Escrúpulos: Você confia ou tem medo de Deus?

0
escrúpulos

Escute aqui a transcrição dessa matéria

Você é escrupuloso? Conhece alguém que seja? Sabe o que isso significa? Sabe que existe cura?  A palavra escrúpulo vem do latim e significa “pedrinha”. No dicionário encontramos que os escrúpulos se referem a um “estado de hesitação da consciência; dúvida ou inquietação espiritual”. Para nós, católicos, o escrupuloso é aquele que “vê pecado em tudo”, mas de uma forma obsessiva.

Através do temor a Deus, que é um dom dado pelo Espírito Santo, existe em nós o desejo de não desagradar a Deus, a vontade e a busca de não pecar. No entanto, esse desejo de não pecar deve ter um sentido positivo. Ou seja, vou lutar contra o pecado para que assim eu possa estar próximo de Deus, para estar em comunhão com Ele. O escrupuloso vive o temor a Deus em um sentido negativo, tendo como foco o pecado.

Escrúpulos e seus perigos

Somos pecadores, isso é fato. Contudo, pela graça de Deus, encontramos misericórdia e perdão. Por amor a Ele devemos sim, buscar a todo custo a conversão e o estado de graça. É importantíssimo termos esta consciência, no entanto, para alguns o pecado torna-se uma prisão. A pessoa escrupulosa passa a ter um olhar unicamente para o pecado, tonando-se escrava dele.

O escrupuloso enxerga Deus como juiz, como tirano que só o acusa e o pune por cada erro que comete. Essa pessoa torna-se extremamente preocupada, com pensamentos insistentes. Demora a se resolver com as situações, fica remoendo as mais simples coisas. Incomoda-se com a atitude do outro para consigo, pensando que cometeu algum erro, que a culpa é sua. Se mantém em um estado constante de angústia e dúvida.

Enfim, esta pessoa se fecha em si mesma, em suas culpas e é incapaz de se perdoar e muito menos de “aceitar” o perdão de Deus. Os escrúpulos tem como resultado o medo e a desconfiança de Deus.

Não estamos sós

Normalmente o escrupuloso esconde seus sentimentos, seja por medo ou por vergonha. Porém, é importante saber que não se está só. Alguns Santos da Igreja Católica também foram atormentados por esta situação. Como Santo Inácio de Loyola, Santo Afonso de Ligório e nossa querida Santa Terezinha do Menino Jesus.

“No retiro para a Segunda Comunhão é que fui assaltada pela terrível doença de escrúpulos… É preciso passar por tal martírio, para o compreender. Ser-me-ia impossível dizer quanto não sofri em ano e meio… Todos os meus pensamentos e as mais simples atividades se tornavam para mim motivo de perturbação.”¹

Os escrúpulos e a cura

Sim, é possível curar-se deste mal. Santa Teresinha nos revela que foi curada naquele que chama de o “milagre de Natal”. Ela diz: “Mas eu não era mais a mesma Teresa, Jesus me mudou completamente”¹.

Deus em sua infinita bondade e sabedoria sabe que não somos capazes de sozinhos combater o pecado. Por isso, nos é dada a graça de, reconhecendo que somos pequenos e fracos, nos lançarmos confiantes em Sua misericórdia.

Uma vez reconhecido que se esta sofrendo com os escrúpulos deve-se procurar ajuda. Através da confissão e da Eucaristia, nos reconciliamos com Deus. E pela vida de oração, nos aproximamos Dele. Clame ao Espírito Santo, discernimento e coragem para enfrentar e se abandonar no amor e na misericórdia de Deus.

Vanessa Cícera
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

20 − 17 =