Home Artigos Pantokrator Abrace a Sua Singularidade

Abrace a Sua Singularidade

-

Outro dia, numa conversa com uma amiga sobre trabalho, mais especificamente sobre gestão de pessoas, estava partilhando os resultados da minha equipe nesse primeiro semestre do ano e falei como o clima organizacional estava muito bom; ela me perguntou o segredo de como engajar as pessoas e ter bons resultados. Eu disse que não sabia nenhuma fórmula secreta, apenas usei os benefícios da complementaridade, que nada mais é do que unir o que há de melhor em cada um em prol de um bem maior, em sua singularidade. Como trabalho numa obra social, esse engajamento é ainda mais importante.

E o que é essa complementaridade, afinal? Bom, é simplesmente entender que nenhuma pessoa tem um dom pior que o outro; é reconhecer que na minha singularidade posso realizar algo de bom e especial para alguém na minha família, no meu trabalho, na minha comunidade, na minha escola ou faculdade, enfim, existe uma missão confiada a mim que, ainda que seja diferente da missão do outro, é importante, e juntos podemos realizar muitas coisas.

Os dons que recebemos

Na Epístola aos Efésios está escrito, “E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos…” (Ef 4.11-12). Vemos que desde o tempo dos apóstolos se fala da complementaridade dos dons, dessa forma linda de edificar o mundo, cada um assumindo a singularidade dos dons que recebe do Senhor. É muito importante resgatarmos isso, pois o mundo hora nos insere numa neurose competitiva, hora nos coloca numa luta por uma utopia igualitária e vai nos roubando a essência da nossa identidade. Rouba-nos da nossa identidade de filhos de Deus, únicos e irrepetíveis.

Aqui partilho com vocês o quanto sofri até entender que eu poderia amar e ser amada na minha singularidade. Sofri até entender que “tudo bem” eu não saber cantar, não saber muito sobre a história da Igreja, não ter aptidão para o artesanato e tantas outras habilidades que não tenho. Sofri até reconhecer que cada um de nós é chamado a realizar algo único no mundo, e na complementaridade dos dons que temos, realizarmos grandes coisas.

Singularidade

Pelos relatos que temos na Bíblia, percebemos que os apóstolos escolhidos por Jesus tinham personalidades e dons que se complementavam, e juntos formaram a Igreja de Cristo. Na luta do inimigo contra essa Igreja, ele nos cega, usa de nossas fraquezas para que nos afastemos desse chamado à comunhão. Começamos a travar lutas para mostrar quem é melhor que o outro, que o rico é melhor que o pobre, ou o pobre, por sofrer mais, é melhor que o rico; inúmeros são os enganos que nos impedem de viver a alegria e gerar comunhão a partir da complementaridade de dons.

Precisamos nos aproximar do Pai

A pequena flor do Carmelo, Santa Teresinha do Menino Jesus, compreendeu perfeitamente o valor da complementaridade na vida da Igreja e na sua vida. Ela nos explica isso muito bem num trecho de sua autobiografia que diz, “Compreendi que se todas as florzinhas quisessem ser rosas a natureza perderia seu adorno primaveril, os campos não seriam mais salpicados de florzinhas… Assim é no mundo das almas, o jardim de Jesus. (…) Assim como o sol ilumina ao mesmo tempo os cedros e cada florzinha, como se ela fosse única sobre a terra, assim Nosso Senhor se ocupa particularmente de cada alma como se não houvesse outra igual”.

Assim como Teresinha o fez, precisamos nos aproximar cada vez mais do Pai. É preciso que voltemos para casa e permitamos que Deus, nosso Pai, nos devolva a visão para podermos enxergar o valor da nossa singularidade. Desse modo, poderemos acolher a singularidade do nosso irmão e oferecer o melhor de nós para ele, e assim, juntos, realizar a missão de testemunhar o amor de Deus para o mundo.

É preciso cessar essa busca frenética e incansável de nos encaixar em estereótipos de perfeição; precisamos pedir a graça do Espírito Santo para assumirmos os dons que nos foram confiados e descansarmos na verdade de que fazemos parte de um corpo com diferentes membros, mas complementares.

Nesse mundo que vive nas trevas do egoísmo, da divisão, de estereótipos e rótulos, somos chamados a irradiar a luz da Fé na comunhão gerada pela complementaridade dos dons que a cada um de nós foi confiado pelo Pai.

Que o Bom Deus nos abençoe e a Virgem Santíssima nos ajude e nos ensine a abraçar nossa singularidade, “…com vistas ao aperfeiçoamento dos santos”.

Fernanda Guardia
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

doze + seis =

EDIFICANDO A FÉ NOS CORAÇÕES

Ao tornar-se um Construtor da Fé você participa da Obra de Pantokrator e constrói a fé no coração de milhares de pessoas mensalmente atingidas pela nossa Obra. E ainda colabora na estrutura missionária e na formação dos sacerdotes da Comunidade Pantokrator.

Ao tornar-se um Construtor da Fé você participa da Obra de Pantokrator e constrói a fé no coração de milhares de pessoas mensalmente atingidas pela nossa Obra. E ainda colabora na estrutura missionária e na formação dos sacerdotes da Comunidade Pantokrator.

×