O Brasil que eu quero é um Brasil que sabe agradecer! Ou, o Brasil que eu quero é um Brasil sem poluição ou o que vocês quiserem…

Uma experiência, uma reflexão: Uma senhora na fila da farmácia começou a reclamar comigo sobre aquele estabelecimento. Ela não me desejou bom dia, não perguntou meu nome, a única coisa que ouvi dela foi a reclamação.

Já percebeu que a maioria dos comentários nas redes sociais sobre algum lugar (padaria, pizzaria, escolas, parques, cinema) é de reclamação? É… parece que gastamos bem menos tempo com a gratidão, com o elogio.

Buscamos muito a qualidade de vida. Que bom! É preciso. Mas, se eu desejo uma qualidade de vida, preciso tirar de mim a poluição da reclamação. Assim como a poluição traz tantos males para nossa saúde e não contribui em nada na qualidade de vida, assim é a reclamação: ela é uma poluição que preciso tirar da minha vida.

O ministério da saúde deveria advertir: “Reclamar faz mal à saúde do corpo e do espírito”.

Pela qualidade de vida, deixamos de fumar, comer gordura, fazemos exercícios físicos ou somente dietas, enfim, mudamos nossos hábitos e até de cidade. Mas, infelizmente, ainda não mudamos o hábito de reclamar.

brasil

Você já percebeu que as pessoas amam a vida? Ninguém quer morrer, mas vivem reclamando dela!

A reclamação está por todo lado como uma poluição: na fila do banco, no médico, na padaria, no cinema, no parque, na apresentação do filho na escola, na formatura, na cerimônia de casamento, nas compras no shopping, até na fila da confissão.

Se você ama a sua vida, pare de reclamar e viva-a!

Chama-me a atenção uma mãe ao dar a luz: ela não reclama das fortes dores que sofreu, mas é grata pela vida que está em suas mãos!

…o texto continua após imagem…

Tomemos como exemplo Paulo e Silas em Atos 16. Eles tinham muitos motivos para reclamar, pois estavam presos injustamente. Mas, não! Eles louvaram, foram gratos: “Pela meia-noite, Paulo e Silas rezavam e cantavam um hino a Deus, e os prisioneiros os escutavam. Subitamente, sentiu-se um terremoto tão grande que se abalaram até os fundamentos do cárcere. Abriram-se logo todas as portas e soltaram-se as algemas de todos” (Atos 16,25-26).

Quero um Brasil que sabe louvar

O Brasil que eu quero é um Brasil que sabe agradecer, louvar, pois tenho certeza que muitos alicerces se moveriam, muitas portas se abririam, viveríamos em um país sem poluição e a tão sonhada qualidade de vida aconteceria.

Sejamos gratos!

Já pensou em semear gratidão no campo da sua vida? Faça a experiência!

Agradeça:
Ao motorista de ônibus, em vez de reclamar a demora do mesmo;
Ao médico que te atendeu, em vez de reclamar da demora no atendimento;
Ao balconista da padaria, em vez de reclamar do pão que talvez esteja mais tostado aquele dia;
Ao seu esposo por ter trabalhado para trazer o sustento ao seu lar, em vez de reclamar do item da lista de mercado que ele esqueceu de comprar;
Aos seus filhos por algum dom que ele tem (tenho certeza, ele tem muitos), em vez de reclamar do tênis que ele não guardou ou da mochila que deixou jogada;
Aos seus pais por abrirem mão de tanta coisa por você, em vez de reclamar por aquilo que não recebeu;
Aos seus irmãos de comunidade, por serem caminho de santidade pra você, em vez de reclamar dele não ser o irmão(a) segundo o seu projeto…

Se semearmos gratidão no campo de nossa vida, teremos os frutos que nos alimentarão para uma vida feliz e saudável! E então, nascerá a tão sonhada qualidade de vida!

Obrigada, Senhor!

Marciléia Hinckel
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.