Quero te fazer amado

0
amado

Quem é que não gosta de ser amado? Receber carinho, atenção, cuidado; ações que são
destinadas àquele que é alvo do amor. Quando falamos de relacionamento com Deus, isso
também não é diferente. Nascemos da explosão do Seu amor e mesmo quando não éramos
dignos de Sua admiração, Ele nos surpreendeu, desceu à nossa humanidade, nos elevou à Sua dignidade, foi até às últimas consequências e nos resgatou a preço de sangue. A resposta diante deste Amor Poderoso não é outra, senão desejar retribuir em fidelidade. “Tu bem sabes, oh meu Deus, para amar-Te neste mundo, não tenho nada mais que hoje” Santa Teresinha.

Só tenho hoje!

Um amor que é mais que um sentimento, mas um processo de amadurecimento, confiança e abandono. “A história do amor entre Deus e o homem consiste precisamente no facto de que esta comunhão de vontade cresce em comunhão de pensamento e de sentimento e, assim, o nosso querer e a vontade de Deus coincidem cada vez mais: a vontade de Deus deixa de ser para mim uma vontade estranha que me impõe de fora os mandamentos, mas é a minha própria vontade, baseada na experiência de que realmente Deus é mais íntimo a mim mesmo de quanto o seja eu próprio. Cresce então o abandono em Deus, e Deus torna-Se a nossa alegria (cf. Sal 73/72, 23-28).” ¹

O que agrada o coração do Amado?


Se queremos fazer Deus amado, precisamos descobrir o que agrada Seu coração. E esse
conhecimento vem pela vida de intimidade, por meio da Vida de Oração. Que pessoa
apaixonada não quer encontrar seu amado? Não conta as horas e os minutos para estar em
sua presença? Orar é um gesto de amor, eu dedico um tempo para o meu amado, eu quero
ouvir o que Ele tem para falar, fazer companhia e também entrego tudo que há em meu
interior. “A oração não consiste em pensar muito, senão em amar muito” Santa Teresa D’Ávila.

Muitas vezes, começamos com uma grande empolgação, queremos fazer atos grandiosos e
não percebemos que o amor a Deus começa pela obediência à Sua palavra, que se manifesta, na maioria das vezes, nas pequenas coisas, nos pequenos sacrifícios diários. Nem precisamos procurar muito. O nosso dia está cheio de ocasiões para demonstrarmos o nosso amor a Deus.

Na família, no trabalho, nos estudos, no lazer e em todo lugar. Podemos provar esse amor a Deus por meio da fidelidade, da paciência, da disciplina, da caridade, do perdão, da humildade. Outra forma é reconhecê-Lo no próximo. “Eu vejo com os olhos de Cristo e posso dar ao outro muito mais do que as coisas externamente necessárias: posso dar-lhe o olhar de amor de que ele precisa. Aqui se vê a interação que é necessária entre o amor a Deus e o amor ao próximo, de que fala com tanta insistência a I Carta de João. Se na minha vida falta totalmente o contato com Deus, posso ver no outro sempre e apenas o outro e não consigo reconhecer nele a imagem divina”.²

Permanecei no Amor

Não podemos nos afastar do nosso Amado. Na distância, podemos ser seduzidos por outros
amores. É necessário permanecer no amor: “Se guardardes os meus mandamentos, sereis
constantes no meu amor, como também eu guardei os mandamentos de meu Pai e persisto no seu amor. Disse-vos essas coisas para que a minha alegria esteja em vós, e a vossa alegria seja completa.” (Jo 15, 10-11).
Eis o segredo para nossa felicidade: guardar os mandamentos do Senhor, permanecer na Sua palavra, ser gerados pela Sua vontade. Quantas vezes, as preocupações do cotidiano nos tiram dessa presença e nos vemos fracos e incapazes de prosseguir. Precisamos voltar, permitir ser tocados por Sua graça, respirar o Seu perfume: pela vida de oração, pelos sacramentos, pela vida no Espírito, pela busca das virtudes. Quanto mais O desejamos, Ele também nos deseja.

Anseio por Ti

“Exalaste Teu Perfume e respirei. Agora suspiro por Ti, anseio por Ti! Deus… de Quem separar-se é morrer, de Quem aproximar-se é ressuscitar, com Quem habitar é viver. Deus… de Quem fugir é cair, a Quem voltar é levantar-se, em Quem apoiar-se é estar seguro. Deus… a Quem esquecer é perecer, a Quem buscar é renascer, a Quem conhecer é possuir. Foi assim que descobri a Deus e me dei conta de que, no fundo, era a Ele, mesmo sem saber, a Quem buscava ardentemente o meu coração”. ³

 

Referências
1. Deus caritas est,17
2. Idem Ibidem, 18
3. Santo Agostinho, Confissões 10, 27-29

Andressa Silva
Consagrada da Comunidade Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.