Carência! O que fazer?

1

Você já acordou com uma necessidade desesperadora de um abraço, de um colo, de que alguém cuidasse você?

Por muito tempo, me senti sozinha e carente de amor, com uma tristeza no fundo da alma, sem saber ao certo o motivo. Percebi que as relações que eu vivia eram para mendigar amor dos outros, mesmo nos relacionamentos de amizades. Eu vivia uma dependência afetiva e me sentia vazia, constantemente ferida e machucada. Parecia que eu sempre estava devendo ou me culpando por algo.

Se você tem ou já teve sentimentos semelhantes, com certeza, isso é um forte alerta de carência.

A carência é uma tentativa de autopreenchimento, de nos saciarmos no outro por nos sentirmos necessitados de atenção, amor e afetos, por exemplo. Ao vermos uma lacuna que existe em nós, somos impulsionados a buscar algo para preenchê-la. Este impulso faz com que nossos gestos bons não sejam gratuitos, mas uma maneira de troca, de barganha, pois, no fundo, estamos querendo receber algo em troca.

A grande verdade é que buscamos desesperadamente saciar nosso coração nas pessoas e, muitas vezes, nas pessoas erradas.

Num relacionamento de namoro, por exemplo, a pessoa carente está sempre cedendo ou deixando de fazer coisas que gosta por medo que o outro termine com ela, por medo de ficar sozinha.

Quero que a Comunidade Pantokrator reze pela cura das minhas carências!

O carente se sente constantemente inseguro e inadequado, nada lhe satisfaz e o amor recebido nunca é suficiente para ele. Por isso, desenvolve apegos e centra sua vida no outro, anulando-se e vivendo completamente em função do outro.

O carente aprisiona o outro a si e suas relações se tornam cada vez mais dependentes e sufocantes, recheadas de ciúmes.

Todos nós temos marcas em nossa história de vida, desamores, traumas, pecados e abandonos. Destas cicatrizes ninguém está totalmente ileso.

Precisamos assumir que estas marcas existem em nós, ainda que tenhamos uma caminhada com Deus na Igreja.

Quais são as marcas que você enxerga em si mesmo e que te impulsionam a buscar preencher o vazio de seu coração?

Se você é capaz de identificar estas marcas, de reconhecer a carência existente em você, muito bem, você já deu o primeiro passo para sua cura.

Acredite, quanto mais você cultivar sua vida de oração e mergulhar neste rico processo de autoconhecimento, mais você conseguirá identificar suas carências e poderá permitir que Deus as cure.

Somente quando você se voltar para Deus, você sentirá pleno, como nos diz santo Agostinho: “Fizeste-nos para ti e meu coração está inquieto enquanto não repousa em Ti.”

Como encontrei a cura?

Foi preciso, num primeiro momento, eu descobrir e reconhecer que minhas relações não eram livres, assumir no fundo do meu coração que estava vazia e sofria de uma carência profunda de amor. Foi preciso, também, que eu começasse a buscar no lugar certo o que faltava em meu coração. O lugar foi e tem sido a oração, pois somente Deus pode nos preencher. Sem um encontro íntimo com Deus é impossível.

Assim como Davi, no Salmo 62, versículo 2, estamos sedentos de amor: “Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco! A minh’alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja, como terra sedenta e sem água!”.

Deus deseja constantemente te encontrar, te tocar e te curar. Ele é o teu Pai bondoso e rico em misericórdia. Ele quer terminar a obra começada em seu coração.

Se coloque diante d’Ele, apresente suas feridas, lacunas e tristezas, sua história e peça que Ele preencha cada lacuna, espaço e situação em que você se sente ferido ou sozinho, em que não se sente amado.

“Amo-te com eterno amor, e por isso a ti estendi o meu favor.” (Jeremias 31, 3a).

Queremos rezar por você, pedindo ao Senhor que Ele te visite, te cure e sacie as carências do seu coração!

Jaqueline Moreira
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

 

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.