Angeli, seu secretário particular, certa vez comentou: “Leão XIII teve verdadeiramente a visão de espíritos infernais que se adensavam sobre a cidade eterna (Roma); e foi desta experiência que nasceu a oração que ele quis toda a Igreja rezasse. Esta oração rezava-a ele com voz viva e vibrante: ouvimo-la muitas vezes na Basílica do Vaticano”.

Antigamente, havia uma prescrição do Papa para que no final de cada santa Missa privada celebrada, o padre rezasse três Ave-Marias, uma Salve Rainha, uma oração clamando auxílio à Igreja e concluísse com a oração a São Miguel Arcanjo, em invocação ao Sagrado Coração de Jesus.

Deus criou a hierarquia e milícia celestes. Deus confere a cada filho de Deus um Anjo da Guarda. Logo, os anjos são e sempre serão um auxílio indispensável na nossa vida de conversão e santidade.

Devemos sempre recorrer à proteção dos anjos, rezar com eles e permitir a presença real deles no nosso cotidiano de nossa vida.

Que possamos aprender com São Miguel a ser pequenos e humildes.

Que clamemos a sua proteção em todas as nossas lutas espirituais.

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate em todas as nossas necessidades!

Amém.

Marcia Maria Togne1 Correa
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.