Perdoar é esquecer?

0
perdoar

Perdoar é o movimento de Deus que nos permite restaurar nossa identidade de filhos d’Ele. Seu amor misericordioso culmina no perdão, e é nessa realidade que se fundamenta todo o cristianismo. Jesus morreu numa cruz por todo pecado humano, e por isso o Pai nos perdoa todas as vezes que ferimos seu coração. Sem o perdão, estaríamos condenados. Sem o perdão, não poderíamos voltar à nossa própria casa como fez o filho pródigo. Se Deus, Rei do universo e Senhor de todas as coisas, perdoa cada ser humano que se arrependa de cometer um ato contra Seu amor, então nós humanos também somos capazes de perdoar os nossos irmãos.

A maioria das pessoas encontra muita dificuldade em perdoar aqueles que um dia a feriram, mas quando se entende que perdoar está longe de significar esquecer, a chave vira. Talvez nunca de fato esqueçamos uma situação ruim que alguém tenha nos causado, mas isso não significa que não somos capazes de tirar a culpa dessa pessoa. Perdoar é, na verdade, permitir que aquela pessoa ou situação cometida não moldem mais seus comportamentos e atitudes. É não se permitir ser conduzido e gerado pela ferida ou mágoa, mas olhar além dela.

“Antes, sede uns com os outros bondosos e compassivos. Perdoai-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou, em Cristo.” (Ef 4, 32).

Perdoar como caridade

Eu não sei o quanto te parece injusto retirar a culpa de um irmão que te feriu. Mas por acaso era justo que o Filho de Deus morresse pela humanidade de um modo tão cruel? Por acaso é justo que o Senhor perdoe todas as suas faltas mesmo sabendo que você irá cometê-las novamente? Nem sempre os desejos de Deus são justos aos olhos do homem, e é por isso que perdoar se torna um grande ato de caridade e amor.

Ainda que seu irmão não mereça o perdão, você o dá. Ainda que ele sequer tenha pedido o seu perdão, você o entrega. E ainda que isso não faça diferença alguma na vida dele, com toda certeza fará na sua. Porque um coração generoso no perdoar receberá a generosidade de Deus para ser perdoado. “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão miseri­córdia!” (Mt 5, 7).

Perdoar para liberdade

Toda vez que alguém te marca, seja positiva ou negativamente, algo muda dentro do seu coração e essa impressão pode ficar lá por muito tempo. Quando a impressão é negativa e gera traumas, mágoas ou inseguranças, somos nós que sofremos muito mais do que a pessoa que nos feriu. Por isso, perdoar é um passo de liberdade da nossa própria alma.

O primeiro passo para ordenarmos nossa história e nossos afetos para o amor e a alegria é através do perdão. A falta de perdão a Deus extermina a memória de fé, a falta de perdão a si mesmo elimina a memória da esperança, e a falta de perdão ao próximo elimina a memória do amor. A falta de perdão, portanto, causa um dano muito maior que o trauma em si na nossa alma, e sem ele não podemos ser livres como Deus nos criou para ser. (Fio de Ouro, parte I, capítulo X).

O primeiro passo para perdoar alguém é nos reconhecer como necessitados de perdão em primeiro lugar. Somos seres falhos, miseráveis, cheios de erros e que um dia estaremos na posição de precisar de redenção, se não neste mundo, ao entrar na vida eterna. Ao nos reconhecer miseráveis e necessitados de misericórdia, podemos ter misericórdia para com os irmãos.

Não é fácil trilhar esse caminho, e não pense que perdoar acontece do dia para noite. É um processo, que com a graça de Deus torna-se mais leve e mais fácil. Lembre-se sempre de que você precisa perdoar a pessoa, e não o erro. Não é possível diminuir ou anular a gravidade de um erro, e não é isso que o perdão busca. Perdoar é sempre sobre alguém, alguém que sem dúvida alguma também é um filho amado de Deus assim como você e que, ainda que não busque ser santo ou sequer se arrependa de seus atos, necessita de amor.

Giovana Cardoso
Discípula da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.