Ensine o que você aprendeu

0
ensine

Escute aqui a transcrição dessa matéria

14Vós sois a luz do mundo. 15Não se acende uma lâmpada para colocá-la debaixo de uma caixa, mas sim no candelabro, onde brilha para todos os que estão em casa. 16Assim também brilhe a vossa luz diante das pessoas, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus”. (Mateus 5)

Cada um de nós possui conhecimentos dados por Deus e acumulados durante o decorrer da existência e é nosso dever ensiná-los para quem está a nossa volta. Deus nos cumula de muitos dons que nos fazem mais sábios. Você não deve guardar tudo para si, ensine e não retenha!

A passagem no início dessa reflexão faz parte do conjunto de pregações que chamamos de Sermão da Montanha, no qual Jesus dirige ensinamentos aos seus seguidores. Jesus é o modelo a ser seguido por nós, pois veio ao mundo nos ensinar a ser filhos de Deus. Se Ele nos ensinou tudo o que aprendeu do Pai, quem somos nós para não fazer o mesmo?

Essa palavra é clara ao dizer que a luz foi feita para iluminar e por isso precisa ficar aparente. Portanto, nossos dons serão vistos a partir de nossa abertura para mostrá-los. Aqui está uma questão importante, sobre o quanto temos consciência de que os dons de Deus e a sabedoria que Ele nos dá não são apenas para nosso proveito e sim para todo o povo de Deus.

A nossa carne egoísta nos faz guardar tudo para nós mesmos, bens materiais e espirituais. É como na parábola do homem rico e insensato, que em sua avareza, quis construir grandes celeiros para armazenar a abundância de sua colheita apenas para si (cf. Lucas 12, 13-21). Assim também somos nós ao nos esforçar para guardar tudo conosco, enquanto poderíamos partilhar com aqueles que Deus coloca em nosso caminho. Ele nos dá oportunidades de doar aquilo que recebemos, mas tendemos a ser como aquele que prefere enterrar seus talentos, como Jesus ensina em outra parábola, ao invés de multiplicá-los (cf. Mateus 25, 14-30).

A lógica de Deus não é a nossa lógica. Em Deus, quanto mais se dá mais se recebe. Portanto, reter o que aprendeu não é um bom caminho. Ensine!

Você deve estar se perguntando o que poderia ensinar e para quem. A resposta é simples e está mais perto de que se imagina. Pense naquilo que tem facilidade de executar, aquilo que sabe fazer com prazer e coisas que sabe fazer bem. Tudo isso é matéria de ensino para alguém, basta estar aberto para ensinar e não perder as oportunidades de fazê-lo.

Ensine conhecimentos de matemática se você os sabe, ensine artesanato se você sabe, ensine a pintar, costurar, construir, escrever, cozinhar! 

Caso sinta que esses exemplos não se encaixam com sua vida, tenho algo a mais para completar. Todos nós somos chamados a ser missionários graças ao nosso batismo, cuja ação nos insere no Corpo Místico de Cristo para sermos propagadores de Seu Nome no mundo. Tenho certeza de que Deus já realizou muitas obras em sua vida e que tem muitos testemunhos da bondade e misericórdia de Deus.

Se você é um missionário pelo seu batismo, por que não contá-los? Saiba que isso também é uma forma de ensino! Foi assim que caminhou a Igreja em seus primórdios e que hoje conhecemos por Tradição, ou seja, os apóstolos propagaram tudo o que ouviram, aprenderam, viveram e experimentaram com Jesus e por Jesus e assim, até hoje, suas histórias estão sendo propagadas e formam a base de nossa fé.

Sua vida pode ser a base de alguém, o seu testemunho pode ser a Boa Nova para alguém e seu ensino pode transformar alguém, portanto, ensine! 

Nossos conhecimentos sejam técnicos, materiais, práticos ou espirituais são um dom, ou seja, um presente gratuito de Deus. Quando ensinamos somos evangelizadores, mesmo quando estamos ensinando matemática ou física, porque estamos simplesmente dando o que temos por amor a Deus.

Precisamos ser generosos e dar de graça aquilo que de graça recebemos sem medo, preguiça ou comodismo. Como diz o trecho inicial dessa reflexão do Evangelho de São Mateus, a luz que está em nós deve brilhar para que Deus seja louvado, porém nós não somos a luz. Não é a nossa pessoa que deve estar em destaque e sim a obra de Deus que é revelada através de nós. Eu e você somos apenas o veículo, quem deve ser exaltado é o nome do Senhor em tudo o que fazemos e ensinamos. Tudo o que distorce e atrapalha esse movimento de sair de si para levar os dons para fora precisa ser submetido à Deus. Medos, pretensões, egoísmos, orgulho e até a nossa história de vida podem atrapalhar esse processo, mas Deus pode nos curar de tudo isso, basta que nos abramos e deixemos com que Ele faça a obra em nós. 

Espírito Santo de Deus, venha em nosso auxílio e com o Teu vento impetuoso sopre-nos para onde o Senhor deseja ser ouvido! Nos ajude a olhar para fora de nós mesmos e levar o Teu amor para os que precisam! Amém!  

Luciana Ronqui
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

20 + dezenove =