“Em uma só noite conseguimos resgatar 37 mulheres escravizadas”, afirma religiosa na Índia

0

“Em quatro anos conseguimos mandar para a prisão 30 traficantes de pessoas”, expressou aos jornalistas a irmã Sharmi D’Souza, religiosa das Irmãs Catequistas de Maria Imaculada Auxiliadora (SMI), que trabalham, junto com a polícia, nos bordéis da Calcutá (Índia) libertando mulheres e meninas da escravidão sexual.

mulher

Ela, junto com outras sete religiosas, foi convidada a assistir à apresentação da Mensagem do Papa para a XLVIII Jornada Mundial da Paz (a celebrar-se neste 1° de janeiro de 2015), sobre o tema “Não mais escravos, mas irmãos”, que pede a todos combater as formas modernas de escravidão.

Em declarações à imprensa em 10 de dezembro passado, a religiosa contou um fato alarmante: “Em uma só noite (conseguimos) resgatar a 37 mulheres”. Sendo uma dezena delas menores de idade.

Conforme assinala a agência católica AICA, as irmãs acolhem as mulheres, oferecendo segurança, apoio e atenção para recomeçar com suas vidas; enquanto que as mulheres liberadas dão informação crucial à polícia, como os nomes dos exploradores e a localização dos outros bordéis.

Muitas vezes, relata a religiosa, a polícia se nega a ir com as religiosas em alguma operação porque com frequência os próprios policiais são cúmplices ou estão comprados pelos traficantes. Quando isso acontece as irmãs vão às autoridades superiores e finalmente obtêm que “eles se movimentem”, assinalou a irmã D’Souza.

“Nunca vamos sozinhas. Vamos junto com outras ONG. Mas necessitamos que nossos pastores estejam conosco, que nossos bispos e nossos sacerdotes nos apoiem, porque se eles estiverem conosco, podemos fazer ainda mais”, concluiu.

ACI Digital

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

3 × três =