Você honra os seus pais?

0
honra

Tenho pensado muito nisso, tenho reconhecido como a honra aos pais é pouco refletida, bem como é pouco vivida, experimentada e concretizada com sentido.

A minha irmã mais nova estava assistindo um programa infantil esses dias, sentei-me ao lado dela e comecei a reparar em como uma das personagens tratava os seus pais. Ela é uma personagem com um jeito um pouco mais rebelde, mas a impassividade dos pais diante da forma que a menina os tratava me chocou. Eles compreendiam que ela estava sendo grosseira, mas fazer o que? Ela é uma jovem, essas coisas acontecem, faz parte. Depois comecei a notar em outros programas, inclusive em canais de YouTube a forma em que os filhos tratam os seus pais, e como os pais reagem diante desse tratamento. Depois reparei ao meu redor, nos meus amigos, e por fim na minha relação com os meus pais.

Não, não faz parte. Não é normal, além de ser grosseiro e sem educação, é desonroso. E não é apenas uma desonra moral ou ética, há a desonra a um desígnio de Deus, há a desonra de um mandamento! Isso é muito sério, muito importante e fundamental para nossa relação com Deus.

Deus criou o pai e a mãe, e viu que aquilo era bom!

Mas vamos para o princípio. Antes de sermos filhos de nossos pais, somos filhos de Deus, dessa forma o Pai confia ao humano o dom da maternidade e da paternidade, o dom de dar à vida a vida. Assim, podemos entender que nossos pais são instrumentos fundamentais da criação divina, eles são as vias que nos dão a graça de viver e de experimentar pela carne, pelo espírito, pelo intelecto, pelos sentimentos e emoções o Amor de Deus.

Se o seu pai e a sua mãe não tivessem dado o sim à sua vida, você não teria a possibilidade de experimentar o Amor do Pai por você. Essa magnanimidade da missão de um pai e de uma mãe são o primeiro indício do porquê da honra, pois isso evidencia que não estamos honrando apenas um homem e uma mulher que biologicamente fecundaram e nos colocaram no mundo, estamos honrando instrumentos do projeto da criação. Se honramos os meios da criação, honramos a criação e, consequentemente, honramos o Criador. Honrar os nossos pais é honrar o Pai, é honrar o Seu Amor infinito por nós.

A destruição da lógica da criação

Essa concepção que é bem lógica tem sido cada vez mais distorcida para parecer mais ilógica, isso porque há um projeto de degradação das famílias. Ademais, não é conveniente para Satanás que reconheçamos o bem e a beleza da criação já no íntimo do nosso lar. É conveniente que procuremos fora, e quanto mais nós saímos, mais fácil é de nos perdermos e de nos vislumbrarmos com as supostas e aparentes belezas do pecado. Isso não significa que não há beleza fora, mas é fato que quando reconhecemos na harmonia da relação com nossos pais a presença de Deus, a nossa base fica mais sólida pela certeza do Amor do Pai, evidente já em nossos pais da Terra.

Honrar pai e mãe não é endeusar pai e mãe.

Nossos pais são homens e mulheres, pecadores como todos. A honra aos pais não significa que é a honra a pessoas imaculadas ou perfeitas, mas sim que devemos sempre orar para que esses instrumentos da experimentação do Amor de Deus sejam cada vez mais próximo do céu. Honrar nossos pais é acolhê-los, escutá-los com amor e paciência, é ser livre e respeitoso na forma de lidar, é amar. Amar no concreto, nos afazeres, na obediência, na gentileza, na escuta, no tato e no diálogo. Amar nossos pais é rezar e interceder por eles, é prestar auxílio quando formos capazes, é rezar pela alma quando partirem, é perdoar e não ressentir quando errarem. E eles erraram, erram e errarão, de novo repito, eles não são perfeitos.

Venho de uma realidade familiar muito estável e tranquila, mas sei que a de muitas pessoas não é assim. Os erros dos meus pais são completamente escusáveis, compreensíveis e naturais, claro que me impactam, mas cabe a mim também perdoar e decidir como interpretarei esse erro, e interpreto na verdade: são deslizes das vias de Deus tentando me aproximar, de maneira imperfeita, do Amor Perfeito. Mas mais uma vez, eu sei que há realidades mais imperfeitas do que a minha.

Há pais que se afastam completamente do desígnio da criação, há pais cruéis, há pais que infelizmente cometem absurdos como os abusos, a exploração, a violência… Como honrar esses pais? Eles são dignos de honra?

São dignos de honra, porque são os realizadores da Vontade de Deus, a sua vida. Pode ser revoltante, eu sei, mas a maior forma de honrar um pai e uma mãe que fazem tudo, menos o papel de pai e mãe, é rezar para que a misericórdia de Deus os alcances. É interceder com toda a contrição pela conversão dessas pessoas que desonraram o papel delas com o Senhor. Honrar não é bajular ou ser ingênuo, é ter consciência da ação poderosa de Deus através da concessão do dom da vida, e a partir desse conhecimento – que não é só intelectual, mas também transcendental – amar através da oração. É um gesto de honra, mas também de caridade.

Que o amor aos seus pais não seja expresso apenas nos posts de maio e agosto, mas que seja efetivado na honra a essas pessoas que tanto buscam realizar a Vontade de Deus na Terra. Que o amor e a honra aos seus pais seja expressão vivíssima e atual do Amor ao Pai que tanto te ama.

Louvado seja Deus pelos nossos pais, louvado seja Deus pelo Seu Amor por nós!

Ana Clara Gonçalves
Vocacionada na Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.