Home Artigos Pantokrator Carnaval e suas consequências

Carnaval e suas consequências

-

Está chegando o carnaval, uma festa muito esperada e bastante celebrada no Brasil e praticamente pelo mundo inteiro. Muitos a consideram somente uma folia popular que faz parte da cultura do país e que está relacionada à alegria, à liberdade e muita “curtição”.

O Carnaval teve sua origem na antiguidade através das festas feitas para os deuses antes de Cristo, uma prática criada para comemorar a fertilidade do solo e sua colheita, o retorno da primavera e a benevolência dos deuses, e várias entidades mitológicas eram adoradas. A palavra carnaval tem origem no latim “carna vale” e significa dizer “adeus à carne”.

Existem muitos elementos em comum entre as festas pagãs daquela época e as atuais. Primeiro porque o carnaval faz uma apologia, mesmo de forma indireta, ao uso de drogas legais e ilegais; o consumo de bebidas alcoólicas cresce muito nessa época, e é no Carnaval que muitos jovens iniciam sua jornada rumo à dependência química. O número de acidentes de trânsito aumenta à medida que o consumo do álcool cresce, pois as pessoas que normalmente estão nesse estado não se preocupam com o seu próximo, causando assim tragédias e até mortes.

Muitos de nós sabemos que os excessos cometidos nesses dias de folia causam muita tristeza, pois são alegrias passageiras e trazem as consequências do pecado, que duram a vida inteira. Devemos considerar também que muitas festas podem ser perigosas, principalmente quando envolvem bebidas alcoólicas, drogas, prostituição.

O Carnaval é uma satisfação da carne

O Carnaval também é a festa do sexo e das orgias. A palavra de Deus em Romanos, no capitulo 13, versículos 13-14 nos diz: “Comportemo-nos honestamente, como em pleno dia: nada de orgias, nada de bebedeira; nada de desonestidades nem dissoluções; nada de contendas, nada de ciúmes. Ao contrário, revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e não façais caso da carne nem lhe satisfaçais aos apetites”. Essa palavra nos exorta para que andemos de modo digno e nos comportemos com decência; nos faz inúmeras advertências sobre o adultério e a promiscuidade – a ênfase no Carnaval é de que ninguém é de ninguém, e por isso as pessoas fazem o que querem umas com as outras. A festa carnavalesca se torna, muitas vezes, um jeito de fugir das emoções, depressões e momentos repetitivos do cotidiano.

As fantasias com máscaras escondem a identidade dos foliões dando certa sensação de liberdade, podendo brincar sem serem reconhecidos. Cria-se então a ocasião propícia para expressões que não seriam aceitas no cotidiano. No Brasil, a festa reforçou seu aspecto artístico com desfiles de escolas de samba e carros alegóricos, mas, por outro lado, enfatizou o erotismo com fantasias que expõem o corpo, principalmente o das mulheres; a sensualidade e a nudez são elementos importantes para a exibição da festa. As festas descritas por Jesus eram propostas para honrar e louvar a Deus, e se comemorava com muita alegria, instrumentos, danças, mas com um espírito de reverência e santidade. 

O pendor da carne dá para a morte, e a vontade de Deus é que fujamos de tudo aquilo que não O honre e não agrade o Seu coração, e que estejamos na Sua presença e vivamos em santidade. Deus nos tornou novas criaturas, com uma nova natureza, e devemos buscar a nossa santificação, pois o nosso corpo e a nossa vida pertencem a Cristo. Deus nos criou para trazer-Lhe glória; Ele tem planos e propósitos únicos para cada pessoa que criou. Mantenhamos sempre firmes os olhos e o compromisso em Cristo. À medida que nos aproximamos mais de Deus, menos satisfazemos os nossos desejos carnais e estamos mais perto de agradar a Deus. Em I Coríntios 6:19, São Paulo nos diz que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo e que todas as coisas são permitidas, mas nem tudo nos convém. A nossa alegria não depende de festas que firam a nossa castidade e tragam consequências para a nossa alma, que pode ser condenada pelos pecados cometidos; em Cristo está o nosso prazer e a nossa alegria – Nele possamos ser felizes segundo o Seu propósito, e a nossa felicidade não terminará na quarta-feira de cinzas, mas continuará para sempre e por toda a eternidade.

Fransbiane Jesus da Silva
Postulante da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

EDIFICANDO A FÉ NOS CORAÇÕES

Ao tornar-se um Construtor da Fé você participa da Obra de Pantokrator e constrói a fé no coração de milhares de pessoas mensalmente atingidas pela nossa Obra. E ainda colabora na estrutura missionária e na formação dos sacerdotes da Comunidade Pantokrator.

Ao tornar-se um Construtor da Fé você participa da Obra de Pantokrator e constrói a fé no coração de milhares de pessoas mensalmente atingidas pela nossa Obra. E ainda colabora na estrutura missionária e na formação dos sacerdotes da Comunidade Pantokrator.

×