Suposto segundo milagre atribuído à intercessão da Beata Irmã Dulce dos Pobres, poderia torná-la na na primeira brasileira a ser canonizada

0

BRASILIA, 25 Mai. 11 / 11:33 am (ACI)

A agência ANSA informou no domingo que um suposto segundo milagre atribuído à intercessão da Beata Irmã Dulce dos Pobres, foi anunciado pela advogada Ana Lucia Aguiar, que se for comprovado poderia converter a religiosa na primeira brasileira a ser canonizada colocando-a junto a Frei Galvão que também nasceu no Brasil.

Aguiar foi a responsável por apresentar ante o Vaticano o milagre que permitiu a beatificação da Irmã Dulce e, conforme informou ao jornal Folha de São Paulo, já conta com provas sobre esta possível segunda intercessão.

“O segundo milagre, o milagre da santificação, também virá de Sergipe”, disse a advogada, referindo-se ao lugar em que trabalhou a beata e onde ocorreu o primeiro milagre.

Entretanto, não deu mais detalhe sobre esta nova intercessão porque deve permanecer em segredo até que a Santa Sé faça o anúncio.

Sua vida

A Irmã Dulce nasceu em 26 de maio de 1914 em São Salvador, Bahía, foi batizada como Maria Rita Lopes Pontes e pertenceu à Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus.

A Irmã Dulce entregou sua vida ao serviço dos necessitados e desenvolveu uma obra social na Bahía, onde fundou vários hospitais de caridade e uma rede de apoio social que dirigiu até a sua morte, no dia 13 de março de 1992, aos 77 anos de idade.

Em 1988 foi candidata ao Prêmio Nobel da Paz e em outubro de 1991, cinco meses antes de sua morte, recebeu em seu leito de hospital a visita do hoje Beato João Paulo II, que nesses momentos realizava sua segunda visita ao Brasil.

As Obras Sociais “Irmã Dulce” incluem o Complexo Roma, uma rede de hospitais e centros de saúde para os mais pobres que atende na Bahía cerca de cinco milhões de pessoas por ano e o Centro Educativo Santo Antonio. Adicionalmente, a organização administra vários centros de saúde do Município de Salvador.

A Irmã Dulce foi beatificada no último 22 de maio ante 70 000 pessoas em Salvador, pelo Cardeal Geraldo Majella Agnelo, em representação do Papa Bento XVI.

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.