“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16,15). Eis a missão incumbida pelo próprio Cristo àqueles que o seguem. Esse versículo sempre inspirou um chamado missionário ao meu coração: o Senhor me convocando a sair de mim mesma e testemunhar a Boa Nova àqueles que ainda não tiveram a graça de experimentá-la. Mas…

Como? Onde? Quando?

Como anunciar o Evangelho?

Sempre me fiz essa pergunta. Afinal, parecia-me que anunciar o Evangelho era papel dos grandes pregadores, pessoas comunicativas, de boa oratória, conhecedoras da Palavra, com cada versículo na ponta da língua.

Quando ouvia uma boa homilia ou uma pregação daquelas que até arrepiam, sentia o coração arder e o desejo de falar a todos sobre as maravilhas que havia experimentado. Mas como? Afinal, sou tímida, não sei belas palavras e tão pouco frases célebres e inspiradoras.

No entanto, Cristo nos diz: “…descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará a força; e sereis minhas testemunhas… até os confins do mundo” (Atos 1,8).

E o que é Evangelizar?

É levar a Boa Nova de Cristo aos homens, transformando-os em homens novos, segundo a imagem do Filho único do Pai¹. Evangelizar é dar testemunho de Deus de forma simples e direta; é falar ou agir conforme aquilo que experimento com Deus, sempre guiado pelo Espírito Santo. Esse testemunho pode se dar de várias maneiras no meu cotidiano: seja na forma como me visto e me comporto, até o meu sorriso ao dar um “bom dia” e, sempre que oportuno, falar sobre o Amor e a Misericórdia de Deus.

A princípio pode parecer difícil, afinal, fatores como o medo, a vergonha e até mesmo a preguiça, podem nos impedir de falar sobre Deus. Diante de uma sociedade cada vez mais cética e relativista poderemos muitas vezes nos deparar com a rejeição ou a indiferença, mas isso não pode nos amedrontar e muito menos nos calar.

“Quem der testemunho de mim diante dos homens, também eu darei testemunho dele diante de meu Pai que está nos céus. Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai que está nos céus” (Mt 10,32-33).

Em alguns momentos, para testemunhar a Deus, pode ser necessário adaptar a linguagem a ser usada: devemos sempre respeitar e agir com caridade. No entanto, temos um compromisso com o Senhor e não devemos jamais distorcer a Verdade, em nenhuma situação.

O Espírito Santo é um grande auxílio àqueles que se abrem a ser testemunhas de Deus no seu cotidiano. Nos recorda o Papa Francisco: “Em todos os batizados, desde o primeiro ao último, atua a força santificadora do Espírito que impele a evangelizar”². Para que estejamos abertos a ação do Espírito Santo e preparados para a evangelização é de extrema importância estarmos próximos de Deus. Nos aproximamos de Deus quando rezamos, quando buscamos a reconciliação pela confissão, quando comungamos…

… o texto continua após a imagem…

testemunhar curso sacramentos

Quanto mais próximos de Deus, mais O conhecemos e O experimentamos, assim fica muito mais fácil, mais natural e mais empolgante testemunhá-lO, mesmo diante de adversidades. Portanto, que “a suave e reconfortante alegria de evangelizar, encoraje-nos, mesmo quando for preciso semear com lágrimas!”²

Onde devo testemunhar a Deus?

Ide por todo o mundo, o que isso significa para nós? Que em todos os lugares onde estivermos poderemos testemunhar a Deus: no trabalho, na escola, no supermercado, na academia, em nossa casa, no trânsito, no comércio…

Dentro do cotidiano, atitudes simples podem fazer a diferença. Posso testemunhar a Deus na fila do banco, quando, em vez de uma atitude de murmuração, respondo com louvor ou sendo gentil com a pessoa ao meu lado; na espera do consultório médico, posso dispor da minha atenção e conversar com o idoso que está ao lado, e alegrando-o com uma boa conversa. No trabalho, não participando de fofocas e discussões; no semáforo, sendo educado com aqueles que se aproximam; às vezes, um sorriso ou um “Deus te abençoe”, pode ser a única manifestação do amor de Deus que aquela pessoa experimentará naquele dia.

Enfim, em todos os lugares e com todas as pessoas que cruzarem nosso caminho podemos ter a oportunidade de semear o amor através do nosso testemunho.

Quando testemunhar a Deus?

Sempre! O nosso cotidiano é repleto de momentos oportunos. Desde a hora em que acordo, indo ou voltando para o trabalho ou para escola; durante todo o dia há bons momentos para evangelizar.

Quando estamos alegres, quando estamos cansados, quando estamos com vontade ou não. Testemunhar a Deus deve ir além das minhas limitações e vontade. Se estou cheio do amor de Deus, basta exteriorizá-lO que estarei testemunhando:“O amor de Cristo nos absorve completamente” (2 Cor 5,14); “ai de mim, se eu não evangelizar!” (1 Cor 9,16) nos diz São Paulo.

Sendo assim, de maneira simples através de atitudes ou palavras, podemos testemunhar a Deus em nosso cotidiano. E só cabe ao Senhor colher os frutos advindos desse testemunho.

Vanessa Cícera Ramos
Discípula da Comunidade Católica Pantokrator

  1. André Luís Botelho de Andrade. Documento de missão. Comunidade Católica Pantokrator
  2. EXORTAÇÃO APOSTÓLICA, EVANGELII GAUDIUM DO SANTO PADRE FRANCISCO

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.