Sagrado Coração de Jesus

0
coração

O Coração de Jesus é uma fornalha ardente de caridade! Não há aquele que se aproxime desse fogo de amor, dessa chama divina que não seja aquecido e transformado por ele. Neste mês de junho, somos presenteados com a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, a fim de crescermos em intimidade com Ele e a imitá-l’O mais de perto. “Culto ao amor divino e humano do Verbo encarnado, e também o culto àquele amor com que o Pai e o Espírito Santo amam os homens pecadores”¹. Atualmente, a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus acontece na sexta-feira seguinte à Solenidade de Corpus Christi.

Adorável Coração de Jesus

Falar da devoção ao Sagrado Coração de Jesus é falar de um Amor Incondicional, que desceu até a nossa escravidão e nos resgatou a preço de Seu Sangue. Um Amor Poderoso e efetivo, atestado nas Sagradas Escrituras. “Suas centelhas são centelhas de fogo, uma chama divina. As torrentes não poderiam extinguir o amor” (Ct 8,6-7). “O adorável coração de Jesus Cristo pulsa de amor ao mesmo tempo humano e divino desde que a Virgem Maria pronunciou aquela palavra magnânima: ‘Fiat’².

Um amor em movimento e doação. Por onde passava expressava o seu desejo pelo bem da humanidade. “De maneira semelhante palpitava de amor o seu coração, em perfeita harmonia com os afetos da sua vontade humana e com o seu amor divino, (…) amor que movia o seu coração nas suas contínuas excursões apostólicas, quando realizava aqueles inúmeros milagres, quando ressuscitava os mortos ou restituía a saúde a toda sorte de enfermos, quando sofria aqueles trabalhos, suportava o suor, a fome e a sede; nas vigílias noturnas passadas em oração a seu Pai amado”³.

Devoção 

O culto e devoção ao Sagrado Coração de Jesus é uma prática antiga, desde os Padres da Igreja e Santos, entre eles, S. Boaventura, S. Alberto Magno, S. Gertrudes, S. Catarina de Sena, o Beato Henrique Suso, S. Pedro Canísio e S. Francisco de Sales. A S. João Eudes deve-se o primeiro ofício litúrgico em honra do sagrado coração de Jesus, cuja festa se celebrou pela primeira vez, com o beneplácito de muitos bispos de França, a 20 de outubro de 1672. Mas entre todos os promotores desta excelsa devoção, merece lugar especial S. Margarida Maria Alacoque, que, com a ajuda do seu diretor espiritual, o beato Cláudio de la Colombière, e com o seu ardente zelo, conseguiu, não sem admiração dos féis, que este culto adquirisse um grande desenvolvimento e, revestido das características do amor e da reparação, se distinguisse das demais formas da piedade cristã4.

Vários papas incentivarem esta devoção por meio de Encíclicas, entre eles, Leão XIII na “Annum Sacrum” (1899), deixou-nos a Oração para consagração ao Sagrado Coração. Pio XI na “Miserentissimus Redemptor” (1928); Pio XII na “Haurietis Aquas” (1956); João Paulo II na “Redemptor Hominis” (1979) e Bento XVI em Carta ao Pe. Kolvenbach, Geral da Companhia de Jesus, falaram da importância dessa devoção. Em 1872, Pio IX concedeu indulgências especiais aos que portassem o escapulário com a imagem do Sagrado Coração5.

Como corresponder esse amor?

Como corresponder a tamanho amor?! Nossa amiga Santa Teresinha do Menino Jesus nos dá várias pistas: “… Compreendi que meu amor não se devia traduzir somente por palavras”. “Não é bastante amar, é preciso prová-lo!” A nossa resposta frente a esse amor poderoso de Deus deve ser efetiva. O que posso fazer para agradar o coração de Jesus? O que dentro de mim o desagrada?  São reflexões necessárias para crescermos e para permitirmos que Ele nos ajude a voltar ao calor de seu amor e proteção. É o Espírito Santo que nos impulsiona a ter atitudes concretas de conversão e de rompimento com o mal.

Muitos são os males desse mundo, que atingem a nossa vida e levam-nos ao distanciamento da fé, frieza, desperança, ódio, individualismo, materialismo, pecados. Mas a fornalha de amor Deus é capaz de transformar todas as coisas e nos devolver a vida do Alto! Permita ser incendiado por esse amor.

Consagração do gênero humano ao Sagrado Coração de Jesus

“Dulcíssimo Jesus, Redentor do gênero humano, lançai sobre nós, humildemente prostrados na vossa presença, os vossos olhares. Nós somos e queremos ser vossos; e, a fim de podermos viver mais intimamente unidos a Vós, cada um de nós se consagra, espontaneamente, neste dia, ao vosso Sacratíssimo Coração. Muitos hão que nunca vos conheceram; muitos, desprezando os vossos Mandamentos, vos renegaram. Benigníssimo Jesus, tende piedade de uns e de outros e trazei-os todos ao vosso Sagrado Coração. Senhor, sede Rei não somente dos fiéis, que nunca de Vós se afastaram, mas também dos filhos pródigos, que vos abandonaram; fazei que estes tornem, quanto antes, à Casa paterna, para não perecerem de miséria e de fome. Sede Rei dos que vivem iludidos no erro ou separados de Vós pela discórdia; trazei-os ao porto da verdade e à unidade da fé, a fim de que, em breve, haja um só rebanho e um só Pastor. Senhor, conservai incólume a vossa Igreja, e dai-lhe liberdade segura e sem peias; concedei ordem e paz a todos os povos; fazei que, de um polo a outro do mundo, ressoe uma só voz: louvado seja o Coração divino, que nos trouxe a salvação; honra e glória a Ele, por todos os séculos ”6. Amém.

Andressa Aparecida da Silva
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.