“Adultolecente” será que sou

2

A cada ano me deparo com a mesma situação que você, sendo que a probabilidade de ocorrer em momentos diferente do ano é grande. O que todos nós, deste pequeno planeta Terra, temos em comum a cada ano que passa? Pois bem, como todos nós estamos no mesmo tempo e espaço, nossas vidas ganham números de dias, meses e anos vividos. Sim! Fazer aniversário é comum a todos, bem como envelhecer com ou sem sabedoria. A grande questão é que vemos nos dias atuais alguns casos em que a idade mental não acompanha a idade biologia, tão pouco a espiritual, resultando em uma sociedade cheia de adultos com mente de adolescentes e espírito imaturo.

É importante reconhecer que somos constituídos por três partes substanciais, segundo a Logoterapia, sendo corpo, psiquismo e espírito¹. Estabelecido essa estrutura, podemos perceber que simples perguntas se tornam mais complexas do que (se) imaginamos; ora para quem interroga, pois fica a dúvida se realmente tem interesse em receber respostas mais profundas, como também para quem responde. Vamos ao exemplo das perguntas: Quantos anos você tem? Quantos anos você vai fazer? Quantos anos você tinha quando aconteceu isso? Reflita agora qual a sua idade biológica, a qual tem relação com o seu corpo, qual a sua idade afetiva, que é parte de sua mente e, por fim, qual a sua idade espiritual; esta última responde sua intimidade com Deus. Somos recém-nascidos, bebês, crianças, adolescentes, jovens ou adultos em nossas três dimensões?

Vamos reconhecer a nossa idade! Isso é sinal de maturidade.

O reconhecimento de nossa atual “idade” é fundamental para que possamos buscar a maturidade em todas as dimensões do ser. E sim, existe, uma hierarquia entre as dimensões, como que se fosse uma roldana que ao ser ajustada puxa para a maturidade as demais, essa é a espiritual¹. Quanto mais próximos de Deus, mais claro ficará nosso propósito nesta vida a ponto de nos deixar moldar pelo Criador. Sem uma maturidade espiritual, buscada na graça infalível dos sacramentos, oração de intimidade e vivência da pobreza, obediência e castidade, ocorre um desequilíbrio dentro de nós. O resultado é um direto de esquerda bem no queixo da afetividade, o que na maioridade dos casos deixa a pessoa estacionada na adolescência ou até mesmo na infância.

O resultado do desequilíbrio é a cara na lona.

Adultos com mente de adolescente deixam seus casamentos para buscar aventuras amorosas com pessoas mais novas, buscam ter o abdômen tanquinho com 40 anos de idade, vão para a balada da “moda” para mostrar que têm dinheiro e se afundam em uma sexualidade desordenada. Para casos como estes nem o demônio vai investir, apenas dará risada da situação. Digo que é uma síndrome de Peter Pan ou Thinker Bell, onde a pessoa fica parada na terra do nunca, onde nunca será madura suficiente para crescer na fé, adornada pelos mimos do mundo, refém da sua autoimagem e iludida pela miragem de poder fazer o que quiser para lhe dar prazer e nunca sair do lugar.

Antes de mais nada, pense: Tudo é entre eu e Deus!

Esse é o grande gatilho da nossa salvação, viver as coisas de Deus nos traz a capacidade, que só temos pela graça do Pai, de nos aproximar do sonho que o Criador sonhou para nós, sendo íntimos Dele na oração matinal, continuada e parada, tendo a mente adoradora, buscando o Santíssimo semanalmente e um corpo casto por meio do jejum e da mortificação. Que seja nosso intercessor São Paulo, no qual Deus operou uma tamanha transformação como cita as Escrituras:

“Mas somente tinham ouvido dizer: Aquele que já nos perseguiu anuncia agora a fé que antes destruía”. (Gl 1,23)

Elevemos as 3 barras da nossa constituição humana para Deus. Em primeiro lugar, nossa espiritualidade, pois nela estará a força bruta Daquele que nos quer mais próximos e nos devora com o seu olhar de amor.

Thiago Casarini
Postulante da Comunidade Católica Pantokrator

_________________
¹Frankl, V. E. (2003). Psicoterapia e sentido da vida (A. M. de Castro, trad.). São Paulo, SP: Quadrante.

2 COMENTÁRIOS

  1. Thiagao,

    Muito bom seu texto, nos leva a refletir nos ponto que precisamos amadurecer e não ficarmos estagnados na vida com Deus! Vamos juntos buscar o que o Senhor nos pede! A santidade! Abraço meu amigo!

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.