Seja comprometido com as pessoas

0
comprometido

Tenho uma amiga que sempre diz que nosso coração é construído por pedacinhos e histórias de cada um daqueles que tem um papel significativo em nossas vidas, seja ele um impacto positivo ou um não tão bom assim. E ela não está errada, a nossa história é composta pela participação de muitos, nós somos os protagonistas, mas há secundários fundamentais. Mas do mesmo modo eu sou parte do coração de alguém, da história de alguém, será que sou comprometida com a minha participação na vida do outro? Será que você é comprometido com o impacto que exerce na vida daqueles que passam por você? Ou para você tanto faz?

Pense naquelas pessoas que com uma fala, um abraço, um encorajamento, escuta ou testemunho de vida marcaram a sua completamente: ela ou ele com certeza eram comprometidos com o papel que exerceriam na sua vida e tiveram, assim, um potencial transformador. Essas pessoas não passam apenas em nossas vidas, elas nos marcam e revelam amor, verdade, paciência e misericórdia em momentos da nossa história que nem sabíamos que precisávamos.

Se eu me comprometer eu vou me anular?

É claro que isso não significa que a vida dos outros deve sugar a nossa, ou aniquilar a nossa existência. A questão é que a nossa vida, com a graça que ela é, não pode apenas nos bastar, o meu “eu” deve ser ampliado para que eu possa tocar e ser testemunho da Verdade e do Amor de Deus, na vida daqueles que eu não só passarei, mas marcarei. Ademais, ser comprometido com os outros mostra que entendemos o significado e a potência das nossas vidas e que compreendemos como é egoísta reter esse significado só em nós mesmos.

Quando Deus nos criou, Ele nos deu algo que só Ele tinha: a existência. E ao nos dar a vida, o Pai nos concedeu o dom: a nossa vida é dom de Deus. Quando o Pai nos criou, o seu coração se encheu da mais profunda alegria, encheu-se de Amor e euforia, porque Ele tinha dado de Si. Ele não precisava, mas amando como nos ama, deu de Si e conseguiu sentir ainda mais amor. Como fomos criados à Imagem e Semelhança do Pai, nós também nos completamos quando damos de nós mesmos para os outros, a nossa existência – ao se esvaziar para dar ao outro – se completa em Amor e Significado.

A identidade é ainda mais autêntica quando ela se compromete com aqueles que estão ao seu redor, porque nesse extravasar de amor e comprometimento há o dom da vida para fora de si. Há sentido, há missão. Somos chamados a ser para os outros, somos chamados desde o ventre a ser sinal de Amor, a tocar a vida do outro. Além disso é muito interessante perceber que qualitativamente o jeito que eu sou comprometida não é o mesmo jeito que o do fulano, porque o meu dom se manifesta de um jeito e o do fulano de outro, de acordo com a identidade e missão de cada um.

Mas como ser comprometido?

Tem uma frase que eu gosto muito que diz assim: “Todos aqueles que você conhece estão passando por algo que você não tem ideia do que seja, por isso seja gentil e bom. Sempre.” Ser comprometido significa não julgar, ser bom e honesto sempre com a realidade do outro. É estar de coração aberto e comprometido, estando sensível ao outro, para que a partir do meu comprometimento eu possa tocar e a vida daquele que me chama a compartilhar ao meu dom.

Que o Espírito Santo nos guie e nos ilumine para que sempre tenhamos um coração comprometido com as pessoas, e que nos inspire nas abordagens e formas corretas de nos fazer presentes na vida daqueles que precisam do nosso dom e comprometimento. Amém!

Ana Clara Borges Gonçalves
Engajada na Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.