Como amar minha família?

1
família

Antes mesmo de abordar a composição de uma fórmula que nos capacite a amar a minha e a sua família, eu preciso salientar que o primeiro passo e o mais importante é escolher, se decidir, com discernimento, garra, vontade e livremente em ser família. E tudo isso começa por meio da intimidade com Deus, pois somente Ele pode revelar o plano original atribuído para a nossa existência.

Em algumas situações, mesmo que de forma inconsciente, vejo pessoas determinadas em não compor uma família e tão pouco buscar um caminho para o celibato. A questão é bem simples e direta, ou Deus concede em seu plano para nós o estado de vida do matrimônio ou do celibato, por isso, ficar solteiro nunca foi e nunca será estado de vida. É preciso correr em busca do que Deus quer para a nossa vida. Além da oração assídua, uma boa prática é buscar a convivência com os diferentes estados de vida. Na minha realidade, Deus me deu o estado de vida do matrimônio e eu me decido por essa graça todos os dias, na alegria, na tristeza, na saúde ou na doença, até que a vida eterna nos una como irmãos no céu.

Qual é a chave, qual é o segredo?

Perceba que só temos hoje para nos doar, amanhã é incerto e o passado não volta. Esse é o pano de fundo para dar os primeiros passos no amor. O enredo é apresentado pelo Sínodo dos Bispos – 1980: a família cristã, de facto, é a primeira comunidade chamada a anunciar o Evangelho à pessoa humana em crescimento e a levá-la, através de uma catequese e educação progressiva, à plenitude da maturidade humana e cristã.

CIC § 2204. «A família cristã constitui uma revelação e uma realização específica da comunhão eclesial; por esse motivo […], há-de ser designada como uma igreja doméstica». Ela é uma comunidade de fé, de esperança e de caridade: reveste-se duma importância singular na Igreja, como transparece do Novo Testamento.

Sim, entenda que a família é o primeiro campo de evangelização, ou seja, de imitar Cristo, em pensamentos, palavras, atos e omissões. A família é caminho de conversão, na qual, podemos, por meio da doação conjugal, crescer na caridade, fé e esperança. Esse crescimento se dará na medida em que estivermos em comunhão com Jesus Cristo, “o Esposo que ama e se doa como Salvador da humanidade, unindo-a a Si como seu corpo”. Cristo é capaz de realizar em

2202. § CIC. Um homem e uma mulher, unidos em matrimônio, formam com os seus filhos uma família. Esta disposição precede todo e qualquer reconhecimento por parte da autoridade pública e impõe-se a ela. Deverá ser considerada como a referência normal, em função da qual serão apreciadas as diversas formas de parentesco.

João Paulo II. Ex. ap. Familiaris consortio, 21: AAS 74 (1982) 105; cf. II Concílio do Vaticano, Const. dogm. Lumen Gentium, 11: AAS 57 (1965) 16.

Cf. Ef 5, 21-6, 4; Cl 3, 18-21; 1 Pe 3, 1-7.

EXORTAÇÃO APOSTÓLICA FAMILIARIS CONSORTIO DE SUA SANTIDADE JOÃO PAULO II AO EPISCOPADO AO CLERO E AOS FIÉIS DE TODA A IGREJA CATÓLICA SOBRE A FUNÇÃO DA FAMÍLIA CRISTÃ NO MUNDO DE HOJE.

plenitude o vínculo entre a relação perfeita de amor, a qual se traduz na Santíssima Trindade, para a família de seus filhos, pois Ele fez questão de viver ambas.

O que Cristo tange jamais voltará a ser o mesmo

Quanto mais íntimos D’aquele que amou como o Pai nos ama, maior é a capacidade de refletir o amor incondicional, devorador e ciumento para com as minhas filhas. Assim como imitar a Cristo me leva a amar minha esposa como Ele ama a Igreja, adorná-la de mimos, protegê-la do mal e me unir de corpo e alma durante o ato conjugal. Essa é a forma de amar a minha família, me relacionar com Cristo para promover a dignidade da minha mulher, a procriação responsável e a educação das minhas filhas.

Deixo aqui uma oração do Papa Francisco à Sagrada Família de Nazaré da Exortação Apostólica Pós-sinodal Amoris Laetitia:

“Jesus, Maria e José, a Vós, confiantes, nos consagramos”

Jesus, Maria e José,
em Vós contemplamos
o esplendor do verdadeiro amor,
confiantes, a Vós nos consagramos.
Sagrada Família de Nazaré,
tornai também as nossas famílias
lugares de comunhão e cenáculos de oração,
autênticas escolas do Evangelho
e pequenas igrejas domésticas.
Sagrada Família de Nazaré,
que nunca mais haja nas famílias
episódios de violência, de fechamento e divisão;
e quem tiver sido ferido ou escandalizado
seja rapidamente consolado e curado.
Sagrada Família de Nazaré,
fazei que todos nos tornemos conscientes
do carácter sagrado e inviolável da família,
da sua beleza no projeto de Deus.
Jesus, Maria e José,
ouvi-nos e acolhei a nossa súplica.
Amém.

Thiago Casarini
Postulante na Comunidade Católica Pantokrator

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

2 × dois =