A humanidade de Cristo

0

TheLivingChristUmas das características mais marcantes em Jesus é sua humanidade, a forma com que Ele foi humano mesmo sendo Deus. Como diz as Sagradas Escrituras: “Sendo ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens”. Fil 2, 6-7.

Sendo Deus Ele poderia usar de todo o seu poder, mas preferiu se baixar, se aniquilar, se colocar na condição de servos dos homens. Ele veio para nos servir e viveu a dinâmica do serviço até as suas últimas consequências amando profundamente o homem. Ele amou todo tipo de pessoa: coxo, cego, aleijado, prostituta, cobrador de impostos, rico, pobre. Foi ao encontro de cada um e manifestou o seu amor.

Como homem Ele chorou, sofreu, passou necessidades, como qualquer outro. Temos, portanto, um Deus que viveu tudo aquilo que vivemos hoje. Podemos apresentar pra Ele todos os nossos dramas, sofrimentos e permitir que Ele nos acolha com a ternura de seu amor e nos cure. Ele não é insensível ao homem e ao seu sofrimento.

Um dia uma numerosa multidão seguiu Jesus, eram mudos, cegos, coxos, aleijados e muitos outros enfermos. Eles queriam escutá-lO e ser curados de suas enfermidades, em um dado momento Jesus chamou os seus discípulos e disse: “Tenho piedade desta multidão: eis que há três dias está perto de mim e não tem nada para comer”. (Mt 15,32).

Jesus tem piedade de mim e de você. Assim como Ele demonstrou amor, compaixão e sensibilidade por aquele povo, assim também Ele olha para nós com compaixão, pois, somos também o seu povo.

Jesus veio justamente para nos salvar e para que nós o buscássemos. Ele veio para nos libertar, nos dar uma vida nova. O Deus Todo Poderoso um dia pisou nossa terra e viveu no meio de nós. Podemos ir ao seu encontro assim como aquele povo e apresentar para Ele as nossas enfermidades, os nossos problemas. Ele quer nos curar e cuidar de nós.

Apresentemos para Ele todas as nossas enfermidades físicas e espirituais. Ele veio justamente para nós, para os doentes, para os pecadores: “Os sãos não precisam de médicos e sim os doentes; não vim chamar os justos, mas os pecadores”. (Marcos 2,17).

Fábio Júnior
Discípulo da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.