Todas as vidas importam

0
vidas importam

“Todas as vidas importam”, a frase que dá nome a esse artigo ganhou notoriedade em contraponto ao movimento “Vidas negras importam”. Certamente você deve ter visto ela por aí em alguma rede social sendo usada para dizer que não devemos distinguir as vidas importantes por causa de raça, cor, sexo, nacionalidade e afins. Afinal de contas de fato todas as vidas importam.

Como sempre faço nos textos por aqui, proponho refletirmos sobre essa questão para além de polêmicas e ideologias. Fica aqui até o final que vai valer a pena!

No contexto social que vivemos atualmente é bem comum que as discussões sobre qualquer tema, saiam do âmbito racional e acabem em ofensas e brigas entre as pessoas. Tudo isso porque o desejo que muitas vezes temos de nos posicionar sobre variados assuntos, obscurece nossa capacidade de silenciar e analisar os fatos e cair na real que não precisamos emitir opinião sobre tudo. E foi nesse contexto que a frase “todas as vidas importam” surgiu.

Contra um movimento ideológico podemos bradar “todas as vidas importam” como um grito de guerra, ou apenas uma hashtag do momento que nosso grupo esteja usando. Legal! Mas e quando é a vida de alguém que me magoou profundamente e eu não consigo perdoar e desejo que morra na primeira oportunidade, essa vida importa? Ou quando alguém comete um crime hediondo e eu desejo pena de morte ainda que ela se arrependa verdadeiramente do que fez e esteja num caminho de mudança de vida, essa vida importa?

Essas são situações que uso de exemplo apenas para provocar a reflexão, porque quando dissermos “todas as vidas importam” não pode ser apenas uma emoção de momento, precisamos ter essa certeza no nosso coração de que todas as vidas importam sem exceção. E sabe porque vidas importam? Porque “vida” não é um ente desencarnado, alguém possui essa vida. Há uma criatura humana que vive essa vida, sem essa materialidade o termo “vida” seria apenas um termo vazio de sentido.

É de suma importância que entendamos e assumamos essa verdade de que ao dizer essa frase nos referimos aos seres humanos que temos a nossa volta ainda que não os conheçamos, independentemente de raça, cor, sexo, nacionalidade, ideologia e afins.

O mandamento do Senhor é claro ao dizer “ame o próximo como a si mesmo” e é isso que deve nortear o grau de importância das pessoas, das vidas, ao nosso redor. Vejam que não há distinção de quem é o próximo. Todos devem ser amados nessa medida.

Vamos aderir essa frase “todas as vidas importam” em seu sentido pleno e concreto. Amando o próximo como a nós mesmo. E amor é ação, movimento de saída de nós mesmo ao encontro do outro.

Darei esmola porque a vida do mendigo importa.

Tratarei bem e com um sorriso aquela pessoa chata do trabalho, porque a vida dela importa.

Servirei a minha família com alegria e amor em todas as ocasiões, porque a vida deles importam.

Não chegarei atrasado aos compromissos e cumprirei minha palavra com comprometimento autêntico, porque a vida e o tempo dos outros importam.

Termino a reflexão de hoje fazendo um convite para que da próxima vez que ver ou ouvir a frase “todas as vidas importam” lembre-se de que ela é um convite ao amor pelo próximo. Onde enxergamos que não apenas a minha vida importa ou a de negros, brancos, amarelos, católicos, etc. Completemos a frase como um autêntico cristão deve fazer “todas as vidas importam e vou amá-las como a mim mesmo”.

Que o Bom Deus nos abençoe e a Virgem Santíssima nos guie nessa jornada de amar sem medidas ou distinção.

Fernanda Guardia
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator 

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.