Começa em Milão o VII Encontro Mundial das Famílias

0

Ainda abalada um dia após o terremoto que fez tremer a vizinha região Emilia e que assustou a capital da Lombardia, Milão aguarda a chegada de milhares de famílias, provenientes de todo o mundo, que participarão do VII Encontro Mundial.


Terça-feira, 29, foi aberta a Feira Internacional da Família, marcando o início da série de eventos preliminares que precedem a chegada a Milão do Papa, sexta-feira, 1º de junho.

Nesta quarta-feira, a quermesse prossegue com a inauguração do Congresso Internacional Teológico Pastoral, na Feira Milanocity: o grande pavilhão tem entrada livre para todos. Nos estandes, realidades eclesiais e da sociedade civil, ONG’s, movimentos engajados no campo da família e editoras católicas dividem o espaço com bancos de venda de souvenirs e patrocinadores do Encontro.

A Livraria das Famílias, com centenas de títulos ao redor do tema do Encontro, «Família, o Trabalho e a Festa», expõe e vende também livros infantis. Aliás, parte dos 8 mil metros quadrados é destinada aos pequenos: um parque de diversões acolherá crianças enquanto seus pais visitam os mais de 100 estandes.

Já para o Congresso Teológico, é necessária a inscrição e devem participar 7 mil famílias de 150 nações. Novecentos jovens, de 3 a 17 anos, participarão de um congresso paralelo, especialmente dedicado, em que serão debatidos temas como a identidade, a reciprocidade e a responsabilidade: “Para sonhar e conseguir, amanhã, construir percursos que possam mudar o mundo a partir de raízes sólidas que se fundam justamente na família” – explica a Fundação Milão Famílias 2012, organizadora do Encontro.

Entusiasta, o Cardeal-Arcebispo Angelo Scola declarou ao inaugurar a Feira, que o “Encontro Mundial das Famílias será uma profecia de esperança, porque ver tanta gente, de todo o mundo, vir aqui para afirmar o valor do amor é já uma esperança de futuro”.

Sob aplausos, disse ainda que “uma das coisas mais bonitas é constatar que dos 5 mil voluntários, mil são estrangeiros de fora da Europa, e esta também é uma bela profecia”.
Outra iniciativa paralela é a Campanha de Solidariedade em favor das pessoas que sofreram danos com os terremotos dos últimos dias nas regiões do norte da Itália. Serão colocados à venda 3 mil formas do queijo típico Grana para ajudar os agricultores e produtores atingidos pelo terremoto.

Na manhã desta terça, o tremor tocou 5,8 graus na escala Richter e deixou ao menos 16 mortos.
Comprando o produto, os visitantes farão um gesto concreto de ajuda às famílias de trabalhadores de um dos sistemas econômicos mais renomados da Itália: «Um sinal de solidariedade, queremos assegurar nossas orações e lhes dizer que estamos próximos destas famílias» – afirmou o Cardeal Scola.

Também o Cardeal Ennio Antonelli, Presidente do Pontifício Conselho para a Família, garantiu a sua «proximidade de coração» às vítimas.

Entretanto, mesmo que «a situação seja dolorosa e séria, não estão previstas mudanças no programa da visita do Papa a Milão» – informou o Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Padre Federico Lombardi.

Rádio Vaticano

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.