O que é ser amado até o ciúme por Deus?

3

A palavra ciúme num primeiro momento pode gerar uma conotação negativa, entretanto, quando falamos em ser amado até ciúme por Deus, referimo-nos a algo extraordinário, fascinante, algo que muda nossa vida, é uma experiência única e exclusiva para cada ser humano escrita pelas mãos do próprio Deus. Você já experimentou esse amor ciumento? Você deseja experimentar?

Tentarei explicar como me senti na minha experiência do amor ciumento de Deus para te ajudar a se abrir ao Espírito Santo, e que Ele aumente ainda mais a tua fé e te leve a mergulhar neste encontro impactante com o Senhor dos Senhores. Desde a minha infância, Deus tem me conduzido de forma inusitada, minha mãe é maravilhosa, foi ela que me catequizou e me ensinou sobre a eucaristia, dizia-me para jamais duvidar da presença de Jesus na hóstia consagrada, sempre me levava às missas dominicais e me exigia postura e respeito.

Chegando à adolescência, frio na fé por não ter descoberto as maravilhas de Deus, não via a hora de terminar a catequese para não ir mais a missa, no entanto, Deus enviou a Mariele para me chamar para tocar guitarra no ministério de música Santa Cecília e desde então nunca mais faltei em uma missa dominical. Também nesta mesma época, eu estava começando a sair para baladas para ficar com as mulheres, então Deus me socorreu desta cilada enviando uma namorada e um grande amigo me chamou para fazer uma banda de rock católico, chamada Sinal de Vida. E passamos por alguns anos crescendo no serviço e fugindo das correntes de pecado que o mundo oferecia.

Mas isso não estava bom para Deus, eu ainda era escravo do mundo em algumas situações e o Senhor não queria me dividir, Ele me queria só pra Ele. Eis que começa a trabalhar na mesma empresa que eu trabalhava o Adriano, um homem cheio de vigor no serviço a Deus, totalmente engajado na RCC. Ele me convidou para um Congresso Estadual do Ministério Jovem, no ano de 2009, e neste congresso eu ouvi Deus me chamando para ocupar espaços na sociedade e levar Cristo para esses lugares. E eu disse SIM!

No outro final de semana o padre da paróquia me chamou para uma reunião e me disse que eu deveria ser o coordenador do grupo de jovens, eu aceitei e sabendo da responsabilidade comecei a estudar mais sobre Deus. Devorei o site do Padre Paulo Ricardo e me dediquei com todas as minhas forças para evangelizar aqueles jovens, tenho um amor por eles até hoje, apesar da distância. Mas Deus não estava contente ainda, ele queria mais pra mim, não que o grupo de jovens seja pouco, mas Deus tinha outra vontade.

Na virada de 2010 para 2011 estive em uma missão de evangelização no Guarujá, chamada Jesus no Litoral, nesta missão conheci dois irmãos da comunidade Pantokrator, a Larissa Moreira e o Nilton Junior, como estava no grupo de evangelização da Larissa, aprendi muito com ela sobre a comunidade e depois desse episódio meu coração ficou extremamente atraído pela comunidade.

A experiência com o Amor Ciumento de Deus

Decidi fazer o processo vocacional da Comunidade Católica Pantokrator, mesmo eu morando em Jundiaí e a comunidade sendo em Campinas, foi no meio desse processo que Deus me mostrou que Ele tinha armado tudo isso para que eu chegasse até Ele. Não que ele não esteja nas outras comunidades ou nas paróquias, mas quem tem uma vocação para algo não pode viver fora desta vocação, sua vocação é o cordão umbilical que liga seu coração ao coração de Deus, uma alma fora de sua comunidade é uma alma em perigo.

Durante a adoração Deus começou a colocar uma palavra em meu coração, era do livro de Oséias capítulo 11 “[…] era ainda criança, e já eu o amava […], segurava-o com laços humanos, com laços de amor […]” e neste momento começou vir em minha memória todas às pessoas que foram manifestação do cuidado e do amor de Deus na minha vida. Com os olhos cheios de lágrimas, Deus continuou me dizendo “Pode uma mulher esquecer-se daquele que amamenta? Não ter ternura pelo fruto de seu ventre? E mesmo que o esquecesse, Eu não te esquecerei nunca.” (Isaías 49, 15-16) e Deus continuou colocando no meu coração que quando Ele abriu o mar vermelho para os Hebreus atravessar, Ele já estava pensando em mim, na minha história, quando Jesus estava sendo açoitado pelos soldados, Ele pensava em mim, quando os cristãos morriam para preservar a fé, Ele morria de novo no corpo dos mártires e pensava em mim, para garantir que a fé fosse transmitida com fidelidade para chegar até mim.

Eu me sentia no Calvário, junto com a Virgem Maria, vendo Jesus ser crucificado novamente e Jesus dirigia pra mim um olhar tão amoroso que nem parecia que ele estava sendo crucificado. Desde que tive essa experiência do amor ciumento de Deus, tenho tomado a cada dia a decisão de carregar a minha Cruz, já tive altos e baixos, provações, desânimos, frustrações, mas nada pode superar o amor que Ele tem por mim, eu preciso responder a este chamado mesmo que seja caindo e levantando!

Se abandone no amor ciumento de Deus, que quer você por inteiro, deixe Ele te conduzir para onde Ele quiser, não tenha medo! “Vai, vende teus bens, dá-os aos pobres e terás um tesouro no Céu. Depois, vem e segue-me!” (Mateus 19, 21)

Lucas Sturion
Discípulo da Comunidade Católica Pantokrator

3 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.