Recordo-me de uma música do Padre Zezinho, antiga e linda: “Minha vida tem sentido cada vez que venho aqui…”. Para nós cristãos, de fato, a vida ganha sentido quando entregue ao Criador para que Ele nos conduza, em sua Divina Sabedoria, como folhas secas ao sobro do vento.

Muitas pessoas passam a vida inteira tentando compreender o sentido da vida. Lançam-se em mil e uma aventuras na tentativa de tocar o real sentido de sua existência, parecendo até, às vezes, ser mais fácil ir em busca daquilo que está fora, distante e não se arriscam na aventura de um passeio interior.  É interessante, inclusive, perceber que, depois de muito tempo, após tanto buscar fora, de se cansar na caminhada, de derramar suor e lágrimas, descobre que procurava longe o que estava tão perto!  “Tu estavas dentro de mim e eu fora” (Santo Agostinho – Tarde te amei – Confissões 10).

“Encontrei o meu céu na terra, porque o céu é Deus e Deus habita minha alma.”

Como é lindo fazer a experiência de olhar para dentro de si mesmo e perceber que, em meio às nossas fragilidades e limites, Deus habita em nós! O El Shaddai, o Deus Todo Poderoso, habita a nossa alma! Como bem pronunciou a Santa Elisabete da Trindade: “Encontrei meu céu na terra, posto que o céu é Deus e Deus está em minha alma!” (Obras Completas, carta 107, à condessa de Sourdon). Essa descoberta me levanta das minhas impotências e me lança na verdade de que “Tudo posso Naquele que me fortalece!” (Filipenses 4,13)

Isso não faz de mim uma super-heroína inabalável, blindada contra todos os desafios da vida cotidiana, mas me leva ao conhecimento e à certeza de que, nos momentos difíceis, na hora em que a dor e o sofrimento me abatem, eu tenho uma fortaleza inabalável dentro de mim. Deus, por amor, fez Sua morada em meu e no seu interior e é possível nos dias angustiantes mergulhar até a profundidade da nossa alma e nos encontrarmos com Aquele que em nós habita!

Somos território do Sagrado

O ser humano toca a sua verdade quando se percebe território Sagrado, solo Santo, Templo do Espírito Santo.

A nossa vida precisa ser a expressão do sagrado, sinal do Céu. Quando vivemos autenticamente a nossa fé, antecipamos a vinda de Cristo! Onde existe um cristão agindo de maneira essencialmente cristã, tenhamos a certeza de que é Cristo atuando através dessa pessoa.

É preciso deixar pegadas de Céu por onde andamos, construir o Céu onde estivermos, sendo capazes de vencer os nossos egoísmos e mesquinharias, permitindo que o Senhor aconteça em nós e através de nós, tornando-nos, assim, legítimos representantes Seu nesta terra.

Quando nós assumimos a salvação em nossas vidas, passamos a promover salvação por onde quer que andemos ou estejamos.

Nossa vida vale muito! Nossa vida não tem preço… tem valor! E um valor inegociável! Somos território do Altíssimo.

Voltar à nossa origem

Isso é conversão: mergulhar no mistério da nossa existência e sermos quem somos, sem máscaras, ou seja, voltar-se à origem: o ser imagem e semelhança de Deus. O convertido é alguém que no exercício de sua humanidade revela o Deus inerente ao homem; não tem como arrancá-lO de nós. Às vezes ofuscamos essa presença de Deus por causa das escolhas erradas que fazemos, e assim, Ele passa a ficar escondido dentro de nós… porém, jamais se ausenta. Faz-se, então, necessário retomar o caminho, relembrar quem somos: filhos criados à imagem e semelhança de Deus.

Quando as nossas virtudes são mais fortes que os nossos vícios, a transparência de Deus acontece, e a nossa imagem e semelhança torna-se mais perceptível aos que nos observam.

Deus não errou com você: Ele o criou para o bem e a vida em plenitude. A semente carrega em si a potência para ser árvore e você carrega a dignidade de Filho de Deus: você é portador da Salvação!

Que a sua história cante a música do padre Zezinho: “Minha vida tem sentido, cada vez que eu venho aqui, e te faço o meu pedido de não me esquecer de Ti”.

Lizandra Romansini
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator 

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.