Como conseguir fazer tudo com excelência?

0
excelência

Escute aqui a transcrição dessa matéria

Existe uma linha muito tênue entre o perfeccionista e o relaxado, ambos estão errados, fazer tudo com excelência não significa que tudo precisa ser perfeito e muito menos fazer de qualquer jeito, sem zelo nenhum. Um dos sinônimos de excelência é a palavra “superior” e para iniciarmos esta reflexão, busquemos luz nas Sagradas Escrituras: “Aspirai aos dons superiores. E agora, ainda vou indicar-vos o caminho mais excelente de todos.” (1Cor 12, 31)

São Paulo continua em sua carta de forma muito poética, o segredo para não cairmos no perfeccionismo nem no desleixo: “Ainda que eu falasse a língua dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine. Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada.” (1Cor 13, 1-2)

Está aí, para sermos excelentes, precisamos ter a caridade. “A caridade é a virtude teologal pela qual amamos a Deus sobre todas as coisas, por si mesmo, e a nosso próximo como a nós mesmos, por amor a Deus.” (CIC 1822) Portanto, se trilharmos o caminho da caridade, ou seja, o caminho do amor, estaremos sendo excelentes em tudo.

A regra do amor

Podemos elencar alguns aspectos práticos, pois tudo o que fazemos, de certa forma pode ser direcionado a alguém, seja diretamente ou indiretamente. Na escrita deste texto, por exemplo, eu poderia estar escrevendo sem me preocupar com o entendimento do leitor ou poderia me esforçar ao máximo para apresentar a reflexão da melhor forma possível. E é aqui que está o mistério divino, muitos escrevem melhor do que eu, mas mesmo assim, quando faço com toda a minha sinceridade e amor, a Deus e a você, leitor, o meu texto passa a ser excelente, elevado, não por méritos meus, mas pelo poder de Deus, porque eu me uno a Ele em comunhão, nesta minha busca de amá-lo com todas as minhas forças.

Devemos estender essa reflexão para todas as áreas de nossa vida, o trabalho, o casamento, a família, o serviço a Deus, até mesmo a própria saúde e alimentação. Um exemplo de realizar algo para alguém de forma indireta é a saúde, se minha vida é um dom, se eu escolhi seguir os passos de Cristo, quando cuido de minha saúde, seja me alimentando bem ou fazendo exercícios, estou aumentando minha capacidade de servir minha família, meu cônjuge, minha comunidade. Agora, se eu não cuido da minha saúde, eu passo a ter uma postura egoísta, onde o prazer dos alimentos são mais valiosos do que manter minha saúde para minha família, a preguiça de fazer algum exercício fala mais alto e privo meus filhos, por exemplo, de ter pais saudáveis, que estarão mais dispostos para trabalharem na sua educação.

Também, algo muito importante é a profissão, os objetos amados precisam ser Deus, a família e a sociedade, caso contrário, podemos nos enveredar para o “workaholic”, elevando por demais o trabalho e desprezando a família. Ao contrário, quando não amamos a sociedade, temos uma visão turva do mundo profissional, vemos apenas a nossa necessidade e por isso não conseguirmos crescer profissionalmente, pois não agregamos valor para o próximo, queremos apenas receber algo por um serviço prestado.

Existem muitos outros exemplos que poderíamos elencar neste artigo, convido a você fazer uma partilha de como é isso na sua vida. Onde mais podemos aplicar a “regra do amor” para sermos excelentes em tudo?

Lucas Sturion
Consagrado da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

um × 4 =