A realidade da Evangelização no mundo atual

0
evangelização

Escute aqui a transcrição dessa matéria

Assumir a vida cotidiana e os meios de comunicação como estratégia eficaz de evangelização é um compromisso para todo verdadeiro Cristão.

Muitos de nós dizemos que somos contra o consumismo, modismo, individualismo, egoísmo etc., porém nossas famílias estão expostas na própria casa através da televisão e internet. As crianças estão em contato com tudo isso cada vez mais cedo e, ao contrário de serem formadas nos valores cristãos, elas estão sendo “formadas” segundo os contra valores do mundo. As pessoas estão como que contaminadas com tanta carga de “deformação”, parece que a verdade está se distanciando cada vez mais. Pessoas que tinham uma consciência muito bem formada estão perdendo a autenticidade.

“O grande risco do mundo atual, com sua múltipla e avassaladora oferta de consumo, é uma tristeza individualista que brota do coração comodista e mesquinho, da busca desordenada de prazeres superficiais, da consciência isolada. Quando a vida interior se fecha nos próprios interesses, deixa de haver espaço para os outros, já não entram os pobres, já não se ouve a voz de Deus, já não se goza da doce alegria do seu amor, nem fervilha o entusiasmo de fazer o bem. Este é um risco, certo e permanente, que correm também os crentes. Muitos caem nele, transformando-se em pessoas ressentidas, queixosas, sem vida. Esta não é a escolha duma vida digna e plena, este não é o desígnio que Deus tem para nós, esta não é a vida no Espírito que jorra do coração de Cristo ressuscitado”. (Evangelii Gaudium, 2, Papa Francisco)

Evangelizar com o Espirito Santo

O Espirito Santo esteve presente na vida de Jesus e o conduzia segundo a vontade do Pai. “Com efeito, aquele que Deus enviou fala a linguagem de Deus, porque ele concede o Espírito sem medidas.” (São João 3, 34)

O mundo está morrendo por falta de conhecimento de verdadeiros valores e nós Cristãos temos o dever de criar estratégias e ações eficazes de evangelização para chegar aos corações das pessoas.

Nos tempos atuais, temos dois caminhos muito eficazes: a relação interpessoal e os meios de comunicação.

Somos chamados a pregar o Evangelho com o nosso testemunho de vida cotidiana, através da nossa fidelidade a Deus em tudo que somos e fazemos, pedindo e contando sempre com a graça do Espirito Santo.

“Evangelizadores com espírito quer dizer evangelizadores que se abrem sem medo à ação do Espírito Santo. No Pentecostes, o Espírito faz os Apóstolos saírem de si mesmos e transforma-os em anunciadores das maravilhas de Deus, que cada um começa a entender na própria língua. Além disso, o Espírito Santo infunde a força para anunciar a novidade do Evangelho com ousadia (parresia), em voz alta e em todo o tempo e lugar, mesmo contracorrente. Invoquemo-Lo hoje, bem apoiados na oração, sem a qual toda a ação corre o risco de ficar vã e o anúncio, no fim de contas, carece de alma. Jesus quer evangelizadores que anunciem a Boa Nova, não só com palavras mas sobretudo com uma vida transfigurada pela presença de Deus”. (Evangelii Gaudium, 259, Papa Francisco)

Quanto aos meios de comunicação, eles alcançam cada vez mais pessoas, até mesmo os que são mais pobres economicamente. Por isso podemos usar desses meios para chegar aos corações antes que o mundo os deforme totalmente. Devemos nos lançar em todas as oportunidades que temos e buscar atingir as pessoas. Lembramos sempre de confiar ao Espirito todas nossas estratégias de evangelização, para que a Palavra de Deus alcance os lares e corações a que não conseguimos chegar pessoalmente, exorcizando todo lixo mundano que os anticristos tentam impor à sociedade através da tecnologia.

Maria: presença viva na Evangelização

Falar sobre evangelização é refletir sobre a Virgem Maria, que já vivia a fidelidade a Deus no seu cotidiano, tinha um coração aberto à ação do Espirito Santo, foi capaz de acolher e testemunhar a proposta de Deus. Ela recebeu o próprio Evangelho em seu ventre, anunciou com sua vida o Deus homem que veio ao mundo para resgatar a todos. Por isso ela é a maior e melhor intercessora que podemos ter para evangelizar.

“Juntamente com o Espírito Santo, sempre está Maria no meio do povo. Ela reunia os discípulos para O invocarem (At 1, 14), e assim tornou possível a explosão missionária que se deu no Pentecostes. Ela é a Mãe da Igreja evangelizadora e, sem Ela, não podemos compreender cabalmente o espírito da nova evangelização”. (Evangelii Gaudium, 284, Papa Francisco)

Confiantes na intercessão da Virgem Maria, podemos nos abandonar na força e ação do Espirito para chegar aos corações de toda humanidade.

Virgem e Mãe Maria,
Vós que, movida pelo Espírito,
acolhestes o Verbo da vida
na profundidade da vossa fé humilde,
totalmente entregue ao Eterno,
ajudai-nos a dizer o nosso «sim»
perante a urgência, mais imperiosa do que nunca,
de fazer ressoar a Boa Nova de Jesus.

Vós, cheia da presença de Cristo,
levastes a alegria a João o Batista,
fazendo-o exultar no seio de sua mãe.
Vós, estremecendo de alegria,
cantastes as maravilhas do Senhor.
Vós, que permanecestes firme diante da Cruz
com uma fé inabalável,
e recebestes a jubilosa consolação da ressurreição,
reunistes os discípulos à espera do Espírito
para que nascesse a Igreja evangelizadora.

Alcançai-nos agora um novo ardor de ressuscitados
para levar a todos o Evangelho da vida
que vence a morte.
Dai-nos a santa ousadia de buscar novos caminhos
para que chegue a todos
o dom da beleza que não se apaga.

Vós, Virgem da escuta e da contemplação,
Mãe do amor, esposa das núpcias eternas
intercedei pela Igreja, da qual sois o ícone puríssimo,
para que ela nunca se feche nem se detenha
na sua paixão por instaurar o Reino.

Estrela da nova evangelização,
ajudai-nos a refulgir com o testemunho da comunhão,
do serviço, da fé ardente e generosa,
da justiça e do amor aos pobres,
para que a alegria do Evangelho
chegue até aos confins da terra
e nenhuma periferia fique privada da sua luz.

Mãe do Evangelho vivente,
manancial de alegria para os pequeninos,
rogai por nós.

Amém. Aleluia!

Dado em Roma, junto de São Pedro, no encerramento do Ano da Fé, dia 24 de Novembro – Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo – do ano de 2013, primeiro do meu Pontificado. (Evangelii Gaudium, Papa Francisco)

Creivânia Soares da Silva
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator 

 

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

4 × 1 =