Festa de Todos os Santos

0

“Depois disso, vi uma grande multidão que ninguém podia contar, de toda nação, tribo, povo, língua: conservavam-se em pé diante do trono e diante do Cordeiro, de vestes brancas e palmas na mão.” AP 7,9.

todos_os_santos

Na Festa de hoje, a Igreja peregrina se une a Igreja celeste para celebrar a festa de todos os Santos, festa dedicada não somente aos canonizados, mas principalmente aos outros Santos que fizeram de sua vida uma verdadeira entrega ao amor de Cristo vivendo no escondimento, no cotidiano, nos lugares mais simples e mais distantes o verdadeiro sentido da Santidade. Fizeram de suas vidas uma oferta agradável a Deus, “lavaram e alvejaram suas vestes no Sangue do Cordeiro.”AP 7,14.

Festa que ascende em nós, Igreja peregrina, uma viva esperança de chegarmos à plena realização, à plena felicidade.

Quando Deus nos criou, infundiu em nós um desejo ardente de felicidade. Todos indistintamente buscamos a felicidade. Tudo o que fazemos ou realizamos, mesmo em nossa ignorância, o fazemos em vista de nossa felicidade. Mas em um mundo marcado pelo egoísmo, hedonismo, consumismo, etc, por mais que o ser humano tenha buscado, não encontra a felicidade, pois somente Aquele que a infundiu em nós, é capaz de dá-la.

E essa felicidade já podemos experimentá-la aqui nesta vida, mesmo que de maneira velada, mas plenamente só iremos saboreá-la na vida eterna onde os Santos plenamente se deliciam dela, pois foram os Bem-Aventurados que souberam imitar a Cristo com suas vidas, fazendo de seus sofrimentos trampolim para a verdadeira vitória em Jesus.

“Dai-nos, Deus meu, a entender o galardão dos que pelejam varonilmente durante o sonho desta miserável vida. Alcançai-nos, ó almas amantes, a compreensão do gozo que vos dá a entenderdes a eternidade de vossos deleites. Que felicidade tão deliciosa a vossa, pela certeza de que nunca terão fim.

Ó almas bem-aventuradas, que tão sabiamente vos soubestes aproveitar dos dons de Deus e, com este valioso preço, comprar a herança tão deleitosa e duradoura! Dizei-nos como fizestes para granjear essa felicidade sem fim! Ajudai-nos, pois estais tão perto da fonte! Colhei água para nós que na terra perecemos de sede.” Santa Teresa de Jesus, Exclamações 13,2.4.

Elias Antonio Breda Gobbi
Consagrado na Comunidade Católica Pantokrator

Missão de Jaguariúna.

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.