Quais são as capas que hoje te envolvem?

0
capas

Embora pareça uma pergunta superficial, se faz muito profunda quando decidimos levá-la a sério. Capas são algo que cobrem para proteger, sendo utilizadas como proteção para algo frágil e/ou valioso e também como instrumentos para esconder o que não se quer expor ou revelar. Capas têm muitos benefícios, podem nos proteger da chuva, podem evitar que nosso celular quebre numa queda e até permitir que os bombeiros se lancem ao fogo para combatê-lo. Porém, dependendo de quê ou de quem nos protegem, podem se tornar malefícios para nossa vida.

Quando vamos, ao longo da vida, nos cobrindo para nos “proteger” ou nos “esconder” de Deus, elas acabam se tornando “capas que capam”, ou melhor, capas que castram. Como assim? Deus é nosso verdadeiro Bem, se nos escondermos deste Bem, o que nos restará? Iludidos debaixo de nossas capas, nos protegemos de quem nos defende e ama, achando que assim é melhor. Não queremos nos expor e nem expor a Deus as situações que nos ferem, não queremos revelar quem verdadeiramente somos; feridos e doentes vamos caminhando nos escondendo em nossas reações por vezes agressivas, por vezes tímidas e covardes, varrendo a sujeira para debaixo do tapete. O mal estará sempre ali, nos consumindo, coberto por capas para afastá-lo de nossa visão limitada, porém mais atuante que nunca. Achamo-nos “super-heróis” carregando capas que de nada nos servem, a não ser para esconder nossa verdadeira identidade, a de filhos de Deus!

As capas que nos capam, que nos castram, são aquelas que impedem que a graça de Deus nos fecunde e gere frutos. Castram-nos espiritualmente. Escondem algo que precisa ser revelado para ser curado. Como se soubéssemos que estamos doentes e protelamos para ir ao médico, quando vamos, escondemos alguns sintomas e queremos que uma cura milagrosa aconteça sem precisarmos expor nossas misérias e situações dolorosas. Quantos protelam uma confissão? Tantas capas que acabam escondendo a verdade deles mesmos e temem se “despir” diante de Deus na figura de um padre. Não sabemos que quanto mais encobrimos uma miséria, um pecado, uma situação dolorosa, uma falta de perdão, mais isso ganha força em nós? O que escondemos acaba nos traindo, pois nos corrói no silêncio, como um câncer que quanto mais oculto, mais perigoso.

“Jesus parou e disse: “Chamai-o”. Chamaram o cego, dizendo-lhe: “Coragem! Levanta-te, ele te chama”. Lançando fora a capa,o cego ergueu-se de um salto e foi ter com ele.” Mc 10,49-50

Se cobrimos com capas, não enxergamos o que está por baixo, ficamos cegos diante de quem somos e de quem é Deus, nos “cegamos” propositalmente pensando nos proteger do sofrimento, enquanto ocultamente o alimentamos.

Então, diante de Deus, lancemos fora nossas capas! Como fez aquele cego em Jericó, e vamos ter com Ele! Peçamos “que eu veja”! Que eu me veja, que eu veja Jesus! Que eu possa ser totalmente iluminado com a luz da fé, que o mal seja exposto para ser combatido e vencido por Cristo! Lancemos fora nossas capas pesadas e escuras para que a luz divina penetre e ilumine todo nosso ser, toda nossa vida e possamos caminhar adiante sem temor de mostrar nossa verdadeira identidade, a de filhos de Deus em Jesus Cristo, pois somente ela é que nos capacitará a voar de verdade!

Rosana Vitachi
Consagrada da Comunidade Católica Pantokrator

Deixe uma resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui.