Por que Deus aceitou o “problema” de me criar?

0
problema

Escute aqui a transcrição dessa matéria

Certamente você já deve ter ouvido a expressão “filho não planejado”, “gravidez por acidente”, ou qualquer coisa do tipo, como se essa gestação fosse um problema. Também já deve ter ouvido ou até mesmo falado a expressão “eu não pedi para nascer”. Bom, parece que ter vindo ao mundo ou dado à luz um filho em alguns casos é algo problemático. Não quero aqui, ao escrever essa singela reflexão, julgar ninguém. Acredito que todos nós somos pessoas livres e responsáveis no tocante às coisas que fala ou pensa. Meu intuito em trazer à luz essas expressões é manifestar que podemos correr o risco de transferir isso para Deus e achar que somos um problema criado por Deus, que fomos criados por acidente, ou de maneira não planejada e que todos os nossos sofrimentos nesse mundo se devem a isso.
Não sou Deus (ufa!), mas sou filha d’Ele e posso afirmar com certeza que fui criada com muito amor. Não sou um problema criado por Deus e você, que lê essas palavras agora também não é! Vou provar isso para você, usando as palavras de nosso Pai de amor.
“Antes mesmo de te formar no ventre materno, eu te escolhi; antes que viesses ao mundo, eu te separei e te designei para a missão de profeta para as nações!” (Jr 1,5).
“Porque és precioso a meus olhos, porque eu te aprecio e te amo, permuto reinos por ti, entrego nações em troca de ti” (Is 43, 4).
“Mas Deus me separou desde o ventre materno e me chamou por sua graça” (Gl 1, 15).
“Nós amamos porque Ele nos amou primeiro” (1Jo 4, 19).
“Segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como primícias das suas criaturas” (Tg 1, 18).
Vocês acabaram de ler algumas (bem poucas) passagens em que Deus afirma Seu amor por nós desde sempre, ou seja, Deus nosso Pai não nos acha um problema. Mas, sabe o que o inimigo de Deus faz? Conta-nos a mentira de que somos um problema, que somos um produto com defeito rejeitado pelo Criador.
Atualmente, vivemos tempos estranhos na história do mundo, que parece ratificar essa afirmação maligna “você é um problema”, “a humanidade deu errado e você faz parte dela”. E aí você vê crescentes atos de violência, caos social, caos na saúde, ataques contra nossa fé, igrejas fechadas, tudo isso vai nos inserindo numa densa fumaça maligna contra o Amor de Deus. Nossa visão vai ficando turva, nosso coração se torna entristecido diante dos fatos; e vem a pergunta: “Cadê esse Deus que nos criou com tão terno amor?”
Os acontecimentos concretos, da nossa vida concreta, podem nos levar à desesperança, a uma falta de fé. Aquele Pai que outrora jurava que tinha me criado por amor desde o ventre de minha mãe, agora parece distante, como se dissesse “isso é problema seu”; e vamos agindo como se fossemos órfãos, no desespero, na tristeza, na falta de sentido. Diante disso, quero dizer algo para você, caro leitor: DEUS É CONCRETO, SEU AMOR É CONCRETO!
Não somos um problema criado por Deus, somos Filhos amados por Ele como lemos em Isaias 49,15: “Pode uma mulher esquecer-se daquele que amamenta? Não ter ternura pelo fruto de suas entranhas? E mesmo que ela o esquecesse, eu não te esqueceria nunca”. Essa é a verdade que devemos ter sempre diante de nós, meus amigos: Deus, nosso Pai, não nos abandona, não nos esquece nunca.
Talvez você ainda se pergunte: se não sou filho problema, se sou tão amado assim, por que ainda esse sofrimento todo?  “Bem-aventurados os que cho­ram, porque serão consolados” (Mt 5, 4); seremos consolados no céu meus amigos, é isso que realmente importa. Diante de tantas coisas terríveis no mundo, precisamos perseverar na fé, buscar a santidade e almejar o céu, pois lá é o lugar da nossa felicidade verdadeira. Usemos os problemas dessa vida como degraus para chegar à vida eterna com Deus, assim como tantas pessoas fizeram antes de nós, os santos, que hoje contemplam a glória de Deus e intercedem por nós.
Ante os problemas que vemos no mundo, não pense que você é apenas mais um problema; como filho amado, livre e responsável, você tem a opção de escolher fazer parte e até causar muitos problemas; ou tomar posse da filiação de Deus com Seu amor e fazer parte da solução desses problemas. Qual será sua escolha?
Peçamos ao Espírito Santo o dom do entendimento e da fortaleza, para fazermos a escolha certa e perseverarmos na fé até o fim dos nossos dias aqui nessa terra. Que a Virgem Santíssima vá abrindo e iluminando os caminhos por onde devemos andar rumo ao céu.

Fernanda Guardia
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator 

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

10 + dois =