A tecnologia a favor da evangelização

0
tecnologia

Escute aqui a transcrição dessa matéria

A tecnologia, mesmo antes das grandes revoluções industriais, já estava a favor da Igreja e da evangelização, quando em uma busca de melhorias na comunicação do Evangelho, monges criaram a escrita como temos hoje, a pontuação e incentivaram o início das gráficas para a impressão das bíblias. Ao contrário do que muitos pensam e pregam, a Igreja Católica sempre se mostrou muito preocupada com a inovação e a utilização da tecnologia, principalmente as novas fontes de mídias sociais. O Concílio Vaticano II salienta: « ainda que haja que distinguir cuidadosamente o progresso terreno e o crescimento do Reino de Cristo », contudo « este progresso tem muita importância para o Reino de Deus, na medida em que pode contribuir para uma melhor organização da sociedade humana ». Olhando os meios sociais nesta luz, concluímos que « contribuem eficazmente para unir e cultivar os espíritos, e propagar e afirmar o Reino de Deus ». 

Se existia alguma polêmica dizendo que a Igreja era contrária ao uso das mídias socias e quaisquer tecnologias, podemos desmentir argumentando que fazemos o que nos foi ensinado em Tessalonicenses 5, 21: “Mas ponham aprova todas as coisas e fiquem com o que é bom”.  A cultura cristã católica nunca rejeitou as inovações, mas somos chamados a uma análise com espírito de prudência e a usar das coisas boas dadas por Deus com espírito de temperança, buscando sempre a propagação do Evangelho. E o mundo teve uma verdadeira prova disso em maio de 2011, quando o então Papa Bento XVI publicou pela primeira vez um twitte seu, atraindo a atenção dos jovens e levando para a Igreja a importância da comunicação com a constante inovação do mundo. 

Os frutos de uma evangelização tecnológica 

E já podemos tocar que realmente a vontade de Deus é que evangelizemos de todas as formas e que Ele nos dá sabedoria e inteligência para tal. A vida do Beato Carlo Acutis, que morreu em 2006 por conta de uma leucemia, teve sua via de santificação pela Eucaristia, confissões semanais e também um apostolado na internet para propagar a devoção aos milagres eucarísticos ao redor do mundo.  Carlo era um menino de 15 anos que amava tecnologia e via nela um grande futuro para nós católicos usarmos como meio de testemunho. Hoje temos nossa primeira “relíquia” digital que é um blog deixado por ele e conseguimos perceber que Deus é sempre novo e Seu Santo Espírito nos inspira para os novos ares que cada vez mais nos leva a falar do Seu nome a toda criatura. 

Nós precisamos nos preocupar em levarmos uma vida reta e santa ao ponto de que nossos “seguidores” possam ver a face de Cristo em nós, ter um comportamento digno de quem sabe o seu lugar como filho de Deus e ter a certeza de que todos por detrás de um celular são pessoas também muito amadas de Deus; ter sempre fincado em nosso coração o intenso desejo de fazer o Amor amado. Nem precisamos, então, entrar em pormenores de comportamento, pois “para aquela que ama a fidelidade não precisa ser explicada” nos diz São João Paulo II. Para um verdadeiro Cristão, a tecnologia só nos possibilita alcançar cada vez mais almas para o Reino de Deus.

Tayná Barbosa
Postulante da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

3 × 3 =