EMF: o Papa e Milão, na festa e na dor

0

A capital lombarda aguarda o Papa de braços abertos. Bento XVI deixará o aeroporto de Ciampino às 16h locais (11h de Brasília) para chegar a seu destino uma hora mais tarde.

Após saudar o povo na Praça da Catedral, está previsto um concerto no Teatro alla Scala, onde o maestro Daniel Barenboim dirigirá a orquestra, pronta para executar a Nona Sinfonia de Beethoven. O concerto será dedicado às vítimas dos terremotos que sacudiram as regiões do norte da Itália nos últimos dias. No final, o Pontífice fará uma breve saudação à plateia e irá ao Arcebispado, onde passará a noite.

Para os fiéis, a noite prossegue com a Adoração Eucarística na catedral e em várias outras igrejas. E justamente para frisar que os participantes e organizadores do VII EMF estão solidários com as populações atingidas pelo sismo, os bispos das dioceses atingidas guiarão a Adoração e farão uma coleta.

Em Milão a partir de hoje para participar da festa da família, Bento XVI não se esquece das pessoas que vivem aqui nestas terras e que sofreram danos e perderam entes queridos nos terremotos. “O aspecto da festa e da partilha dos momentos de dor caminham juntos” – ressalva o arcebispo de São Paulo, Cardeal Odilo Scherer:

“Quem é capaz de partilhar a festa é capaz de partilhar os momentos de dor, de aflição e de assumi-los juntos. É este o aspecto bonito, que faz sair da solidão, digamos, sair da vida centrada sobre o eu, sobre mim, e faz olhar ao redor, tanto partilhar alegrias como partilhar tristezas e sofrimentos. Aliás, não é isso o que se diz no casamento, quando o casal se promete um ao outro para os momentos bons e ruins? ‘na alegria e na tristeza, na saúde e na doença’, não é diferente na comunidade. Por isso é muito significativo que neste momento em que o VII EMF põe em evidência a o Trabalho e Festa, nós sejamos envolvidos, acidentalmente ou providencialmente, numa situação de dor, onde muitas famílias perderam casas e estão precárias, em abrigos, muitos morreram ou estão em hospitais. Então, que neste contexto se desperte também a noção da solidariedade, do apoio, da partilha, de estar junto com nos momentos de dor. Isso é muito significativo e é exatamente parte desta antropologia que brota da fé cristã, que não está centrada simplesmente no ‘eu’, mas olha o ‘eu’ como pessoa de relação, como um ser um homem, que é um ser de relação, que não se realiza sozinho, mas nas relações ‘com’. E portanto, na partilha da vida ‘com’, e partilhar a vida é dividir os momentos bons e ruins. O Papa já se tem manifestado sobre isso também, dado sua palavra de apoio e carinho para com as vítimas dos terremotos no norte da Itália e a sua presença aqui neste fim de semana vai reforçar ainda mais este aspecto”.

Na manhã desta sexta-feira, encerraram-se os trabalhos do Congresso Teológico Pastoral e do Congresso dos Jovens. Neste último dia, as palestras se concentraram no tema “Festa”. Com base em suas experiências humanas e pastorais, os Cardeais Sean O’Malley, de Boston, e Ennio Antonelli, Presidente do Pontifício Conselho para a Famílias, ficaram encarregados das reflexões finais.

Em três dias de permanência em Milão, o Papa fará 8 discursos. “Um programa impressionante”, como o definiu o Diretor da Sala de Imprensa, Padre Federico Lombardi. A RV estará acompanhando a programação do Pontífice e transmitirá ao vivo os principais eventos do VII Encontro Mundial das Famílias, com comentários em português.

Rádio Vaticano

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.