O que fazer quando Deus não atende sua oração?

1
oração

Quem de nós não experimentou uma “frustração” ao constatar que Deus não atendeu alguma oração que fizemos? Mas será que é válido constatarmos fatos espirituais com base em nossa visão humana limitada? Existe um mundo espiritual, que somos incapazes de ver concretamente. O fato de não enxergarmos algo, não significa que este algo não existe. Entenda este “algo” como o objeto de nossas orações.

Contemplemos a vida de nosso Mestre, e encontremos nela a referência para lidarmos com as situações que são um mistério para nós.

A oração de Jesus no horto das Oliveiras

Nos dias de sua vida mortal, (Jesus) dirigiu preces e súplicas, entre clamores e lágrimas, àquele que o podia salvar da morte, e foi atendido pela sua piedade”. (Heb 5, 7)

Você reparou nas últimas palavras? Sim, está escrito que Ele foi atendido!

No entanto, o que nossa visão humana nos aponta? Segundo as testemunhas oculares da época, Jesus foi cruelmente morto na Cruz. Portanto, tendo como base a visão concreta, a conclusão seria oposta: “Ele não foi atendido”!

Voltemos, então, ao momento de Sua Agonia. Como foi Sua Oração?

Adiantou-se um pouco e, prostrando-se com a face por terra, assim rezou: “Meu Pai, se é possível, afasta de mim este cálice! Todavia, não se faça o que eu quero, mas sim o que tu queres”. (Mt 26,39)

Em primeiro lugar, devemos aprender a orar como Jesus. Vivendo o abandono na Vontade do Pai, deixando em Suas Mãos o governo de todas as coisas, confiando em Sua Bondade infinita, e em Seus desígnios insondáveis: “(…) Não se faça o que eu quero, mas sim o que tu queres”.

Voltemos ao foco de nossa meditação: o que Jesus pediu em Sua Oração? Ele suplicou duas coisas. A primeira: que fosse afastado o cálice da morte, e a segunda: que a Vontade do Pai se cumprisse. Com nossos olhos, vemos claramente que a segunda súplica foi atendida. Mas sobre a primeira, está difícil de concordar com São Paulo.

Jesus Ressuscitado

Quando recitamos a Oração do Creio, afirmamos que Jesus está sentado à Direita do Pai, em Sua Glória, na Vida Eterna. Na cruz mesmo, Ele disse ao bom ladrão: “Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso”. (Lc 23, 43)

Portanto, a primeira súplica de Cristo no Horto das Oliveiras também foi atendida, mas de maneira diferente e bem melhor do que Jesus pediu. Ele, que Se confiou aos desígnios do Pai, passou sim pelo Cálice da Cruz. Mas a Vontade do Pai era tão maior, que o fato de passar pela Cruz transformou a vida humana finita em vida eterna! Não somente para o próprio Cristo, mas para toda a humanidade!

Embora fosse Filho de Deus, aprendeu a obediência por meio dos sofrimentos que teve. E uma vez chegado ao seu termo, tornou-se autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem”. (Heb 5, 7-9)

Imitar o Cristo: é o que devemos fazer

Diante das orações “não atendidas”, nem sempre conseguiremos descobrir os “porquês” de Deus. Mas, de uma coisa tenhamos certeza: bebendo os pequenos “cálices de cruz” que nos são oferecidos diariamente, se com amor dividirmos estes momentos com Cristo, nos tornaremos colaboradores da salvação, e participantes de Sua Glória.

Respondendo, então, de maneira mais precisa, a pergunta que motivou este texto: “O que fazer quando Deus não atende nossa oração?” O resumo de tudo é confiar “de maneira abandonada” na Vontade do Pai!

Luiza Torres
Postulante da Comunidade Católica Pantokrator

1 COMENTÁRIO

  1. Mesmos nos momentos rm que tive frustsdos os meus pedidos, depois eu pude ver a presenca amorosa de Deus na minha vida. Aprendi a entregar a ele, que sempre, escolhe o que é melhor para nos. Por mais que nosso julgamento humano pense wue nao. Nossa alma nao pertence a esse mundo de dor e sofrimento.

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

7 + 17 =