Eu tenho me deixado transformar ou sou transtornada?

0

 “Naquele dia, saiu Jesus e sentou-se à beira do lago. Acercou-se dele, porém, uma tal multidão, que precisou entrar numa barca. Nela se assentou, enquanto a multidão ficava à margem. E seus discursos foram uma série de parábolas. Disse ele: “Um semeador saiu a semear. E, semean­do, parte da semente caiu ao longo do caminho; os pássaros vieram e a comeram. Outra parte caiu em solo pedregoso, onde não havia muita terra, e nasceu logo, porque a terra era pouco profunda. Logo, porém, que o sol nasceu, queimou-se, por falta de raízes. Outras sementes caíram entre os espinhos: os espinhos cresceram e as sufocaram. Outras, enfim, caíram em terra boa: deram frutos, cem por um, sessenta por um, trinta por um. Aquele que tem ouvidos, ouça.”  (Mt 13, 1-9)

Como temos acolhido as palavras e as ordens do Senhor em nossos corações e em nossas vidas?

Trazendo a Parábola do Semeador para a nossa vida, podemos fazer uma reflexão sobre a abertura do nosso coração diante do que Deus nos fala. Substituiremos aqui o termo “semente” por “palavra” ou “ordem”. Como tenho acolhido as palavras e as ordens do Senhor em meu coração? Tenho me deixado transformar ou sou transtornada por elas? 

É possível que sejamos todos os tipos de terra citados na passagem do Evangelho acima ao longo de nossa vida, e, às vezes, num breve período de tempo e até no mesmo dia. Depende da maneira que nos encontramos ou da forma como reagimos a uma palavra ou a uma ordem específica.

Se estivermos com o coração árido e duro, distante de Deus, dificilmente uma palavra ou uma ordem penetrará o nosso coração.

Mas, e quando nos colocamos em escuta ao Senhor, como reagimos às Suas ordens, principalmente, àquelas que divergem de nossas vontades, nossas concepções, nossos projetos… ?

Confiança em Deus

Ainda que sejamos discípulos de Cristo e desejemos caminhar com Ele, é comum que ao decorrer de nossa jornada nos deparemos com ordens do Senhor que parecem não ser bem digeridas por nós. Por vezes, pode ser que apenas discordemos de Sua ordem por um motivo simples qualquer e bastará renunciar a nossa vontade para que essa Palavra nos transforme e dê fruto em nós. Outras vezes, é possível que essa ordem cause em nós reações de medo, agonia ou dor. Talvez por mexer com algo profundo dentro de nós. Um bom diretor espiritual poderá ajudar-nos a discernir sobre a vontade de Deus manifestada através dessa Palavra ou sobre a obra que Ele deseja realizar em nós.

Em todos esses momentos, confiemos no Senhor que nos ama imensamente e só deseja o nosso bem e a nossa salvação. Sua sabedoria, Sua onisciência, Seu poder e Seu Amor nos ultrapassam. Ainda que a lógica do Senhor seja oposta à minha, e que eu não a entenda racionalmente, Deus é Deus, e Sua lógica “enxerga” muito além da minha. Pois meus pensamentos não são os vossos, e vosso modo de agir não é o meu, diz o Senhor; mas tanto quanto o céu domina a terra, tanto é superior à vossa a minha conduta e meus pensamentos ultrapassam os vossos.” (Is 55 8,9).

É hora de confiar em Deus e de dar um passo de fé e de obediência! Esse é o grande desafio! Porém, somente se tivermos a coragem de submeter a nossa verdade à Verdade do Senhor, seremos transformados pela Sua Palavra e conheceremos os Seus desígnios de amor e felicidade plena!

É lícito questionar a Deus?

 Tudo depende da intenção do nosso coração! O que nos faz questionar a Deus? Um coração revoltado, um coração que deseja reconciliar-se com o Senhor por não estar em paz ou um coração que deseja conhecer mais profundamente a Deus? Se a intenção for reta, ainda que possa parecer uma afronta a Deus, Ele Se revelará! Na história da Igreja, inúmeras pessoas, que haviam sido pagãs ou atéias, dentre elas muitos santos e santas, chegaram ao conhecimento de Deus e se converteram a Ele partindo de questionamentos, mas com um real desejo de alcançar a Verdade! Isso continua acontecendo com frequencia no mundo inteiro.

“Pedi e se vos dará. Buscai e achareis. Batei e vos será aberto. Porque todo aquele que pede, recebe. Quem busca, acha. A quem bate, se abrirá.” (Mt 7, 7-8). Deus prometeu que Se deixaria encontrar por todos aqueles que O buscassem de coração sincero, tem cumprido Sua promessa em todos os tempos e lugares, e será fiel a ela até o fim dos tempos!

  Que o Bom Deus nos abençoe!

Adriane Luz
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator 

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

cinco × cinco =