Conversão: Ninguém pode dar passos por você

0

Quais os passos que precisam ser dados para a minha conversão? Os meus! Tudo o mais já foi feito. O impossível já foi feito, resta-nos o possível.

“A estas palavras seus discípulos, pasmados, perguntaram: “Quem poderá então salvar-se?”. Jesus olhou para eles e disse: “Aos homens isso é impossível, mas a Deus tudo é possível”.” Mt19, 25-26

O impossível Jesus já realizou, através de sua visita ao nosso mundo, desde a encarnação até a ascensão aos Céus. Ele realizou o que para o homem era impossível: sua reconciliação com Deus, dada a gravidade da ruptura. O homem decidiu livremente pecar, então livremente deve decidir-se reconciliar. Esta possibilidade, antes impossível, Jesus proporcionou para nós, mas continua sendo uma decisão livre o “deixar-se” reconciliar com Deus, a adesão a essa salvação. Os passos para nossa conversão são nossos, ninguém, por mais que ore por nós, nos pode substituir, pois é uma decisão fundamental e totalmente pessoal, é a maior e mais importante decisão de nossa vida.

Porém, nos restou o possível: nossa decisão firme e fiel, diária e incondicional por Deus. Essa decisão se manifesta pela vida de oração e pela busca e exercício das virtudes, pela participação efetiva na vida da Igreja da qual somos parte. Sabemos que tudo já nos foi dado e a Igreja guarda e celebra todos os dias para a nossa salvação, que nada nos falta para alcançarmos a felicidade eterna junto de Deus, a não ser a nossa decisão!

Parece simples, mas não é fácil.

“Em seguida, (Jesus) dirigiu-se a todos: “Se alguém quer vir após mim, renegue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me.” Lc 9,23

Essa é a condição: decidir-se pelo Bem todos os dias, mesmo que esse Bem tenha a forma de cruz. Ele vale a cruz. Jesus foi à cruz por você. Você valeu a cruz.

Porque reclamamos dos sofrimentos e contrariedades quando eles nos querem ensinar a viver? A seguir? Querem nos ensinar os passos que devemos dar? Geralmente, quando a nossa decisão mais vacila é quando mais precisamos dela: na cruz.

Ele não desistiu de você no pior de suas dores, foi até o fim.

Como então fazer para dar esses passos que somente eu posso dar? Como suportar as demoras, os dias difíceis, as turbulências da vida, sem fraquejar, desanimar e até mesmo desistir da minha conversão? Com uma força poderosa que Deus nos deu, uma potência que pode restaurar qualquer vida: a fé! A fé verdadeira é capaz de transformar qualquer situação sem nada dela mudar, nos dando somente um novo olhar. Deixemo-nos olhar por Deus, pelo Deus que realiza o impossível e olhemos com Ele para onde Ele olha, como Ele olha.

De novo parece simples, mas não fácil.

A parte de Deus é dom, é gratuidade, generosidade do Amor, não esforço nosso, mas o que depende de nós, os nossos passos, é sacrifício por conta do nosso pecado. O que atrapalha nossos passos é o pecado que nos faz cair constantemente, “atrasando” nossa caminhada, ferindo-nos. (Para saber como o pecado nos prejudica é só contemplar a Paixão de Cristo! Verificar o que os seus pecados fizeram com Ele, o mesmo que fazem com você.)

Como então resolver o “problema” da nossa conversão? Deus nos dá a fé e a liberdade para aderir ou não a ela: nosso pecado nos derruba e a graça Divina nos estende a mão, constantemente. Como fazer para sempre me agarrar a esta mão estendida? Me deixando converter por Deus todos os dias. Esse é o passo que devo dar: me deixar converter. E o espaço privilegiado para isso é a oração. Pela oração, pela palavra de Deus, pela fé e adesão, Ele vai nos transformando… quebrando nosso coração de pedra e substituindo por um de carne, por um coração capaz de amar com Seu amor.

A vida de oração é essencial para caminhar, ela é, de certa forma, nosso passo concreto. Nosso passo ao encontro Daquele que nos ama e desejamos amar cada vez mais. E é também pela vida de oração que reconhecemos aquela voz terna e segura, que nos enche de força e esperança quando nos aconselha, sempre.

“Fazei o que Ele vos disser.” Jo 2,5

Entregar nossos passos aos cuidados da Mãe, estendermos nossos braços para que ela nos ensine a andar é deixar nosso caminho mais suave e ter a certeza de que chegaremos com ela. Ela não nos abandona e sabe o caminho certo e seguro para o coração de seu Filho.

Rosana Vitachi
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.