Quando falamos de sacrifício, podemos imaginar grandes coisas, todavia, sacrifício também é fazer pequenas ofertas de amor com o objetivo de amar a Deus e ao próximo e até para nos mortificarmos no intuito de nos converter em pessoas melhores. Tudo pode ser oferecido a Deus como oferta de amor.

2010_496007447141650_409523922_nO nosso amor cresce à medida que exercitamos a virtude da caridade que há em nós e isso se dá através de sacrifícios diários. Devemos nos decidir a viver o sacrifício do amor diariamente, pois amor é decisão. Não temos que esperar condições favoráveis para vivermos a virtude do amor em nosso cotidiano, pois, em todas as situações é possível vivê-lo.

O amor é tão grande que não pode ser restringido ou enquadrado para que seja vivido apenas em alguns momentos. Sempre é possível amar! Não podemos diminuir a capacidade de amar que existe em nosso coração.

Nós somos e fomos amados por Deus, recebemos o amor do Amor. O que recebemos de graça, devemos também dar de graça. O nosso próximo necessita receber nosso amor manifestado através de um abraço; um sorriso; uma palavra; um gesto; um presente etc. Enfim, nascemos para amar. Nascemos para nos doar. Nascemos para o outro. Nossa vida só tem sentido se vivermos para amar!

Na Cruz, Cristo viveu sua maior oferta de amor, mas durante toda a sua vida, Ele viveu pequenos e grandes sacrifícios diários de amor; assim, nós, cristãos, devemos imitá-lo, pois n’Ele nós temos essa capacidade para amar.

Faremos grandes coisas quando primeiramente soubermos fazer pequenos sacrifícios de amor. Mas o bom Deus em Sua imensa misericórdia não rejeita nenhum pequeno sacrifício e em Sua sabedoria olha mais para a intenção do nosso coração que para a própria ação.

Viver em espírito de sacrifício, ofertando tudo a Deus, é uma das formas de crescer em santidade e no amor a Deus. Todas as situações de nossa vida são oportunidade de crescermos no amor porque Deus aceita as mínimas coisas oferecidas a Ele.

Santa Teresinha dizia que “apanhar do chão um alfinete, por amor, pode converter uma alma”. Isso mostra a força do amor que é capaz de tudo! Ela dizia também que “o menor movimento do puro amor é mais útil à Igreja do que todas as obras reunidas”.

A Regra de Vida da Comunidade Pantokrator nos chama a viver o amor simples e surpreendente: “Não foi para sermos heróis que Deus nos congregou, mas para que, na simplicidade do amor por nós sentido e vivido na fidelidade das pequenas coisas, possamos ser surpreendentes no amar”.

O que Deus espera de nós é que possamos surpreender no amor simples e pequeno. Nas pequenas ofertas de amor em nosso cotidiano.

Que Cristo nos capacite para que possamos ser amor, viver o amor e plantar o amor por onde formos. O mundo espera ser surpreendido pelo amor!

Fábio Júnior
Consagrado na Comunidade Católica Pantokrator

1 COMENTÁRIO

  1. […] Ela tem um poder transformador, quando recebemos de alguém a pura compaixão, não importa o nível do sofrimento em que estejamos, a dor em grande parte se dissipa. Isso acontece não porque somos seres humanos ótimos, mas pelo simples fato de que a compaixão é movida pelo amor de Cristo em nós. Ele foi o que teve mais compaixão por nós e quis se colocar em nosso lugar, viu a miséria e a dor a que estávamos eternamente fadados, fez-se homem e se sacrificou por nós. Compaixão que movimenta o amor e amor expresso em sacrifício e doação. […]

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.