Não finja costume! Porque ficar parado nas águas rasas estagnadas do mar das derrotas… Ninguém merece. Os discípulos  mesmo em sua exaustão, acreditaram e em atenção a Jesus.

O marido já não diz palavras carinhosas para a esposa, a mãe não beija os filhos, o diálogo no lar anda mudo e em contra partida a casa que mais parece um caos, “finge costume” da felicidade. E assim a vida continua em forma de “família”, todos acostumados com as derrotas do dia a dia, sem falar nas mais generalizadas como Brumadinho, chuvas, incêndios  e desastres que nos entristece e abate.
– É assim mesmo! Acaba logo o ano, desejamos. E seguimos cansados com o peso dos nossos fiascos.
Assim, tinham essa mesma sensação os discipulados de Jesus. Estavam acostumados a serem derrotados pelas redes de pesca. Pegavam um peixe ou dois, e ali na beira do lago, “felizes da vida” faziam a refeição do dia saciando a fome. Algo mais além daquilo não existia. Só um milagre.
Foi quando o Mestre, ao ver exatamente esse sinal da derrota da vida entre eles, depois de uma noite de insucessos na pescaria em águas rasas e exaustos, pede a Pedro e seus companheiros que joguem novamente a rede. “Avança para águas mais profundas, e lançai vossas redes para a pesca” (Luc 5,4).
– Que medo, era uma nova proposta. Um risco!
As redes quase se romperam quando puxadas do fundo do mar. Com uma quantidade de peixes nunca vista antes por eles, ficaram admirados e realmente surpreendidos com o milagre. Afinal, o que caísse na rede eram peixinhos da beira do mar. E pronto! Só contavam com o mesmo de sempre. Era natural.
Em meio às nossas derrotas, esse convite nos cai muito bem e se estende ainda hoje, a cada um de nós: avance para águas profundas e estude ainda mais para passar no concurso, avance, saia do comodismo e se lance na academia. Procure um emprego, sua vocação ou uma terapia. Reze mais.
Avance e converse com seus pais,  tome aquela atitude de dar mais atenção aos seus filhos. Ouse e diga que ama sua esposa e que ainda sente por ela a mesma sensação das borboletas voando no seu estômago, desde o dia que a conheceu. Avance!
Não finja costume! Porque ficar parado nas águas rasas estagnadas do mar das derrotas… Ninguém merece. Os discípulos  mesmo em sua exaustão, acreditaram e em atenção a Jesus, contemplaram no milagre da pesca que é possível ousar e progredir com coragem.
Beije, ame, dialogue, sirva e seja feliz sem se acomodar no travesseiro das derrotas e as mesmices que fazem sofrer.  Não digo aqui que as  intempéries da vida deixarão de existir, sempre haverá momentos difíceis, mas cabe a você decidir: ficar na beirinha do mar agarrado nas boias das derrotas e se acostumar, ou respirar fundo, mergulhar no mar da misericórdia e lançar as redes para a pesca do amor.
Avance! Eis o chamado.

Via ComShalom

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.