Deus revela seus mistérios aos amigos mais íntimos

0
mistério

Os Mistérios de Deus são preciosidades confiadas aos Seus melhores amigos e ocultas aos que não Lhe buscam. Muitas vezes, eu me deparei com o seguinte questionamento: se Jesus nos pediu para anunciar o Evangelho a toda criatura (Cf Mc 16,15), por que Ele falava em Parábolas restringindo a poucos a Verdadeira Mensagem, seu Mistério?

O mistério sobre os mistérios

Diante do questionamento sobre a maneira de Deus se revelar aos homens, comecei a observar o meu próprio “funcionamento”: quando alguém demonstra real interesse em saber quem e como sou, sinto-me convidada a revelar-me mais profundamente (aspectos positivos e negativos), sem constrangimentos, pois me sinto acolhida em minha verdade.

Quando percebo que me perguntam as coisas “por perguntar” ou nem querem saber quem sou de verdade, isso me desmotiva a partilhar minha vida. Nesse caso, mostrar quem sou, seria como impor algo que o outro não quer saber, como uma pessoa correndo atrás de outra, lançando sobre ela informações que, ao final, ficariam como pétalas jogadas ao chão.

Penso que deva ser esse tipo de “funcionamento” utilizado por Deus (a própria certeza sobre isso é um Mistério…). Afinal, sabemos que Ele não invade a nossa liberdade: “Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e me abrir a porta, entrarei em sua casa e cearemos, eu com ele e ele comigo”- Ap 3,20. Vejam: acolher a Verdade, o Amor e o Ser de Deus é motivo de muita Alegria! É motivo de comemoração! Significa cear com Ele!

Sendo Deus aquele que mais nos ama neste Universo, o que Ele anseia é cear com Seus amados! Seu maior desejo é nos deliciar com Suas Verdades, nos alimentar e sustentar com o Seu Amor, e nos deleitar com o Vinho da Alegria, nos saciar com a Sua Água Viva. Deus deseja profundamente que acolhamos as surpresas de Seus Mistérios.

Diferente de qualquer outra pessoa com quem nos relacionamos, as revelações de Deus são verdadeiras preciosidades, certamente, porque Ele é Perfeito! Nele “estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência”. (Cf. Col 2,3)

Ainda há os que estão à parte

Na Palavra da Salvação podemos observar cinco tipos básicos de situações diante da experiência com o Mistério de Deus: pecadores públicos que se converteram (como São Mateus); pecadores que não se converteram (como Herodes Antipas); religiosos não convertidos (como muitos mestres da Lei); justos que permaneceram firmes na Fé (como São José) e os religiosos que se desviaram de Deus e se perderam (como Judas, o traidor).

Em cada uma dessas situações, o Mistério de Deus “bateu à porta” dos corações, assim como sempre aconteceu, desde os primórdios da humanidade e continuará a acontecer até o fim dos Tempos. A grande diferença está na abertura dos corações. O tempo todo Deus nos dá chances e oportunidades de conversão (cada segundo de nossa vida é uma oportunidade).

Portanto, se há pecadores que não se convertem, é porque seus corações se encontram soberbos e não abrem as portas para acolher a preciosidade do Mistério, não fazem o mínimo esforço para compreendê-lO.

A Palavra nos ensina que a soberba é o que atrapalha a Salvação: “Se tu és sábio, é para teu bem que o és, mas se tu és um ‘soberbo’, só tu sofrerás as consequências.” (Pr 9,12)

O uso de parábolas

Jesus é tão profundo que o que sai da boca Dele tem um significado que precisa ser refletido e analisado devido, justamente, ao valor de Suas Palavras. Ele resguarda o precioso e “não atira pérolas aos porcos”. (Cf. Mt 7,6)

A Parábola é o despertar da curiosidade para se conhecer o Mistério. Contudo, quando encontra um coração interessado por Sua Verdade, Jesus revela o que está além. Os corações soberbos ficam retidos no “raso” das Palavras.

É assim que Deus esconde Sua Beleza dos “sábios e inteligentes” (aos olhos do mundo) e a revela aos “pequeninos” (Cf. Lc 10,21), conquistando-os cada vez mais para Si.

Aos que se abre para saber o que está por trás das Parábolas, Jesus as explica com muita paciência e amor; elas ilustram com mais clareza aquilo que o Mestre quer ensinar. Além disso, elas “dão vida à Palavra de Deus” que atinge nossos corações de maneiras diversas, dependendo das situações que estamos vivenciando, permitindo-nos uma verdadeira Relação com Deus.

Assim, podemos observar que, pelo imenso desejo de Jesus em salvar a todos, Ele sempre nos alerta que há algo a mais por detrás das palavras: “Quem tem ouvidos ouça.” Essa advertência aparece em inúmeras passagens bíblicas. Segue algumas delas: Mt 11,15; Mt 13, 9; Mt 13,43; Mc 4,9; Mc 4,23; Lc 8,8; Lc 14,35; Ap 2,7; Ap 2,29; Ap 3,6.

Viver o mistério

Com efeito, alimentados pela Verdade de Deus através de nossa Intimidade com Ele e utilizando o melhor de nossas capacidades humanas, devemos cumprir o Seu apelo de anunciar o Evangelho ao mundo. Refiro-me ao “melhor de nossas capacidades”, pois a transmissão da Verdade de Deus perpassa nossa humanidade, nossa busca de santidade, coerência, clareza na comunicação e sim, criatividade! Porque a criatividade é um grande instrumento para que o Mistério “bata à porta”, de maneira bastante convidativa a fim de que essa porta seja aberta.

Luiza Torres
Postulante da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.