Home Artigos Pantokrator Por que seu filho precisa aprender a ouvir “não”?

Por que seu filho precisa aprender a ouvir “não”?

-

A família é a primeira escola dos valores humanos. Por isso é necessário para um filho crescer em um ambiente seguro, de carinho, de respeito, emocionalmente saudável e de bons testemunhos. Onde não existir essa educação primária, pelos pais, dificilmente poderá ser suprida por outros.

O amadurecimento e crescimento de nossos filhos não é algo puramente genético, não está relacionado somente a fatores quantitativos, mas é algo muito mais profundo, está relacionado a elementos que sintetizam o íntimo da pessoa. São os pais os responsáveis por ajudar as crianças a traduzir e praticar os comportamentos sadios e auxiliar no desenvolvimento de princípios interiores estáveis, evitando uma escravidão para inclinações compulsivas e desumanizadas.

“O amor, se é autêntico, deseja o bem pleno da pessoa amada, por isso é feito de compaixão e de coragem, de paciência e de intransigência, de compreensão e firmeza”1.

Na época em que vivemos, onde reina a ansiedade, a pressa, o desejo de satisfação imediata, é importantíssimo educar nossos filhos pequenos para a capacidade de esperar, de pedir perdão, da cordialidade e de se colocar no lugar do outro. Portanto, não nos esforcemos em garantir aos nossos filhos uma vida fácil, habituando-os ao esforço, a luta, a renúncia, a vitória e a superação.

….o texto continua após imagem….

Não ao filho pode ser um grande estímulo

A negação faz parte da boa formação de nossos filhos. “Dizer NÃO pode ser um grande estímulo; uma criança corrigida com amor sente que foi levada em consideração, pode neste momento se dar conta de que é alguém e que tem alguém por ele”2.

filho

Aos pais, cabe não permitir que os filhos sejam escravos dos desejos imediatos, sentindo-se sempre como um sujeito de direito. É preciso fazer que a disciplina não seja uma anulação de seus desejos e suas vontades, mas sim uma retardação saudável da satisfação imediata, que os levem à consciência da grandeza de sua dignidade e de sua identidade.

O que interessa é gerar no filho, com muito amor, processos de amadurecimento da sua verdade e da sua liberdade como ser humano. Assim, este filho terá elementos de que precisa para saber defender-se e agir com inteligência e cautela nas circunstâncias difíceis da vida.

“Se quereis torná-los livres, tornais-os fortes”3. Portanto, devemos confiar na capacidade e nos dons que nossos filhos possuem.

Finalizo este artigo dando meu testemunho, sou leiga consagrada a Deus, psicóloga e MÃE; e hoje tenho estado mergulhada nos desafios de educar meu filho de 03 anos, sonho em prepará-lo bem para os desafios da vida, para os sofrimentos que serão inerentes à sua vida.

Assim como toda mãe, tenho um instinto de super proteção e a tendência de querer poupá-lo dos sofrimentos, mas a cada dia luto para dizer os “nãos” necessários ao meu filho e faço das oportunidades cotidianas momentos de ajudá-lo a crescer em suas virtudes.

Renata Nunes González
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

1 Rafael L. Cifuentes. Noivado e Casamento. Editora Paulinas, 1993
2 Papa Francisco. Exortação Apostólica Pós Sinodal AMORIS LAETITIA. Editora Paulus, 2016
3 Rafael L. Cifuentes. Noivado e Casamento. Editora Paulinas, 1993

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.

×