São Boaventura, bispo e doutor

0
boaventura

“O gozo espiritual é o melhor sinal de que a graça habita em uma alma”, escreveu uma vez São Boaventura, doutor da Igreja, conhecido como “Doutor Seráfico”, por seus escritos cheios de fé e amor ao Senhor. Sua festa é celebrada neste dia 15 de julho.

São Boaventura nasceu na Itália por volta de 1221. Depois de tomar o hábito da ordem franciscana, estudou na Universidade de Paris (França). Posteriormente, ensinou Teologia e Sagrada Escritura nesse mesmo centro de estudos.

Dedicava muito tempo à oração e seu rosto alegre e sereno era o reflexo de sua alma. Entretanto, começou a se considerar indigno, cheio de faltas, e algumas vezes se abstinha de comungar, embora sua alma desejasse receber a Eucaristia com todo seu amor.

Mas, Deus lhe mostrou sua misericórdia e teve uma revelação divina em que recebeu a comunhão. Desde aquele dia, São Boaventura comungou normalmente e depois se preparou para receber a ordem sacerdotal.

Compôs seu “Comentário às Sentenças de Pedro Lombardo”, que é uma grande suma de teologia escolástica. “A maneira como se expressa sobre a teologia, indica que o Espírito Santo falava por sua boca”, dizia o Papa Sisto IV sobre esta obra.

Nessa época, foi desencadeado um ataque de alguns professores da Universidade de Paris contra os franciscanos, produto da inveja e desconforto que geravam os êxitos pastorais da vida santa dos membros da ordem.

O Papa interveio e, depois de uma investigação, devolveu aos filhos de São Francisco suas cadeiras. Em 1257, São Boaventura e Santo Tomás de Aquino receberam o título de doutores.

… o texto continua após a imagem…

São Boaventura foi eleito superior geral dos frades menores e assumiu uma ordem dividida entre os que pediam uma severidade inflexível e os que desejavam que se mitigasse a regra original. Dessa maneira, o santo começou a escrever a vida de São Francisco de Assis.

Em uma ocasião, Santo Tomás de Aquino foi visitar Boaventura quando escrevia sobre “o pobre de Assis”. Ao chegar, encontrou-o em sua cela em plena contemplação e Santo Tomás se retirou dizendo: “Deixemos um santo trabalhar por outro santo”. Esta obra biográfica se chamou “Lenda Maior”.

Foi nomeado Cardeal Bispo de Albano e chamado imediatamente para Roma. O Papa Gregório X lhe encomendou a preparação dos temas do Concílio ecumênico de Lyon sobre a união com os gregos ortodoxos, no qual participou ativamente.

Renunciou a seu cargo de superior geral da ordem e pouco tempo depois partiu para a Casa do Pai, na noite de 14 para 15 de julho de 1274, em Lyon.

Via ACI Digital

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.