Ser jovem é ser intenso, ser cheio de sonhos e cheio de dúvidas, tudo junto e misturado. Já não é simples. Ser jovem e universitária, então, é ser corajoso e determinado em descobrir novas coisas, ou seja, menos simples ainda! Mas e quando se é jovem, universitário e ainda por cima, cristão, tudo ao mesmo tempo? Bom, aí a história vira outra.

Você já tinha se atentado a isso ou o título de “cristão” que você carrega consigo não faz diferença naquilo que você é na universidade? Infelizmente, hoje em dia é raro encontrar pessoas que realmente se preocupam com Deus no ambiente universitário.

É necessário que o jovem cristão tome consciência de tudo o que o envolve quando ele inicia a faculdade, falo por mim mesma nosso mundo muda muito nessa fase da vida.  Antes de qualquer coisa, o verdadeiro cristão universitário precisa urgentemente tomar posse daquilo que ele é, pois, sem isso, ele se perde em sua própria identidade.

Tudo começa com um trabalho aqui, uma prova ali, falta de tempo pra lá… aos poucos a rotina de oração se perde, não se tem mais espaço para as coisas de Deus, e desculpas surgem dos quatro cantos do mundo. Eu sei, a universidade é exigente, assim como a vida cristã.

Alguns se questionam se é realmente possível conciliar as duas sem relaxar com nenhuma delas.

Por minha própria experiência, posso afirmar que não importa o quão difícil seja seu curso ou o quão rígida seja sua universidade, sempre é possível. Mas, para crer nisso, é necessária uma mudança de postura e de olhar sobre o que significa ser um jovem cristão de verdade.

universitário

A universidade para um jovem cristão

Fazer faculdade pressupõe a busca de uma realização profissional futura o que é essencial para cristãos que exercerão sua busca de santidade no meio secular algum dia. O trabalho e o estudo também são modos de servir a Deus. No entanto, tenho observado os estudantes mundanos ao meu redor e vejo algo a mais que isso.

O jovem, inconscientemente, tem sede de fazer a diferença no mundo. Tem sede de se engajar em algo e dar a vida por algum ideal, seja ele qual for. É nisso que ele encontra o sentido de sua vida. Então, quando não encontra esse sentido em Cristo, acaba encontrando na sua formação acadêmica.

Seu maior objetivo se torna ter aquela profissão e exercê-la bem. Portanto, todas as suas forças se concentram na vida universitária. E é aí que entra a diferença deste jovem para um jovem universitário cristão. Para um cristão, a vida universitária não deve vir antes da vida com Deus.

O nosso maior foco, nosso maior objetivo, nossa maior busca não é nossa realização acadêmica, e sim o Céu! Todo o resto deve ser secundário, inclusive a universidade. Ela é importante, é um meio de encontrar a Deus, mas jamais deve ser o centro de nossa vida.

Enquanto muitos definem a sua formação como prioridade, para nós a prioridade é outra, e por isso podemos conciliar as duas vidas. A busca de um nerd pelo seu diploma deve equivaler com a busca de um jovem cristão pela sua santidade. A vida universitária é apenas um meio de se chegar até ela.

É humano e instintivo querermos agarrar o controle de todo o caos de nossas vidas e fazer tudo dar certo com nossa própria estratégia. Todavia, quando digo que é possível conciliar duas realidades tão intensas, é preciso que o primeiro passo seja o abandono de nosso controle e razão nas mãos do Pai.

Sem adentrarmos na confiança da Graça, jamais iríamos enxergar isso sozinhos. É um grande desafio que Deus, dá especialmente aos jovens, pois acredita na sua sede de intensidade de vida. Afinal, viver deste modo é experimentar a adrenalina todos os dias de maneira diferente.

Segundamente, é preciso renunciar aos desesperos! O próprio Livro dos Salmos já inicia com a declaração “Feliz aquele que se compraz no serviço do Senhor, […] tudo o que empreende prospera.” (Salmos 1, 2-3). Em outras palavras, é como se o salmista afirmasse que ao cuidarmos das coisas de Deus, Ele cuidará das nossas.

Deus honrará a tua fé e dedicação com as coisas do alto, e jamais permitirá que se prejudique em sua vida universitária por conta da vida cristã. Ele nos sustenta!

Muitos dirão que você é louco. Te farão perguntas… às vezes o julgarão também. Portanto, em terceiro lugar é essencial estar sempre em postura de vigília. O ambiente universitário é cheio de questionamentos, por isso o soldado que sobrevive é aquele que anda com as armas certas.

Quem ama a Igreja e os valores de Cristo, precisa defendê-los, mas para isso precisa-se conhecer a doutrina e as razões da fé. Se te questionarem e sua fé não estiver bem enraizada no que é verdadeiro, o inimigo irá confundi-lo. Estudar a Igreja é uma maneira de zelar pela própria caminhada espiritual.

Os universitários ao seu redor têm sede de Deus

Além de tudo isso, é importante ressaltar que a fé nunca deve parar apenas em nós mesmos. Quando Deus nos insere em algum lugar, significa que temos uma missão naquele ambiente.

Na universidade, um lugar com tanta promiscuidade, com tantos jovens perdidos, o verdadeiro cristão universitário poderá ser o único contato com Deus que os outros a sua volta terão. São João Paulo II, no Congresso Universitário Internacional do ano de 2000, discursou: “Tendes necessidade de Cristo, mas também Cristo precisa de vós para que O deis a conhecer aos vossos coetâneos, com os quais compartilhais experiências e esperanças.

A Igreja confia-vos a missão de lhes levar a luz da verdade de Cristo, o seu anúncio universal da salvação.” Assim, a relação do jovem universitário com Cristo deve exalar para fora e atingir os outros que convivem com ele.

São João Paulo II, ainda em outra ocasião, também afirma: “A espera de Cristo, também para nós, caros jovens estudantes e ilustres professores, deve traduzir-se em quotidiana busca da verdade, que ilumina as veredas da vida em cada uma das suas expressões.

A verdade, depois, impele à caridade, testemunho autêntico que transforma a existência da pessoa e as próprias estruturas da sociedade.” (Homilia de São João Paulo II na missa para os universitários em preparação para o Natal, 1998). Portanto, ser testemunho não é apenas importante, mas consequência de uma vivência na verdade.

Os jovens universitários, ainda que não conheçam a Cristo, têm necessidade de Deus. Quando doam sua vida pela formação acadêmica e se cansam, eles percebem que, no final das contas, sempre estará faltando algo. Se não for você, quem mostrará o verdadeiro sentido da vida a eles?

Giovana Cardoso
Postulante da Comunidade Católica Pantokrator 

1 COMENTÁRIO

  1. Boa Tarde!

    Bom, na minha opinião, acredito que muitos jovens de hoje, deveria levar sério aos cuidados de ser cristão de verdade do nosso Senhor Jesus pressupõe a verdade oculta do coração de ser soldado, mas acredito que devemos nos esforçar por nossa impertinência da culpa e do remorso que encontramos na nossa vida tanto na familia e tanto nos outros, talvez um pouco de “Paciência” faria maior questão de ser diferente e aceitável como a vida pode representar no ensinamento Cristão. Bom, acho que você está certa nesse ponto. Devemos sempre ser prudente mesmo, vida de cristão exige muito sacrifício e viver comum com Amor ao próximo como a si mesmo.

    Abraços! Fica com Deus! Bom texto!

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.