Como o amor de Deus é aperfeiçoado em nós?

0
amor de Deus

Escute aqui a transcrição dessa matéria

Como é bom experimentar o amor de Deus! E melhor ainda, quando fazemos esse amor reverberar para outros corações, em uma grande onda de graça. “Caríssimos, se Deus nos amou, também nós devemos nos amar uns aos outros” (1 Jo 4-11). Deus não se cansa de amar, ao contrário, é uma fonte inesgotável. “Deus não cessa de atrair o homem a si, e somente em Deus o homem há de encontrar a verdade e a felicidade que não cessa de procurar” (CIC 27).

É tão presente nos evangelhos esse amor poderoso que derrota as obras do maligno. Amor que eleva, que resgata, que não faz distinção, que não desiste, que dá a vida. Você mesmo deve ter testemunhado o poder do amor de Deus na sua história.  Podemos perceber, nos relatos das curas realizadas por Jesus, essa transformação. E por mais que Ele falasse que não era para contar para ninguém, a notícia logo se espalhava, era impossível conter o amor. “Proibiu-lhes que o dissessem a alguém. Mas quanto mais lhes proibia, tanto mais o publicavam. E tanto mais se admiravam, dizendo: Ele fez bem todas as coisas. Fez ouvirem os surdos e falarem os mudos!” (Mc 7, 36-37).

Permanecer no Amor de Deus

Esse mesmo amor continua jorrando por nós hoje, não é uma coisa antiga, distante… mas é atual. Precisamos nos apropriar disso, tomar posse dessa graça que jorra abundantemente.  E o primeiro passo é permanecer no amor e deixar que ele cresça em nós. Para isso, é necessário um relacionamento diário, por meio da vida de oração, dos sacramentos, da busca das virtudes, do amor ao próximo.

“Aquele que guarda a Sua Palavra, nele o amor de Deus é verdadeiramente perfeito. É assim que conhecemos se estamos nele: aquele que afirma permanecer nele deve também viver como ele viveu” (1 Jo 2, 5-6). Não vivemos segundo a nossa vontade ou a vontade do mundo, mas somos conduzidos pela Palavra de Deus, que é viva e eficaz, luz para os nossos passos.

Amar-te mais que a mim mesmo

Quando Deus nos toca, precisamos tomar uma decisão, não dá para permanecer na vida velha, precisamos dar passos rumo à Sua Vontade.

“A história do amor entre Deus e o homem consiste precisamente no fato de que esta comunhão de vontade cresce em comunhão de pensamento e de sentimento e, assim, o nosso querer e a vontade de Deus coincidem cada vez mais: a vontade de Deus deixa de ser para mim uma vontade estranha que me impõem de fora os mandamentos, mas é a minha própria vontade, baseada na experiência de que realmente Deus é mais íntimo a mim mesmo de quanto o seja eu próprio. Cresce então o abandono em Deus, e Deus torna-Se a nossa alegria” (1).

Quando permitimos que o amor de Deus assuma o lugar que lhe é devido, ele realiza grandes obras em nossa vida. Somos curados, libertos do egoísmo, dos apegos e de tudo que nos afasta Dele e dos irmãos. Como nos ensina Santa Teresa D’Avila: “Quando a alma está verdadeiramente ferida pelo amor de Deus, desvencilha-se sem nenhuma dor do amor das criaturas, isto é, ela não se sente prisioneira de nenhum afeto. Sem dúvida, a isso não se pode chegar sem o amor de Deus”.

Transbordar da Graça

Inundados pelo amor de Deus, a nossa missão é transbordar essa graça para aqueles a quem Deus nos confiou. “Ide ante as ovelhas que se perderam da casa de Israel. Por onde andardes anunciai que o Reino de Deus está próximo. Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. Recebestes de graça, de graça dai!” (Mt 10, 6-8).

Quantas pessoas esperam a manifestação dos filhos de Deus? Quantas pessoas precisam conhecer esse amor poderoso? Não temos tempo a perder! Comece hoje, comece agora pelas pequenas coisas.  Que o amor do Cristo Pantokrator seja tua força hoje e sempre.

(1)    Carta Encíclica Deus Caritas Est, 17

Andressa Aparecida da Silva
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

dois + dois =